Piometra em cadelas

Nesta semana, vamos falar sobre um problema bem complicado, que chega a atingir 60% das cadelas não castradas com mais de 8 anos: a piometra!

O que é piometra?

cão triste

Imagem: Flickr

Piometra significa, literalmente, “pus no útero”. É uma infecção potencialmente fatal, que deve sempre ser tratada com urgência. O que exatamente causa a piometra ainda não está totalmente esclarecido, mas sabe-se que ela geralmente ocorre na fase do diestro, que é o período de até 70 dias que ocorre logo após o cio. Nesta fase, ocorre uma elevação nos níveis de progesterona, o hormônio responsável pela manutenção da gravidez – diferentemente das mulheres, nas cadelas, a quantidade deste hormônio se mantém elevada por todo o tempo de duração de uma gestação normal, ainda que ela não esteja gestante! Isso também explica a tão comum ocorrência da pseudociese, ou “gravidez psicológica”.

 

O fato é que, com altos níveis de progesterona, o útero começa a produzir mais secreções, aumenta de tamanho, e sofre uma diminuição na quantidade de células de defesa, o que facilita a proliferação de bactérias. Esta condição é conhecida como Hiperplasia Cística Endometrial (HEC), que, por si só, não representa risco e pode passar despercebida. Apesar das evidências de que a HEC facilita a infecção uterina, não há um consenso de que ela seja uma condição necessária para a ocorrência da piometra. O problema ocorre quando, nesta fase de diestro, as bactérias entram e causam infecção. Na maioria dos casos, as bactérias causadoras da piometra são aquelas da flora normal da vagina das cadelas, de modo que não é preciso um estímulo externo para a doença acontecer.

 

A piometra é classificada em dois tipos: “aberta” e “fechada”. Na piometra aberta, o conteúdo que está dentro do útero (muco, pus, sangue) sai pela vagina, na forma de um corrimento que pode ser mais ou menos intenso. Na fechada, não há corrimento, e o útero aumenta de tamanho conforme mais pus se acumula. A piometra fechada é considerada mais perigosa do que a aberta, não só por ser menos “óbvia” para o tutor, mas também pelo alto risco de ruptura uterina e contaminação de toda a cavidade abdominal. Em ambos os casos, a cadela fica deprimida, sente dor, e para de se alimentar. Se não tratada, a piometra pode causar insuficiência renal aguda e infecção generalizada, levando à morte.

 

Como funciona o tratamento?

Apesar de ser possível um tratamento medicamentoso, a cirurgia é quase sempre a melhor opção. O tratamento com medicamentos somente é indicado para fêmeas jovens que serão utilizadas para reprodução, e SE a piometra for aberta. O tratamento é contra-indicado nos casos de piometra fechada, bem como para animais idosos, com problemas renais, hepáticos, ou outras doenças concorrentes. Durante o tratamento, há risco de ruptura uterina e os índices de recidiva (retorno da infecção dentro dos 25 meses seguintes) chega a 70%. Por esta razão, caso se opte pelo tratamento medicamentoso para manter a capacidade reprodutiva da fêmea, é indicado que a cadela seja coberta já no próximo cio, e, caso a piometra volte a ocorrer, ela deverá ser operada.

 

Como já colocamos, para a maioria dos casos a cirurgia é a melhor solução. A cirurgia da piometra nada mais é do que uma castração (retirada do útero e ovários), porém com um risco aumentado, devido à frágil condição de saúde da fêmea e à possibilidade ruptura do útero durante o procedimento. Quanto mais cedo for operada, melhor será a chance de a cadela se recuperar. Após a cirurgia, ela deverá tomar antibióticos por pelo menos 10 dias.

útero de cadela com piometra

Útero de cadela com piometra.
Imagem: Wikipedia

Tem como prevenir?

A única forma de realmente evitar a piometra é pela castração. Já para cadelas não castradas, o que se pode fazer é evitar o uso de anticoncepcionais, que têm sido ligados a um aumento na incidência da doença, principalmente em fêmeas jovens (com menos de 6 anos); mas, mesmo sem o uso de anticoncepcionais, ainda assim elas poderão ter piometra em idade mais avançada.

Cadelas castradas podem ter piometra?

Apesar de incomum, pode ocorrer a chamada “piometra de coto uterino”. O “coto uterino” é o pedacinho do útero que permanece na cadela após a cirurgia da castração. Geralmente a piometra de coto acontece quando, na cirurgia de castração, os ovários não são completamente removidos, ficando parte(s) dele(s) dentro da fêmea. Em casos assim, a cirurgia é indicada não apenas para corrigir a piometra, mas também para a remoção completa dos vestígios dos ovários, que podem se transformar em tumores.

Autora: Bárbara Gomiero

Formada em Medicina Veterinária pela UFPR em 2006, especialista em Clínica de Pequenos Animais. Apaixonada por cães, tem um amor especial pelos cães idosos, e trabalha para levar conhecimento e informação aos seus tutores, para que esses sejam capazes de proporcionar uma excelente qualidade de vida nessa fase tão delicada de seus cãezinhos.

Comments are closed