outubro 31

Se o seu cão está tossindo, preste atenção: ele pode estar com insuficiência cardíaca

229  comENTÁRIOS

A Insuficiência Cardíaca Congestiva (ICC) esquerda é um problema que acomete principalmente os cães maduros ou idosos de pequeno porte. Ele ocorre por conta de uma falha na valva mitral (uma “portinha”, que separa o átrio do ventrículo esquerdo), que permite que o sangue volte de um compartimento para outro do coração. A causa dessa falha pode variar bastante: pode ser um problema genético, pode ser uma doença degenerativa, ou até mesmo uma infecção (comumente causada por bactérias que se deslocam dos dentes com doença periodontal para o coração).

 

poodle insuficiencia cardiaca
Cães de pequeno porte são mais propensos à insuficiência cardíaca (ICC) esquerda

Os cães que têm essa falha apresentam o chamado “sopro cardíaco“, que é um ruído diferente que o veterinário ouve enquanto examina o coração, e que ocorre por conta do barulho que sangue faz quando volta de uma câmara para outra. Em condições normais, o sangue flui apenas dos átrios para os ventrículos (ver esquema abaixo); no caso destes pacientes, parte do sangue do ventrículo esquerdo volta para o átrio. O sopro indica apenas que o coração está doente, mas não necessariamente insuficiente. Quer dizer: mesmo com o sopro, há muitos indivíduos cujos corações continuam dando conta do recado normalmente – e não precisam ser medicados, nem necessitam de cuidados especiais.
Quando o coração deixa de conseguir bombear corretamente o sangue é que se diz que o cão tem insuficiência cardíaca. É nesse momento que ele começa a apresentar sinais, como cansaço, sono excessivo, e a característica tosse seca (que parece um engasgo). Além dos sinais e do sopro, o diagnóstico pode ser confirmado com o auxílio de radiografias e do ecocardiograma. O eletrocardiograma destes cães costuma ser normal, e, por isso, este exame não tem grande valor diagnóstico para estes casos. Uma vez confirmada a insuficiência, o cão precisa ser tratado. O tratamento, geralmente feito com diuréticos e outras medicações anti-hipertensivas, associadas a uma dieta diferenciada, visa a diminuir o volume de sangue a ser bombeado pelo coração, de modo que ele não precise se esforçar tanto. O cão ainda pode fazer exercícios, porém, estes devem ser moderados.

É importante ressaltar que este problema não tem cura; o tratamento apenas retarda a sua progressão, e dá conforto respiratório ao animal. Os medicamentos usados no tratamento da insuficiência cardíaca infelizmente possuem efeitos colaterais, e podem acabar afetando os rins (cabe notar que o simples fato de haver um problema cardíaco já costuma ter efeitos negativos sobre os rins). Os pacientes que estão em tratamento para insuficiência cardíaca devem ser acompanhados de perto pelo veterinário, e podem precisar de reajustes e trocas de medicamentos conforme o problema for progredindo.

Nos vídeos abaixo, é possível reconhecer a característica tosse, decorrente deste problema tão comum:

 

 

Quer entender como funciona?
O sistema circulatório normal, de forma simplificada, funciona conforme o esquema abaixo:

 

ICC esquerda 1

 

O lado esquerdo do coração recebe o sangue com oxigênio que vem dos pulmões, e o distribui para o corpo; após passar pelo corpo todo, o sangue sem oxigênio retorna ao coração – pelo lado direito -, que, por sua vez, o envia de volta para os pulmões, onde receberá oxigênio novamente para recomeçar o ciclo.

 

Entre o compartimento de entrada (átrios) e de saída (ventrículos) do coração, existem as chamadas “valvas cardíacas”, que impedem que o sangue retorne para o compartimento anterior enquanto é bombeado. Nos cães que têm a valva mitral (a do lado esquerdo) muito fraca por alguma razão (pode ser um defeito congênito, uma doença degenerativa, ou até conseqüência de uma infecção), o sangue consegue voltar do ventrículo para o átrio, conforme o esquema abaixo. Isso produz um som, que o médico veterinário pode ouvir durante a auscultação, e que se chama sopro.

 

ICC esquerda 2

 

Por algum tempo (em alguns pacientes, durante a vida toda), o coração consegue continuar funcionando normalmente mesmo com este retorno. É por isso que o simples fato de um cão ter sopro não justifica o tratamento médico. Os sopros costumam ser classificados em “graus”, conforme a sua intensidade; o grau do sopro, entretanto, não está relacionado com a gravidade do problema. Alguns pacientes podem ter ICC grave com sopro de grau I (sopro de baixa intensidade), enquanto outros chegam ao sopro de grau VI (sopro forte) perfeitamente bem.

