Ciúmes de você! - Meu Cão Velhinho

Ciúmes de você!

Como muitos de nós que compartilham as vidas com um ou mais companheiros caninos já sabíamos há muito tempo, os cães sofrem de ciúmes de uma forma muito parecida com a gente. E agora há evidências científicas para confirmar as nossas suspeitas.

CÃES REAGEM COM CIÚMES QUANDO TUTORES PRESTAM ATENÇÃO A CACHORRO DE PELÚCIA

 

mulher abraçando filhote - ciúmes

 

Dois pesquisadores da Universidade da Califórnia San Diego (UC San Diego), conduziram um estudo sobre ciúmes com 36 cães de pequeno porte. Isso para que os pesquisadores pudessem mais facilmente controlar comportamentos indesejáveis. No grupo de 36, 14 eram cães mestiços, e o restante era de diversas raças puras pequenas ou do tipo “toy”.

Cada cão foi filmado na sua própria casa enquanto o seu tutor interagia com um cachorro eletrônico que latia, chorava e abanava a cauda, com um livro infantil, e com uma abóbora de Halloween.

Os cães latiram – e um quarto deles avançou sobre – o cão robótico quando os seus tutores fizeram carinho nele ou o elogiaram. Cerca de um terço deles tentou entrar entre o seu tutor e o cachorro de pelúcia. Os cães não demonstraram tanto este tipo de comportamento quando os seus tutores prestaram atenção à abóbora de Halloween ou leram em voz alta o livro infantil.

Cerca de 78% dos cães tentou empurrar ou tocar seus tutores enquanto eles interagiam com o cão falso, comparado a 42% que interferiram quando o tutor estava interagindo com a abóbora. Apenas 22% apresentou o comportamento quando o tutor leu o livro infantil.

CÃES SÃO MOTIVADOS A PROTEGER RELACIONAMENTOS IMPORTANTES

De acordo com os pesquisadores, os ciúmes dos cães foram causados pela interação social, e não simplesmente porque os seus tutores os estavam ignorando para focar na abóbora ou no livro. Além disso, a maioria dos cães (86%) cheirou o traseiro do cão robótico, indicando que o percebiam como real.

A co-autora Christine Harris, uma professora de psicologia da UC San Diego, afirmou:

“O nosso estudo sugere que os cães não apenas apresentam o que parece ser um comportamento de ciúmes, mas também que eles estavam tentando quebrar a conexão entre o seu tutor e o aparente rival.”

“Nós não podemos realmente conhecer as experiências subjetivas dos cães, é claro, mas nos parece que eles estavam motivados para proteger uma relação social importante”.

Estes achados são similares aos resultados encontrados em estudos com humanos, em que bebês de apenas 6 meses de idade demonstraram ciúmes quando as suas mães prestaram atenção a bonecas realísticas, mas não quando elas liam livros.

“NÓS COMPARTILHAMOS UMA TREMENDA QUANTIDADE DE EMOÇÕES COM OS CÃES”

Patrícia McConnell, uma especialista em comportamento animal e autora de livros best sellers sobre o comportamento de cães, quando apresentada ao estudo da Universidade da Califórnia San Diego, não ficou surpresa com os achados:

“Eu acredito que nós compartilhamos uma tremenda quantidade de emoções com os cães”, ela disse. “Mas eu nunca pensei em ciúmes como uma emoção particularmente complexa (em animais). O ciúme de humanos é exatamente como o ciúme de cães? Tenho certeza de que não”.

Os pesquisadores da UC San Diego acreditam que animais sociais como os cães e humanos podem ser motivados instintivamente a sentir ciúmes diante de ameaças a relacionamentos importantes.

O que nós sabemos, com certeza, é que a emoção de ciúmes, quando ocorre, pode ter consequências psicológicas e sociais importantes. Os pesquisadores esperam que estudos futuros possam explorar os gatilhos e motivações internas dos ciúmes.

Tradução livre de “Mercola Healthy Pets“, acesso em 22/12/2014.

Autora: Bárbara Gomiero

Formada em Medicina Veterinária pela UFPR em 2006, especialista em Clínica de Pequenos Animais. Apaixonada por cães, tem um amor especial pelos cães idosos, e trabalha para levar conhecimento e informação aos seus tutores, para que esses sejam capazes de proporcionar uma excelente qualidade de vida nessa fase tão delicada de seus cãezinhos.