Exercitando seu cão idoso - Meu Cão Velhinho

Exercitando seu cão idoso

Assim como os humanos precisam se manter ativos para aproveitar a melhor idade, o mesmo vale para os cães e gatos idosos.

À medida em que envelhecem, os animais têm a tendência a se tornar menos ativos, perdendo massa e tônus muscular. Esta inatividade propicia o ganho de peso, e a consequente sobrecarga das articulações, que não mais têm uma quantidade de músculos adequada para suportá-las. Sobrecarregadas e sem o suporte adequado, as articulações ficam fragilizadas, e, portanto, mais sujeitas a acidentes como torções, deslocamentos, entre outras, além da já conhecida artrose (degeneração articular). Com tudo isso, os exercícios se tornam mais difíceis e dolorosos, levando o animal a uma inatividade ainda maior, o que acaba gerando um círculo vicioso.

 

passeio

 

Para evitar, ou pelo menos retardar este processo, a prática de atividades anti-envelhecimento é altamente recomendada tanto para pessoas quanto para os seus bichinhos. Algumas atividades interessantes incluem:

 

  • Exercícios direcionados à manutenção da força, flexibilidade e equilíbrio;

 

  • Caminhadas curtas e frequentes, para uma melhor saúde do coração; e

 

  • Massagens para aliviar dores musculares, articulares, e outras.

 

Algumas destas atividades vão exigir a orientação de um fisioterapeuta veterinário, mas sem dúvida os tutores podem ficar a vontade para praticar algumas caminhadas curtas diariamente, para manter a sua saúde cardiovascular – todos serão beneficiados!

 

Além disso, é possível se aprender, junto ao seu médico veterinário ou fisioterapeuta veterinário, técnicas de massagem simples e que podem ser praticadas em casa com segurança.

 

ALGUNS EXERCÍCIOS PARA MANTER O SEU CÃO IDOSO ATIVO:

 

Existem três tipos básicos de exercícios que podem beneficiar o cão em processo de envelhecimento:

 

  • Exercícios de movimentação articular passiva;

 

  • Exercícios que mantêm o equilíbrio e a circulação dos fluidos;

 

  • Exercícios que fortalecem os principais músculos de suporte ao corpo, como os dos membros.

 

Os exercícios de movimentação articular passiva podem beneficiar tanto animais com incapacidades ou dificuldades motoras quanto aqueles que são fisicamente saudáveis. Eles são feitos sobre o animal deitado de lado, numa posição confortável. Cada membro deve ser gentilmente flexionado e estendido, de modo que cada posição seja mantida por cerca de dez segundos. Deve-se cuidar para que a posição do membro se mantenha parelela ao chão, para não se forçar as articulações; além disso, é importante não hiperestender os pulsos e tornozelos do animal.

 

Abaixo, um video demonstrativo (em inglês) de como são feitos estes exercícios no cão:

 

 

Os exercícios de equilíbrio e propriocepcção (orientação espacial e movimento) incluem o uso de petiscos que precisam ser alcançados com algum grau de desafio, estimulando o animal a se alongar, posicionar corretamente, e a manter o equilíbrio.

Estes exercícios devem se iniciar com o cão em estação (em posição “normal”, com as quatro patas tocando o chão). O petisco deve ser oferecido a ele por diversos ângulos diferentes. O objetivo é que ele tente alcançar o petisco sem precisar sair do lugar, devendo ser estimulado a se alongar em diferentes direções. Ao atingir a posição desejada, o cão deve ser recompensado. Com algum treino, o exercício pode se tornar mais desafiador, ao se exigir que o cão mantenha a posição por 10 a 30 segundos.

Outra atividade interessante para melhorar o equilíbrio, força e flexibilidade é fazer com que o cão caminhe sobre obstáculos, de modo que precise erguer bem as patas (mas não saltar) para ultrapassá-los, conforme o video abaixo. Logicamente, as limitações de cada animal deverãos ser respeitadas. O exercício não deve ser doloroso, e nem exigir um esforço muito grande do cão.

 

Os exercícios para fortalecimento localizado em cães idosos devem focar os grandes grupos musculares, que servem para que o animal se mantenha em pé, caminhe, ou corra. Um bom exercício é caminhar de lado, o que fortalece os glúteos e a musculatura lateral das coxas. Fique de frente para o flanco do cão, com uma mão na coleira e a outra, no quadril do outro lado do animal. Dê um pequeno passo na direção dele, até fazer com que ele dê um passo para o lado, sem ir para frente. Inicialmente, pode-se fazer com que o cão dê 3 a 5 passos para cada lado, e ir progredindo aos poucos, até que ele consiga dar 10 a 15 passos.

Outras atividades que ajudam a fortalecer estes músculos são: subir planos inclinados ou escadas, ou, ainda fazer com que o cão se sente e levante.

OS BENEFÍCIOS DA MASSAGEM PARA O CÃO IDOSO

A massagem para animais, especialmente os idoso, é bem diferente daquela feita em humanos. Como se pode ver no video abaixo (em inglês), a técnica utilizada para cães é feita com pequenas e leves batidas e alongamentos, combinadas com tapeamento leve e ritmado.

 

 

A massagem regular pode ajudar a manter o tônus muscular do seu cão idoso, e reduzir a flacidez que vem com a idade. Músculos que são massageados ficam mais soltos, tornando a movimentação do animal mais fácil e confortável. A massagem também melhora a circulação sanguínea e promove a drenagem linfática, o que ajuda o cão a se livrar de eventuais toxinas que possam estar se acumulando no seu corpo.

Por fim, outra importante vantagem da massagem é que ela ajuda a reduzir a rigidez articular que decorre da artrite, ajudando assim o cão manter suas atividades normais e ter maior qualidade de vida.
Texto adaptado de: Mercola Healthy Pets.

 

Autora: Bárbara Gomiero

Formada em Medicina Veterinária pela UFPR em 2006, especialista em Clínica de Pequenos Animais. Apaixonada por cães, tem um amor especial pelos cães idosos, e trabalha para levar conhecimento e informação aos seus tutores, para que esses sejam capazes de proporcionar uma excelente qualidade de vida nessa fase tão delicada de seus cãezinhos.

Comments are closed