 

O problema acontece quando o coração não consegue mais dar conta de bombear o sangue regularmente, porque ele começa a se acumular no átrio esquerdo (vide esquema abaixo). O coração não mais consegue levar oxigênio o suficiente para todas as partes do corpo, por isso o animal passa a dormir mais e economizar energia. Até o momento, tínhamos apenas um cão com doença cardíaca; a partir de agora, ele passa a ter insuficiência cardíaca, e precisa ser tratado para não atingir o próximo estágio:

ICC esquerda 3

 

Neste ponto, a pressão dentro do coração começa a aumentar, e ele fica sobrecarregado. Aos poucos, para comportar o grande volume de sangue acumulado, o átrio começa a aumentar de tamanho (o que fica bem visível quando é feita uma radiografia). O coração grande pressiona a traquéia, causando a famosa tosse seca, que pode ficar mais ou menos intensa conforme a posição do animal e o seu esforço físico:

 

ICC esquerda 4

 

Quando a pressão dentro do coração fica alta demais para ele suportar, o sangue passa a se acumular não apenas dentro dele, mas também na veia que vem do pulmão. Quando a pressão na veia pulmonar fica alta demais, começam a acumular líquidos no pulmão, caracterizando o edema pulmonar:

 

ICC esquerda 5

 

O edema pulmonar marca o auge da ICC esquerda. Trata-se de uma emergência, e que pode culminar com a morte do animal. Para conter o edema pulmonar, os médicos veterinários fornecem altas doses de diuréticos, e também oxigênio para o paciente.


Você também pode gostar:

  1. Olá Dra. Gostaria muito da sua ajuda. Tenho uma Yorkshire de 1 ano e 6 meses e em janeiro ela apresentou um desmaio depois de ficar muito agitada. Levei para o vet imediatamente e disseram que não era nada. Informei que estava suspeitando de algo no coração, pois ela ficou muito ofegante. Eu mesma solicitei um RaioX para ver o tamanho do coração, como imaginei o coração estava com um volume maior que o normal. Em seguida fizemos um eletro e deu o seguinte laudo: Arritmia sinusal, Sinais eletrográficos sugestivos de sobrecarga no ventrículo direito e Sinais eletrográficos sugestivos de desequilíbrio eletrolítico ou hipoxia do miorcardio no momento do exame. O veterinário não me explicou absolutamente nada, apenas receitou um remédio com o nome Fortekor5 e disse que ela iria melhorar. Não estou sentindo melhora no quadro, pois desde que iniciou a medicação ela já teve 2 desmaios( deu uma carreira). Estou aguardando o dia da consulta de um veterinário cardiologista (na cidade não tem)e enquanto isso estou evitando ao maximo ela fazer esforço, das umas carreiras que ela gosta, essas coisas normais na vida de um cachorro. Estou muito abalada emocionalmente, pois ela é como se fosse minha filha. Também estou grávida de quase 4 meses do meu primeiro filho(a) e estou com muito medo que ela não conheça o seu irmão(a). O que ela tem é muito grave Dra ?

  2. Dra. Sou de Niterói Rio de Janeiro, minha veterinária me falou praticamente tudo o que vc descreveu nesta materia. Meu cão é um Lhasa apso e esta com 13 anos, tem sopro e quase o perdi, a veterinária me receitou diureticos remedios para pressão e o Piobendam, gostaria de saber como ele age neste casa de insuficiência cardíaca? Obrigado!

    1. Olá, Ronaldo!
      Pi***n age fortalecendo os batimentos cardíacos e dilatando os vasos sanguíneos para que o coração não fique tão sobrecarregado. O seu uso no tratamento das insuficiências cardíacas é relativamente recente, mas tem tido muito bons resultados (lembrando que, como coloquei no artigo, não há cura para esta doença, mas é possível mantê-la sob controle com medicamentos como este e outros).

  3. Dra me ajuda. Tenho um Pug q vai fazer 14 anos. Uns 2 anos atrás ele apresentou um tipo de falta de ar onde ele ao tentar buscar ar fica fazendo um barulho de ronco, sinto a ele tá sofrendo, começou hj. Inclusive não come e já se urinou duas vezes. Pela manhã dei fortkor a ele, mesmo tratamento que comecei quando ele apresentou isso. Problema q desta vez veio muito severo. A algo mais que eu possa fazer? Veterinário aqui eh muito longe e ele n iria suportar o deslocamento devido ao stress.

