O Último Mês de Tábata

Tabata tinha sido uma cadelinha muito amada. Aos 17 anos, porém, a sua vida estava ficando cada vez mais difícil. Combatendo um câncer enquanto lutava para executar as tarefas mais simples do dia-a-dia, como caminhar, fazer as suas necessidades ou até mesmo dormir, ela começou a dar muito trabalho à sua tutora. E o que essa tutora fez?

Se dedicou ainda mais a ela, fortalecendo o seu vínculo e provando o seu amor a cada dia que passava. Sendo fotógrafa, a tutora Mariah Peixoto decidiu registrar em imagens emocionantes o último mês de vida da sua cadelinha, que finalmente perdeu a batalha contra o câncer em 23 de julho de 2016. O resultado é impressionante.

Com a autorização da mamãe Mariah Peixoto, reproduzimos abaixo as lindíssimas fotos da Tabata em seus últimos dias de vida, e as respectivas legendas. Vale a pena apreciar esta arte que nos leva a refletir sobre a responsabilidade de se ter cães, e o amor incondicional que surge quando nos dedicamos a eles.


RELICÁRIO: TABATA

Uma homenagem à minha irmã canina que faleceu dia 23 de julho de 2016, aos 17 anos, após lutar contra o câncer.
Sentimos muitas saudades. Espero que você esteja correndo em muitos tanques de areias celestiais por aí! <3


Essas fotos foram tiradas pelo mês de julho, mês do falecimento. Ela já estava bastante fraca, porém ainda tentando andar. Esses são registros que fiz com muito e carinho e tristeza, porém faço questão de mostrar o quão linda ela sempre foi, além de lembrar a todos que os filhotes crescem e envelhecem e, na velhice, dão muito trabalho, mais do que na infância!! Foram madrugadas em claro tentando fazê-la dormir *sem exageros*, muita sujeira para limpar, muitos banhos na pia e mil ideias mirabolantes que tivemos de ter para tentarmos melhorar a condição de vida dessa pequenininha. Ela foi muito amada em toda sua vida e isso é ESSENCIAL.

Não abandone seu animal! Não fique de saco cheio; se você o quis filhote deve querê-lo velho também!!! Cachorro não é brinquedo! Cuidem e amem seus companheiros, pois eles precisarão muito de vocês!!

Tabata - Mariah (12)

A Tabata chegou em nossa casa quando eu tinha apenas 5 anos, em 1999. Essa foto que seguro é um dos primeiros dias da pequena aqui em casa, com poucos centímetros de comprimento. Ela, atrás da foto, foi clicada em 6 de julho de 2016. Elá já estava com câncer desde 2014 e perdendo o movimento das pernas, porém continuava com a mesma carinha de bebê, apesar dos muitos pelos brancos.

Tabata - Mariah (6)

Essa é uma foto sobre velhices. Atrás, é possível ver o meu avô, que está com dificuldades para andar e utilizando o seu andador, o objeto de metal grande presente na foto. Ele estava sentado vendo televisão. Em primeiro plano temos Tabata, que ganhou uma cadeira de rodas feita pelo meu tio e pela minha irmã, para ajudá-la a movimentar a patinha traseira. Ela também estava com sérias dificuldades para andar.

A Tabata estava andando em círculos no final da vida, ficava rodando, rodando e rodando… Nesse momento ela estava rodando em volta de uma das pernas do andador.

Tabata - Mariah (16)

Aqui, um retrato.

A Tabata estava difícil de deixar sozinha, pois ela tinha perdido seu senso de direção. Andava em círculos, caía e não conseguia levantar sozinha, deparava-se com a parede e não sabia sair de lá, ficava presa. constantemente em mesas, cadeiras… De madrugada muitas vezes éramos acordadas com o seu choro e encontrávamos ela perdida em seu quartinho… 🙁

Tabata - Mariah (3)

De fraldinha.

Tentamos comprar fraldas caninas para ela, pois, como ela tinha dificuldade para andar e não podia ficar todo o dia na cadeira, muitas vezes ela fazia xixi sentada e se sujava inteira. As fraldas infelizmente não deram certo…

Tabata - Mariah (14)

Ao Sol.

Tabata - Mariah (8)

Ossinhos.

Emagreceu bastante nos últimos meses de vida.

Tabata - Mariah (19)

Patinhas brancas.

Tabata - Mariah (9)

Quase uma bebê.

Tabata - Mariah (1)

Barriguinha e mãos.

Essa é a Tábata deitada no colo da minha mãe. Essas cicatrizes na sua barriga e a ausência de mamas foram decorrentes de um câncer no ovário, anos atrás.

Tabata - Mariah (17)

Dormindo enquanto tentávamos trocar suas fraldas…

Tabata - Mariah (5)

Eu e ela indo cochilar no sofá.

Tabata - Mariah (7)

Lutando contra o sono.

Tabata - Mariah (13)

Dormiu.

Tabata - Mariah (10)

Como a pequena estava se perdendo pela casa, tivemos que colocar uma grade de segurança e deixá-la na área de serviço quando saíamos e na hora de dormir. Mesmo assim muitas vezes ela se perdia por lá também…

Tabata - Mariah (15)

Sentadinha.

Tabata - Mariah (11)

Rodando em círculos com a cadeirinha.

Tabata - Mariah (2)

Patas no escuro.

Tabata - Mariah (4)

O círculo.

Tabata - Mariah (18)

Uma saudade: o barulho de suas patinhas pelo chão da casa. Te amamos muito! 

 

Fotos e legendas: Mariah Peixoto.

Autora: Bárbara Gomiero

Formada em Medicina Veterinária pela UFPR em 2006, especialista em Clínica de Pequenos Animais. Apaixonada por cães, tem um amor especial pelos cães idosos, e trabalha para levar conhecimento e informação aos seus tutores, para que esses sejam capazes de proporcionar uma excelente qualidade de vida nessa fase tão delicada de seus cãezinhos.

Comments are closed