Uma Vitamina Para Melhorar? - Meu Cão Velhinho

Uma Vitamina Para Melhorar?

“O meu cachorro está doente, posso dar uma vitamina para ele melhorar?”

Imagem: E-Magine Art em Flickr

Imagem: E-Magine Art em Flickr

Quando um cão parece não estar bem, ele provavelmente está doente mesmo. Mas “cachorro doente” é um termo muito genérico para que possamos propor um tratamento único e universal. Assim como as pessoas podem ser acometidas por inúmeras enfermidades, que variam desde unha encravada até câncer, passando por gripes, diarreias e artrites, os cachorros também podem. Devemos entender, portanto, que o primeiro passo para que o seu cão “melhore” é um diagnóstico. Diagnóstico é a correta identificação da doença que acomete o seu animal.

Feito o diagnóstico, será possível então se propor um tratamento específico para aquela doença. O tratamento pode incluir o uso, por exemplo, de antibióticos, antiinflamatórios, analgésicos, entre outros. O uso de vitaminas, minerais e/ou aminoácidos pode ser indicado em alguns casos, mas raramente a suplementação isoladamente será capaz de curar o animal. A não ser, é claro, que a enfermidade seja causada justamente pela falta de uma ou de outra vitamina.

O Que São Vitaminas?

As vitaminas são nutrientes, que devem fazer parte de uma alimentação equilibrada e saudável. Elas ajudam a manter as funções básicas do organismo, colaborando assim para uma boa saúde. Cada vitamina tem um papel diferente, de tal modo que a falta de cada uma delas na dieta pode causar problemas diferentes.

Uma dieta rica em vitaminas é importante para que o animal tenha uma boa imunidade e ótima saúde. Mas observe que estamos falando em dieta. As vitaminas devem vir dos alimentos, e dispensam suplementação se a alimentação estiver adequada. Em outras palavras, um animal saudável que tenha uma boa dieta não precisa de suplementos vitamínicos.

Imagem: DogMagzCom

 

Mas O Que Abunda, Não Prejudica, Certo?

Ao contrário da crença popular, o excesso de vitaminas pode sim fazer mal. Existe um problema chamado hipervitaminose, e ele ocorre quando há uma ingestão exagerada de determinada vitamina. A hipervitaminose é mais comum com as vitaminas lipossolúveis (como a vitamina A, D, E, e K), do que com as hidrossolúveis (vitaminas B e C), que são mais facilmente eliminadas na urina. Mas, mais importante do que isso, é o fato de que a hipervitaminose é muito mais comum quando o indivíduo usa suplementos do que quando ele obtém as vitaminas através dos alimentos.

Tal como acontece com as vitaminas, a suplementação excessiva com minerais, e até mesmo com aminoácidos, também pode prejudicar a saúde do seu cão. Desequilíbrios importantes podem acontecer entre os componentesdo sangue. Filhotes que sejam suplementados com proteínas podem desenvolver massa muscular muito rapidamente, forçando as articulações e causando problemas de crescimento ósseo e artrose. Cães com insuficiência hepática podem ter dificuldade para processar alguns suplementos, ao mesmo tempo que cães com insuficiência renal crônica podem entrar em crise renal por conta dos aminoácidos.

Estudos recentes vêm demonstrando que as vitaminas, minerais e aminoácidos são melhor aproveitados pelo organismo, quando estes são provenientes dos alimentos. E que, por outro lado, as versões sintéticas destes nutrientes parecem não serem capazes de trazer os mesmos benefícios que as naturais, além de terem maior probabilidade de causarem problemas relacionados ao seu excesso.

Então, Não Devo Suplementar Nunca?

Como o nome já diz, os suplementos alimentares serem  para suplementar – ou seja, para complementar a alimentação. Se a alimentação estiver adequada às necessidades do animal, portanto, não tem por que suplementar, como já mencionamos no início do artigo. Por outro lado, se for constatada a deficiência de alguma vitamina, mineral ou proteína, aí sim, a suplementação pode ser útil.

Animais que não estejam se alimentando bem, que estejam convalescentes, ou, ainda, que estejam passando por uma fase em que as suas necessidades estejam acima do que são capazes de ingerir na dieta, aí sim, podem se beneficiar da suplementação. Exemplos disso são cães com caquexia cardíaca, desnutrição, e fêmeas em fase de amamentação. Cães atletas eventualmente podem se beneficiar também, embora o ideal seja, na medida do possível, ajustar a dieta deles para suprir as suas necessidades.

cão magro

Cães convalescentes ou desnutridos podem se beneficiar de suplementos vitamínicos. Imagem: Tortorella Foundation

Acredito que o Meu Cachorro Se Enquadre Em Alguma Destas Situações Que Requerem Suplementação…

Se você tem motivos para acreditar que o seu cão precisa de suplementos alimentares, lembre-se, em primeiro lugar, de que eles não são tão inofensivos quanto parecem. O risco de hipervitaminose e de desequilíbrios hidro-eletrolíticos existe para todos os indivíduos. No caso de cães que tenham doenças específicas, como, por exemplo, insuficiência renal ou hepática, o risco da suplementação incorreta é ainda maior, já que estes animais podem ter dificuldade para “processar” determinados componentes de alguns suplementos.

A recomendação é, portanto, que você procure o seu médico veterinário para obter uma orientação adequada. Ele irá te ajudar a descobrir se o seu cão precisa ou não de algum suplemento, e  se for o caso, indicará aquele que trará maiores benefícios e menores riscos à saúde do seu animal.

Autora: Bárbara Gomiero

Formada em Medicina Veterinária pela UFPR em 2006, especialista em Clínica de Pequenos Animais. Apaixonada por cães, tem um amor especial pelos cães idosos, e trabalha para levar conhecimento e informação aos seus tutores, para que esses sejam capazes de proporcionar uma excelente qualidade de vida nessa fase tão delicada de seus cãezinhos.

Comments are closed