    1. Olá, Armando!
      Esta medicação que você citou é usada para o tratamento de doenças cardíacas, e o seu uso é contínuo – ou seja, uma vez iniciada a terapia, a não ser que o seu veterinário recomende de forma diversa, ele deve continuar tomando pelo resto da vida. Conforme coloquei no artigo, os tratamentos das doenças cardíacas devem ser revisados pelo menos a cada 6 meses, já que este tipo de problema é progressivo e as medicações que funcionaram por um tempo podem deixar de ser suficientes ou eficazes.
      Somente o profissional que acompanha o seu cão pode recomendar mudanças no tratamento.
      Se o seu cão não pode ser deslocado até o veterinário, veja se o vet atende a domicílio. Muitos atendem 😉

      1. Ou Dra. Infelizmente ele faleceu por insuficiência respiratória, poucas horas depois de eu ter feito a pergunta. Mesmocassim agradeço 🙁

  4. Bom dia Bárbara, achei teu texto bastante esclarecedor, por isso resolvi te questionar sobre o caso da minha Preta, a 2 anos atrás uma cadela foi atropelada em frente a minha casa e quem atropelou não prestou socorro, então eu e meu noivo resgatamos ela, levamos ao veterinário e acabamos a adotando e se tornou nossa “Preta”. A princípio não aconteceu nada de grave decorrente a esse atropelamento, segundo os veterinários que já examinaram ela tem agora aproximadamente 11 anos, é uma SRD. Com o passar do tempo começou a apresentar umas convulsões bem fraquinhas (segundo o veterinário pré convulsões), foi feito exames de sangue e um Raio X, e o veterinário diagnosticou “problema cardíaco”, pois no Raio X o coração estava maior que o normal, segundo ele, falou que essas convulsões seriam decorrentes a esse problema. Foi receitado um remédio para ICC, o F******* 5, mas ela continuo com as convulsões, monitoramos nesse último ano, e durante todo o ano ela teve 5 pré convulsões. Estou com dúvida se ela tem mesmo alguma doença cardíaca, será que só com o Raio X dá pra saber se é, o único sintoma dela são as convulsões, ela não tem nenhuma tosse, mas se cansa fácil e fica ofegante. Será que essas convulsões não seriam consequência do trauma do atropelamento. E sei que esses medicamentos para ICC causam insuficiência renal, será que não estou medicamento ela sem necessidade. Se você puder me ajudar fico muito agradecida.

    1. Olá, Taína!
      Se o coração dela estava maior na radiografia, então é bem provável que ela tenha mesmo um problema cardíaco que precise ser tratado. Eu não recomendaria suspender o tratamento. Mas não é comum problemas cardíacos causarem convulsões…
      As convulsões devem ter outras causas, como o próprio acidente, uma epilepsia, ou um problema metabólico (como uma doença renal ou hepática – algo que pode ser verificado com exames de sangue). Recomendo a leitura deste artigo: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/outros-saude/convulsoes-em-caes/
      Uma consulta com um vet neurologista, se for possível, também pode ser uma boa ideia.

  5. Boa noite Dra! Que bom encontrar um local onde há tanta informação e orientação! Hj minha shitzu de 10 anos foi diagnósticada com problema cardíaco! O vet ainda não sabe se ela nasceu assim ou surgiu, como ela está c um probelma isolado de vômito e problema intestinal, ela tomou injeções anti- genética e antibiótica, para daqui uns dias fazer o exame de sangue! Estou mto preocupada, ele mostrou q o coração dela bate mto forte( não acelerado, c força mesmo como ser lá fosse um cão atleta, mas é mto sedentária), compense o músculo estivesse mais grosso! Sempre foi quieta e anda cada vez mais, mto diferente da filhote dela q é mto ativa e realmente tem a batida do coração diferente! Ela tb está c os olhos mto saltados, mto além do normal para uma shitzu! Ele disse q pode ser pressão alta! Porém aqui na cidade não há esprcialista e preciso q ela faça algum tratamento! Ela emagreceu e vi em seus vídeos q ela já teve algumas vezes essa tosse q parece um engasgo! Ela precisa d um ecocardiograma né?! Preciso trocar ração? Ela come atualmente purinha proplan! Estou mto preocupada, quero q ela tenha qualidade de vida e mtos anos mais! Me ajude, por favor!

