Os Cachorros Sonham?

O seu cachorro “fala” dormindo? ele late, rosna, ou movimenta as patas? Será que ele está sonhando?

Sim! Os Cachorros Sonham!

De acordo com pesquisas feitas pela University of British Columbia, nos Estados Unidos, os cães sonham sim. O padrão de sono deles e dos outros mamíferos é muito semelhante ao nosso: eles passam pelos estágios de vigília (acordado), sono REM (“rapid-eye-movement”, ou movimento rápido dos olhos), e sono não-REM (sem os movimentos rápidos dos olhos). Os humanos são capazes de sonhar tanto na fase REM quanto na fase não-REM do sono, embora normalmente nos lembremos (e vagamente) apenas dos sonhos da fase REM. Estes sonhos costumam ser mais vívidos e bizarros.

Imagem: 7 Themes

Os padrões de sono “REM” e “não-REM” estão ligados ao processo de aprendizagem e desenvolvimento da memória, de tal forma que, tanto para humanos quanto para animais, a interrupção do sono pode diminuir a capacidade de memorização.  Os cães entram na fase REM do sono aproximadamente 20 minutos depois de começarem a dormir, e permanecem neste estágio por cerca de 2 a 3 minutos. Os tutores podem observar, durante este tempo, que a respiração do cão pode ficar alterada, e os músculos podem se contrair, principalmente em filhotes e em cães idosos. É possível perceber também que, sob as pálpebras fechadas, os olhos parecem se movimentar rapidamente (por isso o nome “REM” – movimento rápido dos olhos).

Com o que eles sonham?

Infelizmente, não temos como entrar na cabecinha deles para ver exatamente com o que estão sonhando. Mas a Dra. Deirdre Barret, uma psicóloga da Harvard Medical School, acredita que, tal como humanos, os cães tenham sonhos relacionados às experiências vividas durante o dia. Assim, é bem provável que os cachorros sonhem com os seus tutores.

Já os gatos, diz a Dra. Barret, aparentemente sonham mais com caçadas e outras aventuras. Tal descoberta foi possível quando um dos mais antigos pesquisadores do sono, Michel Jouvet, destruiu a pequena área no cérebro de gatos que é responsável por impedir os movimentos voluntários durante o sono. Quando dormimos e sonhamos, uma parte do nosso cérebro impede que nos movimentemos demais ou que saiamos caminhando durante o sono (alguns movimentos podem acontecer, por isso eventualmente podemos ver nossos cães “falando” dormindo, ou movimentando as patas como se estivessem correndo). Quando esta parte do cérebro foi inativada em gatos, então estes animais simulavam comportamentos de caça enquanto dormiam.

Quando o mesmo experimento foi feito com cães, eles também passaram a executar atividades que estariam ocorrendo em seus sonhos. O interessante foi observar que, conforme a raça, os comportamentos pareciam variar. Enquanto cães da raça Pointer pareciam farejar para procurar caça, Springer Spaniels perseguiam passarinhos imaginários, e Dobermans lutavam com “bandidos”.

O que fazer se o meu cachorro estiver tendo um sono muito agitado?

As experiências do dia afetam o sono do cão.
Imagem: Doggie Manners

Algumas pessoas podem achar assustador ver o seu cão se movimentando, simulando corridas, rosnando ou até mesmo latindo enquanto dormem. Mas isso é normal e natural, não sendo recomendável que se tente acordar um cão durante os seus sonhos. Ele pode se assustar e acabar te mordendo acidentalmente… ou, ainda, você estará simplesmente perturbando o sono dele sem necessidade.

Mas não confunda esta movimentação normal do sono com convulsões: as convulsões são repentinas, podem acontecer em momentos em que o cão esteja acordado, e os movimentos tendem a ser mais fortes desordenados. Depois de uma crise convulsiva, o cão acorda assustado e/ou desorientado. Se estiver na dúvida, filme o episódio e mostre para o seu veterinário.

Não sabemos com certeza se cães têm pesadelos. Mas, se você estiver preocupado com a qualidade dos sonhos do seu cão, a Dra. Barret dá uma dica: ela diz que, para humanos, a melhor forma de se conseguir bons sonhos durante a noite é tendo dias felizes, e dormindo uma boa quantidade de horas em um ambiente seguro e confortável. E, segundo a psicóloga, o mesmo vale para os nossos companheiros caninos!

Autora: Bárbara Gomiero

Formada em Medicina Veterinária pela UFPR em 2006, especialista em Clínica de Pequenos Animais. Apaixonada por cães, tem um amor especial pelos cães idosos, e trabalha para levar conhecimento e informação aos seus tutores, para que esses sejam capazes de proporcionar uma excelente qualidade de vida nessa fase tão delicada de seus cãezinhos.

Comments are closed