Evite Fugas e Atropelamentos Com Este Truque Simples - Meu Cão Velhinho

Evite Fugas e Atropelamentos Com Este Truque Simples

Muitas pessoas que moram em casas têm um problema sério toda vez que entram ou saem de casa, especialmente se estiverem de carro: os seus cachorros têm o hábito de “aproveitar a brecha” para dar uma escapadinha. Enquanto alguns cães contentam-se em fazer um xixi para demarcar o território e voltam logo para dentro, outros podem realmente fugir. Mas não se engane: o primeiro caso pode ser tão perigoso quanto o segundo.

Qual é o Problema de o Cão Sair Quando o Portão se Abre?

Uma pequena escapada, mesmo que não seja exatamente uma fuga (pois o cão tem a intenção de voltar), pode acabar muito mal. Como?

  • A pessoa que estiver entrando ou saindo com o carro pode não enxergar o cão e atropelá-lo acidentalmente;
  • Algum cachorro pode estar passando na rua e atacar o seu, ou ser atacado por ele;
  • Ele pode ser distrair, e ir para a rua, sendo atropelado;
  • O tutor pode pensar que o cão já voltou para dentro, e, sem querer, trancá-lo para fora de casa.
Cão esperando na frente de porta

Um cão que sai habitualmente de casa pode ser acidentalmente esquecido para fora.
Imagem: Wikimedia

Basta uma pequena distração (do cão ou de um humano) para que alguma das situações acima aconteça, e a vida do animal seja colocada em risco. Estas ocorrências são assustadoramente comuns, e diversas vidas caninas são desperdiçadas diariamente por conta deste aparentemente inofensivo hábito.

Se o cachorro for daqueles que efetivamente fogem quando o portão se abre, os riscos se multiplicam. Como normalmente os “fugitivos” saem correndo, eles correm um risco ainda maior de irem parar no meio de uma rua e serem atropelados. E o pior: longe dos olhos dos seus tutores, o que diminui as suas chances de serem socorridos a tempo. Da mesma forma, eles podem atacar outros cães ou serem atacados por eles, geralmente sem que haja um humano presente para apartar a briga e providenciar atendimento veterinário para o(s) animal(is).

Além disso, quer o cachorro fuja, quer ele seja esquecido para fora acidentalmente, ele também pode ser roubado ou adotado por outras pessoas. Quem levar o seu cão pode ter a intenção de devolvê-lo, ou não. Pode ter a intenção de cuidar bem dele, ou não. Não há como prever o que pode acontecer se o seu cachorro for levado por um total desconhecido. Ou ele pode ficar morando na rua, exposto ao frio, à chuva, passando fome, e adoecendo. Certamente, uma perspectiva não muito boa.

Mas Eu Não Consigo Evitar Que Ele Saia!

Pode parecer uma missão impossível, mas não é. Veja como evitar as fugas e “escapadinhas”:

Método 1: Vai abrir o portão? Cachorro para dentro de casa!

Essa técnica pode ser um pouco mais trabalhosa principalmente se você estiver sozinho na hora de entrar ou sair, mas é a prova de falhas. E também é a técnica mais simples, não requer prática e nem habilidade. Vai sair de casa? Coloque o cachorro para dentro antes de abrir o portão. Se houver alguém em casa neste momento, combine com ela para que o solte de volta assim que o portão se fechar. Se não houver, deixe o carro para fora, feche o portão, solte o cachorro, e depois abra o portão apenas o suficiente para que você consiga sair a pé. O espaço é bem menor, e a chance de fugas, também.

Cão esperando portão

Evite fugas e acidentes deixando o seu cão para dentro de casa quando abrir o portão para passar com o carro

Método 2: Isole o portão.

Dependendo de como for a sua casa, isso pode requerer algum investimento. Mas muitas vezes é possível isolar fisicamente o portão de saída dos carros em relação ao jardim e/ou o quintal, usando um muro ou uma cerca. Desta forma, o seu cão simplesmente não terá acesso ao portão, e as fugas e “escapadinhas” podem ser evitadas sem qualquer trabalho a mais na sua rotina.

Método 3: Treinamento

Não precisa se assustar, a técnica é bem simples e qualquer um consegue ensinar. O único detalhe em relação a esta técnica é que, idealmente, devem haver duas pessoas trabalhando em equipe durante o treinamento. Usei este método por muito tempo, por morar em casa alugada e que não admitia modificações:

Quando uma pessoa abrir o portão para entrar ou sair de casa com o carro, a outra deve chamar o cão para um local específico da casa. Escolha um ponto que seja longe o suficiente do portão e do local onde o carro irá estacionar para evitar atropelamentos ou fugas acidentais.

  • O carro só começa a entrar ou sair quando os cães estiverem sentados no “local”;
  • Mande o cão se sentar, e permanecer ali enquanto o carro manobra;
  • Assim que o portão for fechado, recompense (com um petisco, por exemplo), e libere o cão para ir cumprimentar quem chegou, ou para fazer o que ele quiser.

Após algumas repetições, você verá que a própria abertura e fechamento do portão se tornarão o “comando” para que o cão aguarde no local definido, sem que seja preciso chamá-lo. Quando o comportamento já estiver bem estabelecido, não será mais necessária a segunda a pessoa para controlar o cão, e nem recompensar: ele entrará no “piloto automático”. Esporadicamente, reforce o treinamento para que o cão continue achando que “vale a pena” aguardar.

O treinamento pode ser feito com um ou mais cães ao mesmo tempo, basta haver petiscos para todos 😉

caes-sentados

É possível treinar mais de um cão ao mesmo tempo para se prevenir fugas e acidentes.

Autora: Bárbara Gomiero

Formada em Medicina Veterinária pela UFPR em 2006, especialista em Clínica de Pequenos Animais. Apaixonada por cães, tem um amor especial pelos cães idosos, e trabalha para levar conhecimento e informação aos seus tutores, para que esses sejam capazes de proporcionar uma excelente qualidade de vida nessa fase tão delicada de seus cãezinhos.