Cãopanheiros bem vestidos - Meu Cão Velhinho

Cãopanheiros bem vestidos

Com a chegada do inverno, muitos tutores decidem vestir os seus cães para protegê-los do frio. É uma boa opção, principalmente para os cães de pêlo curto, que nem sempre se adaptam muito bem às temperaturas mais baixas. É uma boa opção, desde que alguns cuidados sejam observados:

  1. Conforto: Existem vários modelos de roupinhas para cães, de “capas” a macacões que protegem também os braços e pernas. Nem todos os cães se adaptam bem a todos os tipos de roupas, já que algumas podem limitar os seus movimentos (ou, pelo menos, eles se sentem limitados). Vejamos quais sãos os tipos de roupas:
    • Capas: são o tipo mais comum de roupinhas para cães. Geralmente elas cobrem todo o dorso (as costas) do animal, podendo ou não ter mangas (que podem ser curtas ou longas). Na parte de baixo, algumas capas cobrem todo o abdome do cão, enquanto outras acabam protegendo apenas o peito. A maioria dos cães se adapta com maior facilidade às capas sem manga ou com manga curta, já que se sentem menos limitados em seus movimentos. Em relação ao abdome, as capas que são mais longas embaixo protegem melhor o cão do frio – mas, por outro lado, podem ser problemáticas para machos, já que a urina pode respingar na roupa. Nesse caso, a melhor opção acaba sendo providenciar uma caminha macia e quentinha onde ele possa se deitar e esquentar a barriguinha.
    • Casacos: geralmente são mais grossos do que as capas e têm manga longa, porém não cobrem todo o dorso do animal, circundando apenas a região do peito.
      bulldog peruca
    • Macacões: tem mangas e “pernas”, para deixar o seu peludo bem quentinho. O problema dos macacões é que muitos cães se sentem “limitados” pelo uso deste tipo de roupa (uma reação comum é o cão ficar estático, sem se mexer depois de ser vestido).
    • Vestidos, saias, camisetas, etc.: em sua maioria, têm fins apenas estéticos e agradam mais ao tutor do que o cão.
  2. Material: assim como as roupas para humanos, as roupas de cães vêm em diversos tipos de material: lã, algodão, nylon, e até pele de ovelha! Alguns cães podem ser alérgicos a determinados materiais, por isso observe se o seu cão demonstra coceira, ou fica com a pele irritada após usar a roupa por algum tempo.
  3. Higiene: Não esqueça de tirar a roupinha para lavar, pelo menos uma vez por semana. Se você morar em um lugar muito frio, o ideal é ter pelo menos duas roupinhas, para que o cão possa usar uma enquanto a outra é lavada.
  4. Cuidados com a pele: A roupinha impede que o tutor veja bem a pele do seu cão, o que pode fazer com que ele não perceba se o animal tem pulgas ou lesões de pele, por isso é interessante periodicamente levantar, ou mesmo tirar, a roupinha do cão para examinar a sua pele. Cuidado também com os banhos: a pele do cão deve estar bem seca na hora de vestir a roupa, caso contrário, o cão poderá desenvolver fungos.
  5. Cuidados com os pêlos: os cães de pêlos longos, nas épocas em que estão usando roupinhas, devem ser escovados uma vez ao dia; caso contrário, eles acabam embolando. Desembolar a pelagem pode ser um procedimento doloroso, e nem sempre o desembôlo é possível, de modo que muitos animais acabam precisando ser totalmente tosados por causa disso. Antes de vestir o seu cão de pêlo longo, certifique-se de que ele realmente está com frio, já que muitos destes cães se adaptam bem às temperaturas mais baixas.

Se não quiser vestir o seu cão, ou se isso não for possível por algum motivo, há outras formas de mantê-lo aquecido nas horas mais frias: uma caminha bem macia num lugar protegido, de preferência num ambiente interno, já ajuda bastante. Você pode também cobrir o seu cão na hora de dormir, e até mesmo ligar um aquecedor no cantinho dele se estiver frio demais.

Cuidado com técnicas que envolvem o uso de garrafas de água quente, pois elas podem: (1) queimar o cão, se estiverem muito quentes; (2) esfriar o cão, quando, depois de passado certo tempo, esfriam; (3) molhar o animal e a sua cama, se não estiverem bem fechadas ou se o cão resolver mastigá-las. Se quiser usar água morna

Para os cães que dormem fora de casa, vale a pena colocar uma cortina na porta da casinha, para impedir a entrada de correntes de ar e criar um ambiente mais aconchegante lá dentro. O ideal é que a cortina seja impermeável, para não estragar e/ou ficar segurando umidade em dias de chuva. Você pode improvisar usando uma cortina de banheiro.

Com estes cuidados, o seu velhinho poderá passar o inverno bem quentinho e confortável!

Autora: Bárbara Gomiero

Formada em Medicina Veterinária pela UFPR em 2006, especialista em Clínica de Pequenos Animais. Apaixonada por cães, tem um amor especial pelos cães idosos, e trabalha para levar conhecimento e informação aos seus tutores, para que esses sejam capazes de proporcionar uma excelente qualidade de vida nessa fase tão delicada de seus cãezinhos.