Um hábito mais que desagradável - Meu Cão Velhinho

Um hábito mais que desagradável

É realmente intrigante para um tutor ver o seu cão – bem alimentado, bem cuidado limpinho – de repente passar a revirar as lixeiras da casa. Enquanto este tipo de comportamento pode parecer mais uma das diversas travessuras dos filhotes, ou um hábito que pode ter se perpetuado em animais que foram resgatados das ruas, os tutores pode ficar bem confusos quando ele começa a aparecer num cão já idoso e que, aparentemente, nunca teve motivo para querer comer lixo.

lata de lixo

Por que os cães mexem no lixo?

Os motivos podem ser vários, vamos citar alguns:

  1. Fome. É um pouco óbvio, mas não custa mencionar. Um cão faminto irá procurar comida em qualquer lugar, especialmente no lixo.

  2. Tédio e ansiedade. Boa parte dos cães, quando está entediado, apenas dorme. Mas alguns procuram coisas para fazer, e essas coisas nem sempre são muito “produtivas”… Mesmo estando bem alimentado, o cão pode achar que o cheiro da lixeira é interessante – especialmente se algo apetitoso, como um resto de carne ou frango, foi jogado lá recentemente. Um lanchinho sempre vai bem! E, se o “tesouro” foi encontrado uma vez, certamente ele será procurado novamente.

  3. Carência afetiva. Parece estranho, mas, para os cães, ganhar “atenção negativa” é melhor do que não ganhar atenção alguma. Sabendo que irão provocar uma reação por parte de seus tutores (mesmo que esta reação seja uma bronca), muitos cães fazem isso apenas para conseguirem atenção.

  4. Deficiências nutricionais. Na falta de certos nutrientes – especialmente minerais e vitaminas -, o cão pode passar a buscá-los em fontes inadequadas. As “fontes” procuradas pelo cão podem ser as mais variadas, e ele pode passar a comer lixo e até mesmo as próprias fezes, terra, pedras, roer paredes, etc.

  5. Verminoses. Cães com vermes podem desenvolver deficiências nutricionais. Da mesma forma que no caso anterior, o cão passa a buscar os nutrientes em fontes inapropriadas.

  6. Uso de medicamentos. Existem medicamentos, como os corticóides e alguns anticonvulsivos, que podem aumentar o apetite do cão. Desta forma, mesmo que o cão esteja sendo alimentado adequadamente, ele irá continuar a procurar outros alimentos. O apetite tende a voltar ao normal após o término do tratamento; já o hábito de revirar o lixo….

  7. Doenças endócrinas e metabólicas. Certas doenças – dentre as quais se destacam o hiperadrenocorticismo (Síndrome de Cushing), a diabete e a Insuficiência Pancreática Exócrina – podem também aumentar o apetite do cão, fazendo com que busque novas fontes de alimento.

  8. Auto-recompensa. Qualquer comportamento que gere um resultado positivo será repetido. Para o cão, mexer no lixo é um comportamento que gera uma recompensa instantânea e automática: um “lanchinho gostoso”.  O cão pode mexer a primeira vez no lixo por curiosidade, ou até fome, mas pode manter o comportamento simplesmente porque gostou do resultado da sua exploração. Por isso também este hábito pode ser difícil de ser corrigido… por que valeria a pena parar com isso?

Este hábito é “apenas desagradável”, ou pode fazer mal ao meu cão?

Comer o lixo pode ser bem perigoso para os cães. Nós sabemos que cães de rua habitualmente se alimentam de lixo, porém estes animais são mais resistentes: são gerações e gerações de cães “selecionados pela natureza” para sobreviverem às infecções e a outros dissabores aos quais são expostos diariamente. Os mais fracos acabam morrendo cedo, e por isso os que chegam à idade adulta geralmente são bem resistentes.

cão comendo cenoura - lixo

Apesar de os cães de raça serem especialmente mais sensíveis, é claro que qualquer cão pode ter problemas decorrentes da ingestão de lixo – inclusive os resgatados das ruas! Os cães que comem lixo podem ter desde simples infecções intestinais, com vômitos e diarréia, até infecções mais graves como o botulismo. Também podem ocorrer obstruções intestinais, que é quando um objeto fica preso no trato digestivo do cão, impedindo a passagem dos alimentos, e até mesmo perfurações e rupturas, se o animal ingerir algum objeto pontiagudo como ossos de frango cozidos ou assados. As obstruções, perfurações e rupturas são emergências médicas que muitas vezes necessitam de cirurgias para serem corrigidas. O cão pode, ainda, desenvolver alergias alimentares, que resultam em problemas de pele, intestinais ou respiratórios.

Um outro risco importante são os envenenamentos e intoxicações, caso o cão venha a ingerir resíduos de produtos de limpeza e/ou de inseticidas, rodenticidas, e outros produtos perigosos.

Tem como corrigir este mau hábito?

O maior problema do hábito de revirar o lixo é que esta é uma atividade que se auto-perpetua, por permitir uma gratificação imediata. Ou seja: para o cão, o simples fato de mexer no lixo acaba gerando uma recompensa, que são as “guloseimas” encontradas. Por esta razão, mesmo que encontrada e solucionada a causa, o hábito tende a permanecer.

As principais formas de combater o problema são:

  1. Deixar fora do alcance – sempre que possível, elimine a tentação. Mantenha lixeiras fora do alcance do cão, seja mantendo as portas dos banheiros fechadas, seja deixando-as em locais elevados ou inacessíveis a ele.

  2. Tampar a lixeira – se a lixeira não for fácil de virar, uma tampa mais pesada pode solucionar o problema. Em muitos casos, as lixeiras com pedal são suficientes para evitar os “ataques caninos”.

  3. Pode-se tentar treinar o cão para parar de mexer no lixo; porém, como já mencionamos anteriormente, este pode ser um hábito difícil de quebrar. Se desejar tentar o treinamento, o ideal é procurar um profissional para auxiliá-lo. Alguns sites na internet dão dicas de como fazer este treinamento, mas seja crítico ao selecionar a técnica que irá utilizar: alguns métodos aversivos podem fazer mais mal do que bem.

Leve ao veterinário e trate a causa!

Como já mencionamos, o hábito de revirar o lixo pode estar ligado a doenças, verminoses, e deficiências nutricionais. Por isso, antes de dar uma bronca no seu cão, procure descobrir porque ele está agindo assim: ele pode estar tentando te dizer algo muito importante!

Autora: Bárbara Gomiero

Formada em Medicina Veterinária pela UFPR em 2006, especialista em Clínica de Pequenos Animais. Apaixonada por cães, tem um amor especial pelos cães idosos, e trabalha para levar conhecimento e informação aos seus tutores, para que esses sejam capazes de proporcionar uma excelente qualidade de vida nessa fase tão delicada de seus cãezinhos.

Comments are closed