Falamos em cães idosos, ou velhinhos, mas o que significa ser idoso? Se procurarmos no dicionário, veremos que idoso é aquele que tem “muita idade”, ou “muitos anos”. O grande problema é sabermos quando um indivíduo – seja um cão, um gato, ou um ser humano – já acumulou o que possa ser considerado “muitos anos”.

Do ponto de vista cronológico, uma pessoa é considerada idosa no Brasil a partir dos 60 anos, mas apenas será considerada idosa, em países desenvolvidos, a partir dos 65 anos. O que demonstra por si só que, para se determinar um “marco” para o início da terceira idade depende de outros fatores, e não só de quantos anos alguém já viveu. Nos países desenvolvidos, as condições de vida propiciam uma maior longevidade com maior qualidade, o que acaba por retardar o processo de envelhecimento.

Para cães, como regra geral, considera-se que a partir dos 7-8 anos os animais já podem ser considerados idosos. Mas sabemos que cães maiores envelhecem antes, e que os menores demoram mais tempo para começar. E sabemos também que alguns cães morrem por problemas ligados à idade antes dos 10 anos de idade, enquanto outros chegam a viver 20 anos!

Do ponto de vista biológico, a senilidade começa a partir do declínio de certas características físicas. Este declínio está relacionado ao desgaste do organismo como um todo, desde o sistema imune até a estrutura óssea, muscular, a capacidade de se processar determinadas substâncias, e a própria função cerebral pode ficar diminuída. Os animais começam a ficar mais tranquilos, passam a dormir mais, caminhar mais lentamente, entre outros aspectos. É difícil determinar o momento exato em que isso acontece, já que este é um processo lento e gradual, e cada indivíduo tem o seu próprio ritmo.

O que é importante destacar é que ser idoso não significa ser doente. Muitas pessoas têm dificuldade em compreender por que os seus animais são considerados idosos, se eles ainda são saudáveis e ativos. Acontece que estes indivíduos já estão com suas funções biológicas começando a diminuir, o que poderá eventualmente culminar em alguma doença relacionada à senilidade, ou à menor resistência dos seus organismos a pequenas infecções. Quando dizemos que poderá eventualmente culminar em determinada doença, queremos dizer que isso pode demorar mais ou menos para acontecer, e que não acontece necessariamente com todos os indivíduos.

O processo de envelhecimento é algo que acompanha a todos desde o nascimento. O que torna a velhice tão difícil de ser aceita é que esta é a fase em que a vida mais se aproxima do seu final, chegando a ser vista como sinônimo de morte para algumas pessoas. Mas devemos lembrar que a morte não é privilégio dos idosos. É preciso compreender a velhice, sem eufemismos, como qualquer outra fase da vida – parte de um processo natural.

É deste ponto de vista psicológico, tão precioso, que os nossos animais saem ganhando. Eles vivem o “hoje”, sem pensar no amanhã nem no ontem. Diferente dos humanos, eles não se deprimem com a perspectiva do envelhecimento - eles não se preocupam se estão se já têm 8, 10, ou 15 anos. Eles não sabem se o veterinário disse que eles viverão apenas mais um dia, um mês, ou um ano, e também não se importam. O que eles sabem é como estão se sentindo hoje.

Então, faça com que o “hoje” do seu cão seja o melhor possível, não importa quanto tempo ele tenha de vida.  O que faz seu cão feliz?