Prevenindo acidentes com cães - Meu Cão Velhinho

Prevenindo acidentes com cães

Olá, aumigos! Nós amamos os nossos bichinhos, mas sabemos que, às vezes, os cães podem atacar e ferir pessoas por inúmeros motivos. O cão que morde pode ser desconhecido, mas pode ser também o seu próprio animal de estimação! O interessante disso é que, assim como acidentes com carros, a grande maioria dos acidentes envolvendo cães são causados por “falha humana”: um descuido, uma abordagem inadequada, ou uma aproximação indevida.

Falaremos sobre possíveis causas de agressividade em cães em outro momento. Neste artigo, vamos aproveitar as dicas do renomado “Encantador de Cães” Cesar Millan para saber como evitar que você ou a sua família sejam mordidos.

#1 – Seja Responsável

A coisa mais importante que podemos fazer é sermos responsáveis pelos nossos próprios cães. Isso significa treinar e socializá-los adequadamente, para que eles consigam se dar bem com outros cães e pessoas. Eles também devem ser treinados para serem submissos, de tal modo que os humanos da sua matilha consigam mexer na sua comida ou pegar os seus brinquedos sem despertar reações agressivas.

Cão protegendo biscoito - acidentes com cães

Cão protegendo o seu biscoito.
Imagem: Wikipedia

Duas outras coisas que você pode fazer: evite brincadeiras agressivas com os seus cães, como cabo-de-guerra. Ao invés disso, prefira jogos como ir buscar, e treine o seu cão para largar a bola na sua frente. E, importante também, castre seus cães. Isso irá evitar que as fêmeas engravidem – uma cadela amamentando pode se tornar defensiva e agressiva ao redor dos seus filhotes. Para os machos, isso evitará agressividade ligada ao sexo.

#2 – Eduque seus filhos

As crianças são naturalmente atraídas pelos animais, particularmente os cães, pois eles são fofos e peludos. Entretanto, as crianças não entendem que não é uma boa ideia correr em direção a um cão desconhecido, que é como acontecem muitos acidentes. Elas também geralmente não compreendem que nem todos os cães aceitam que puxem as suas orelhas ou a cauda, que os abracem ou peguem no colo. Dois terços das crianças mordidas por cães são atacadas pelo próprio cão da família, e geralmente este é o motivo.

A primeira coisa que você deve ensinar aos seus filhos é que nunca devem se aproximar de um cão desconhecido, ainda que ele pareça amigável, principalmente se o cão estiver sozinho. Se o cão estiver com o seu tutor, ensine seus filhos a pedir permissão a uma certa distância antes de se aproximar e tocar no cão, e a não se frustrarem se o tutor disser que “não”: provavelmente, há uma boa razão para isso.

Ao se aproximar de um cão desconhecido, as crianças (e adultos) devem praticar: “não fale, não toque, não faça contato visual” e aguardar que o cão venha até elas. Lembre-se: é o cão quem vai até o líder da matilha, e não o contrário. Se o cão cheirar e  ficar, então pode fazer carinho nele, preferencialmente na parte da frente do peito, e não nas costas ou na cabeça. Se o cão se afastar, tendo cheirado ou não, não leve para o lado pessoal: ele simplesmente não está interessado em interagir.

Acima de tudo, ensine seus filhos a ficarem calmos perto de cachorros. Muitas crianças têm uma energia muito alta e podem ser barulhentas ou agitadas, duas coisas que podem tornar os cães ansiosos ou superexcitados. Especialmente perto de cães desconhecidos, elas não devem gritar ou correr.

#3 – Eduque-se

Mencionamos que dois terços das mordidas de cães em crianças são feitas pelo próprio cão da família. É por isso que, como adulto, você jamais deve deixar crianças pequenas e cães juntos sem supervisão. Um cão é bem menos propenso a morder uma criança se um adulto estiver presente. Além disso, se algo acontecer, você conseguirá intervir rapidamente. Não se engane: cães pequenos também podem atacar e ferir crianças – e, ainda que as injúrias físicas não sejam graves (e elas podem ser, em alguns casos), a criança poderá ficar permanentemente traumatizada.

Você próprio também pode também aprender as regras de prevenção de mordidas para crianças, já que são exatamente as mesmas para adultos. Nós não ganhamos o direito de nos dirigir diretamente a cães desconhecidos só porque já somos “gente grande”.

Pastor Alemão agressivo

Imagem: Wikipedia

Finalmente, aprenda a compreender a linguagem corporal dos cães, para conseguir identificar os sinais de que uma mordida pode estar chegando, e agir imediatamente. Os sinais de que um cão pode estar prestes a atacar são: orelhas para trás, e a pelagem nas suas costas pode se levantar. Você também pode conseguir enxergar a parte branca dos olhos do cão, e ele pode bocejar – o que, junto com os outros sinais, não indica que o cão está cansado, mas sim que ele está exibindo os seus dentes como aviso. Se o cão fizer contato visual direto com você, este é um sinal claro de que você deve se afastar imediatamente.

Adaptado de: Cesar’s Way. Acesso em 17/11/2015.

Autora: Bárbara Gomiero

Formada em Medicina Veterinária pela UFPR em 2006, CRMV/PR 7307, especialista em Clínica de Pequenos Animais. Apaixonada por cães, tem um amor especial pelos cães idosos, e trabalha para levar conhecimento e informação aos seus tutores, para que esses sejam capazes de proporcionar uma excelente qualidade de vida nessa fase tão delicada de seus cãezinhos.