Acabe com comportamentos destrutivos do seu cão - Meu Cão Velhinho

Acabe com comportamentos destrutivos do seu cão

Cedo ou tarde, todo tutor passa por momentos de tensão ao encontrar algum objeto seu roído ou destruído pelos seus anjinhos de quatro patas… Ainda que alguns casos possam ser considerados cômicos, outros podem acabar gerando grandes prejuízos aos tutores ou até mesmo à saúde dos nossos cães.

Imagem: Iris Cor de Mel

Por Que Os Cachorros Mastigam Objetos?

O ato de roer faz parte do comportamento natural dos cães. No caso dos filhotes, colocar objetos na boca faz parte do processo de aprendizagem. Desta forma, eles obtêm informações importantes sobre o ambiente à sua volta e sobre o mundo – acontece também com os filhotes humanos! Eles também roem para aliviar o desconforto causado pelo nascimento e/ou troca dos dentes

Já os adultos roem para limpar os dentes, bem como para combater o tédio, o estresse e a ansiedade. Uma vez que compreendem que isso desperta a atenção dos seus tutores, podem passar a usar esta “arma” sempre que estiverem se sentindo meio “deixados de lado”…

O que fazer para evitar comportamentos destrutivos?

1. Redirecione

Compreenda, antes de mais nada, que roer é um comportamento natural. Os cães gostam de roer, e não vale a pena remar contra a maré: ao invés de tentar “bloquear” o comportamento, ofereça alternativas. Algo do tipo – você não pode roer o meu sapato, mas pode roer este osso aqui. No caso de filhotes, em que o comportamento é mais intenso, é importante haver vários brinquedos disponíveis para esta finalidade.

Tome o cuidado, entretanto, de escolher brinquedos seguros e adequados ao tamanho e força de cada animal. Enquanto uma bolinha “pula-pula” pode ser um bom brinquedo para um cão bem pequeno, um cão grande pode se engasgar com ela. Prefira brinquedos que não corram o risco de serem engolidos acidentalmente, e que não se quebrem, tenham pontas, ou se desmanchem. Tecidos, enchimentos e pelúcias podem ser perigosos.

Uma vez que o seu cachorro tenha um ou mais brinquedos “permitidos”, então mostre a ele o que pode ou não pode. É importante que os brinquedos dele sejam bem diferentes do resto da casa, para que ele consiga identificá-los com facilidade. Oferecer um sapato velho, por exemplo, pode ser contraproducente: não espere que o seu cachorro saiba quais sapatos você ainda usa ou não.

Imagem: Recreo Viral

2. Exercite

Um cachorro cansado é um cachorro feliz. Para os cães, roer objetos é uma forma de combater o tédio, o estresse, e a ansiedade. Mas não há forma melhor de combater estes problemas do que com uma boa caminhada! Se o cachorro ficar bem cansadinho após um passeio, ele não vai nem se lembrar de ficar roendo o seu sofá: vai apenas querer descansar e relaxar.

Os passeios também fornecem momentos importantes para fortalecer o relacionamento entre tutor e cão, diminuindo a “carência afetiva” e a ansiedade por separação.

3. Brinque

Brincar com o cachorro diariamente, mesmo que em sessões curtas de cinco minutos, ajuda a direcionar a energia dele para atividades menos nocivas. E, claro, fortalece o relacionamento entre cão e tutor.

Alguns brinquedos interativos, como o Kong, oferecem desafios mentais ao cão, mantendo-o ocupado e entretido por bastante tempo. Ótimo inclusive para quando ele estiver sozinho.

4. Corrija

Não adianta punir um cachorro por agir como um cachorro. Os filhotes em geral ainda não sabem quais objetos são permitidos ou não. Os adultos, muitas vezes até sabem, mas acabam roendo o que não devem por falta de opções, para conseguir atenção, ou para aliviar o estresse. Se o seu cachorro já tem uma alternativa adequada de brinquedo para roer, se ele está sendo exercitado, e não sofre de problemas como a ansiedade por separação, está na hora de dar uma “ajudinha” a ele para diferenciar o que pode ou não pode.

Se “flagrar” o cão roendo o que não deve, diga “não”, retire o objeto dele, e apresente uma alternativa. Mas cuidado: não corra atrás do seu cachorro se ele tentar fugir com o objeto, pois, assim, a brincadeira ficará muito mais divertida para ele. Se o seu cão tem o hábito de fugir com “objetos preciosos”, coloque uma coleira nele, e pise na guia se ele tentar fugir.

Se ele tiver um ou mais objetos “favoritos”, você pode tentar aplicar um “repelente de cachorro” nestes objetos, tornando-os menos atrativos. Os “repelentes de cachorro” possuem odor e sabor desagradáveis para o cão, ajudando a evitar a destruição.

5. Tenha expectativas realistas

O seu cão pode ser muito educado, mas não conte com o autocontrole dele para não devorar um frango assado bem na altura do seu focinho (ou facilmente alcançável de outras maneiras). Quando o desafio é muito grande, pode ser melhor e mais fácil para todos, simplesmente deixar o objeto que tanto atrai o cachorro, fora do alcance dele. Para isso, você pode impedir que ele entre sozinho em determinados ambientes da casa (basta fechar a porta!), ou guardar estes objetos em locais que o cão consiga abrir.

Certifique-se também de deixar fora do alcance do seu cachorro objetos de valor – dinheiro, documentos, jóias, etc. -, ou que possam feri-lo ou fazer mal a ele (agulhas, fios elétricos, panelas quentes, venenos, produtos de limpeza, etc.).

Alguns maus hábitos, como mexer no lixo, podem ser bem difíceis de combater. Inclusive, já fizemos um artigo especificamente sobre isso (leia aqui). Caso tenha dificuldade para lidar com o seu “furacãozinho”, não hesite em pedir ajuda profissional!

Autora: Bárbara Gomiero

Formada em Medicina Veterinária pela UFPR em 2006, especialista em Clínica de Pequenos Animais. Apaixonada por cães, tem um amor especial pelos cães idosos, e trabalha para levar conhecimento e informação aos seus tutores, para que esses sejam capazes de proporcionar uma excelente qualidade de vida nessa fase tão delicada de seus cãezinhos.

Comments are closed