    1. Olá, Sabrina!!
      Sim, um ecocardiograma seria bem-vindo para vocês terem um diagnóstico preciso do que está havendo com a sua cachorrinha. Com isso, poderão iniciar um tratamento adequado para o problema cardíaco dela.
      Se confirmado o problema cardíaco, então, sim, uma mudança na dieta pode ser recomendável. Neste caso, você pode optar por uma ração cardíaca, ou então adotar alimentação natural para ela. Caso se interesse, eu faço orientação nutricional online. Se quiser mais informações, escreva para contato@meucaovelhinho.com.br

  6. Boa tarde Dra. , meu dachshund de 9 anos apresentou dispneia e foi encontrado um edema pulmonar leve, e aumento de câmaras cardíacas e aumento de calibre de veia caudal e desvio dorsal da traqueia, através de RX. Esta sendo tratado com benazepril, dexametasona e digoxina, porem não apresenta melhoras depois de 1 mês de tratamento, continua com a respiração curta e leve cansaço, devo procurar outro profissional ter uma segunda opiniao? Desde Ja agradeço.

    1. Olá, Douglas!
      No tratamento das doenças cardíacas, não existem doses “padrão”… normalmente, é preciso experimentar diferentes dosagens e mesmo combinações de medicamentos até que se chegue a um protocolo que funcione para AQUELE paciente. Cada paciente pode precisar de medicamentos diferentes, em doses diferentes.
      Por conta disso, caso não haja uma boa resposta do animal ao tratamento proposto inicialmente pelo profissional, é recomendável voltar ao veterinário para que ele possa revisar as doses e medicamentos utilizados. Esta revisão deve ser feita novamente pelo menos a cada 6 meses, já que a doença é progressiva.
      Então, minha recomendação seria que você voltasse ao profissional que já atendeu o seu cão… mas, caso não se sinta seguro com a conduta adotada por ele, você pode sim procurar uma segunda opinião. Neste caso, de preferência procure um vet especialista em cardiologia para atendê-lo.
      Melhoras para ele!
      Um abraço!

      1. Grato pelo seu tempo Dra. levei em outra clinica, porem o quadro dele evoluiu para uma pneumonia ha 6 dias…estamos tratando com amoxilina, porem sem melhoras ainda, emagreceu muito, e tem perdido apetite gradativamente. Estamos apreensivos, com medo de perder ele.

  7. E verdade que Edemar pulmonar não tem cura? Nossa maltês de 11anos morreu ontem, depois de dois dias internada ela teve alta com leve edema, mas exatamente 1 hora depois ela não consegui respirar em casa, tentamos levar na veterinária, mas veio a óbito. Fiquei surpreso do quadro ter evoluído tão rápido e me questiono se a veterinária agiu correto e dar alta ou mesmo ter tido outra conduta (como drenar o pulmão) antes de liberar ela. Estamos sofrendo muito, sei que nada vai trazê-la de volta, mas queria tirar essa dúvida se eu ou o médico podíamos ter agido diferente e salvada a vida dela.. obrigado

    1. Olá, Marcelo!
      Sinto muito pela sua perda… =(
      O edema pulmonar pode mesmo evoluir bem rapidamente. Sobre a conduta do profissional, infelizmente não tenho como opinar, pois não sei exatamente em que condições ela foi liberada ou que cuidados foram tomados na clínica.
      Que Deus lhe abençoe e dê força neste momento tão difícil!

  8. Boa tarde, a minha poodlezinha de 11 anos começou com essa tosse e teve uma crise respiratória, levando a uma vetcardio e através de exames constatamos insuficiência cardíaca o problema na válvula e o edema pulmonar, desde então ela está medicada e bem, o problema é que ela tomou 2 meses de diuréticos (30 dias de furosemida e 30 dias de espironolactona) que foi suspenso agora no dia 09/01/2018, só que ela agora está com incontinência urinária, mesmo depois de 1 mês sem tomar o diurético, a minha pergunta é será que essa incontinência vai cessar? Como o pulmaozinho dela estava com muita água, ela deveria continuar com o diurético? Estou com muita dúvida.
    Obrigado Dra.

  9. Boa noite!
    Minha poodle de 10 anos tem tossindo de um ano para cá. Fiz um raio x e não indicou aquele problema de traquéia caída. Perguntei à veterinária se não seria algum problema cardíaco e ela disse que pelo raio x e exames de sangue que fez não indicava nada…gostaria de uma luz, porque ela continua tossindo…

    1. Olá, Carlanne!
      O colapso de traqueia realmente não tem cura, a não ser que seja feita a cirurgia corretiva. Esta cirurgia, porém, pode ter algumas complicações, e por isso ela só é indicada para os casos mais severos (não sei se é o caso da sua cachorrinha ou não – a sua veterinária é quem deve avaliar isso).

      Se for um caso mais moderado de colapso de traqueia, na maioria das vezes é possível conviver razoavelmente bem com o problema. O cão apresenta tosse, mas esta tosse não representa grandes riscos para a sua integridade física ou bem-estar. Às vezes podem ser prescritas medicações para diminuir a irritação na traqueia (quando presente) ou para tentar fortalecer os anéis traqueais. Porém, como já falei anteriormente, não tem como realmente resolver o problema sem a cirurgia.

      De toda forma, se você estiver em dúvida quanto ao diagnóstico, ou suspeitar que a sua cachorrinha tem problemas cardíacos, pode ser interessante procurar uma segunda opinião – se possível, de um cardiologista veterinário.

      Um abraço!

      1. Obrigada pela resposta! Pelo raio x feito a veterinária disse que não era colapso de traquéia.
        Aqui em minha cidade não há especialista, apenas veterinário geral. Quais exames eu devo solicitar para diagnosticar ou descartar problemas cardíacos?
        Mais uma vez, obrigada!

      2. Outra coisa que tenho percebido é que ela tosse se coçar o pescoço, o tórax, também tosse se colocarmos ela de barriga para cima deitada mais alta (se tiver retinha não tosse).

  10. Olá Doutora! Minha cachorrinha tem 10 anos e de um tempo para cá andou tendo essa tosse, fui esses dia no cardio e ele o resultado foi Endocardiose, alteração na válvula mitral, refluxo mitral intenso e prolapso do folheto septal. Ele disse que o Atrio está bem aumentado e que tem sopro. Ela só apresenta de sintoma essa tosse e ela está muito bem disposta. Ele passou vários remédios e estou com medo de dar pois existem efeitos colaterais… tenho medo que ela desenvolva outros problemas e fique ruim com os remédios. Gostaria de um tratamento mais natural. Ele disse que esse problema dela é progressivo e que o remédio só ajuda a não piorar muito. Vc conhece algum cardio que tenha uma visão mais holística de tratamento no Rio de Janeiro? Penso que alimentação e exercícios devem ser importantes tb mas eles nem citam isso. O que vc acha sobre não dar os medicamentos? Obrigada! Estou precisando de uma luz!

    1. Olá, Caterine!
      Infelizmente, o seu cardiologista tem razão… esta doença é progressiva, e os medicamentos não são capazes de curá-la – apenas evitam que piore muito. Compreendo que esteja com receio por conta dos efeitos adversos. Eles podem ocorrer mesmo… MAS considero extremamente arriscado deixar um cão com insuficiência cardíaca congestiva sem medicação. É uma questão de custo x benefício, ou do que seria talvez o “menos pior”, entende? as doses utilizadas dos medicamentos devem ser as mais baixas possíveis que sejam eficazes para o paciente, para que ele seja mantido estável.

      Não medicar implica num risco grande de que o cão acabe entrando em edema pulmonar e falecendo rapidamente.

      A alimentação e os exercícios são excelentes aliados no tratamento das cardiopatias sim, e podem até mesmo diminuir a necessidade do uso dos medicamentos (mas não excluir). Inclusive, falo bastante sobre isso neste artigo aqui: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/nutricao/como-tratar-cardiopatias-de-forma-natural/

      Eu faço orientação nutricional online, porém, no momento, estou com bebê recém-nascido e por esta razão temporariamente não estou atendendo. Mas estou reabrindo algumas vagas na minha agenda para o mês de março… caso tenha interesse, escreva para contato@meucaovelhinho.com.br para que eu possa te passar mais informações.

      1. Obrigada Doutora pela luz. Fico sem saber o que fazer e com muito receio. Minha cachorrinha é pequena e deve ter um pouco menos de 5 quilos.Ele receitou: Benazepril 1,5mg Sildenafil 3mg-BID Pimobendan 1mg- BID Furosemida 8mg BID. 3 vezes ao dia. Ainda não dei, estou com receio… o que vc acha dessa medicação, dosagem e frequência? Eu mudei a alimentação dela para ração canina cardíaca da Royal Canin por conta própria e não dou mais petiscos, somente cenoura, pepino, maçã e pera. Devo dar esses medicamentos mesmo?

        1. Olá, Caterine!
          Não há protocolos “padrão” para o tratamento de doenças cardíacas em cães… Normalmente, o profissional indicará determinados medicamentos e dosagens conforme a necessidade de cada paciente (a depender do tipo de problema diagnosticado, a evolução da doença, os sinais apresentados, o nível de atividade do cão, etc.), e depois de um tempo faz ajustes na terapia se precisar.

          É normal que o tratamento proposto inicialmente precise ser reajustado, tanto em relação às doses quanto aos medicamentos utilizados. Uma vez estabelecida a terapia inicial, é recomendável retornar ao veterinário pelo menos a cada 6 meses para revisar o tratamento, já que a doença é progressiva.

          Recomendo que siga as orientações do seu médico veterinário, e mantenha-o informado em relação às reações da sua cachorrinha. Qualquer coisa que não lhe pareça normal, comunique a ele. Se sentir que não fez diferença, avise também. Após uma semana ou duas, é esperado que o cão já esteja melhor.

          Mas, caso não se sinta confiante com a conduta do profissional que lhe atendeu, então procure uma segunda opinião antes de iniciar o tratamento, caso já não o tenha feito.

          Melhoras para ela!

  11. Boa tarde Bárbara, achei o artigo muito bom e esclarecedor. Meu cachorro foi diagnosticado com ICC e agora fará o Eco. Parabéns pelo artigo.

  12. ola boa noite meu poodle tem 16 anos , e estou com o mesmo problema descrito pelo Fabricio como devo tratar isso .

    1. Olá, Nivaldo! O tratamento deve ser orientado pelo seu médico veterinário.
      Observo ainda que, se o seu cão apresenta o mesmo tipo de alteração que o cão do amigo Fabrício abaixo (chega a ficar inconsciente, para de respirar, fica com a língua roxa ou azulada, e/ou fica espumando pela boca ou pelo nariz), isso é uma emergência e o cão deve ser encaminhado ao hospital veterinário imediatamente, em qualquer hora do dia ou da noite.

      1. ola acho que não me expressei de forma correta , não fica inconsciente, apenas tosse muito, fiz um ecocardiograma e nada foi constatado segundo o veterinário trata-se de um problema na traquéia esta sendo ministrado um medicamento porém sem muita eficácia pois o animal continua tossindo percebi que no momento do banho ele fica incomodado quando esfrego a região do pescoso fica nervoso e consequentemente começa a tossir me de uma luz por favor obrigado .

        1. Olá, Nivaldo! Pela sua descrição, me parece que o seu cão foi diagnosticado com colapso de traqueia. Este é um problema com o qual, na maioria das vezes, é possível conviver razoavelmente bem. Os medicamentos prescritos normalmente se prestam a diminuir a inflamação na traqueia, quando presente, para facilitar a respiração e diminuir a tosse. Em alguns casos, também podem ser prescritos medicamentos para fortalecer as cartilagens da traqueia.

          Mas é um problema que não tem cura – ou, pelo menos, não tem como curar usando medicamentos. A única solução definitiva para o colapso de traqueia é a cirurgia. Mas, por ser algo mais radical e com alguma chance de complicações pós-operatórias, a cirurgia corretiva do colapso de traqueia normalmente é reservada para casos mais extremos – ou seja, quando o cão tem crises muito frequentes e fortes, chegando a perder a consciência ou a ter a qualidade de vida comprometida.

          Como não examinei o seu cão, não sei dizer se o caso dele teria indicação cirúrgica ou não. Mas, se você acredita que o seu cão pode ser um candidato à cirurgia, converse com o seu veterinário sobre isso.

  13. Oi, minha cadela apresenta essa tosse engasgada e por duas vezes ela ficou inconsciente com parada respiratória, tive que enfiar o dedo na boca dela para poder respirar, como se a língua estivesse obstruindo a passagem do ar. O que deve ser, e o que devo fazer? A veterinária disse que é coração grande e me receitou um remédio.

    1. Olá, Fabrício. É possível que a sua cadela tenha entrado em edema pulmonar. Caso isso ocorra novamente, não perca tempo e leve-a imediatamente ao hospital veterinário, independente do dia ou horário.

  14. Gostaria de saber se eles sentem dor? Pq mesmo com o medicamento o meu York n parou do tossir, e tem dias que ele nem come. Ele está sofrendo?

  15. Boa tarde. Tenho um pinscher de 1 ano e 8 meses. Ele tosse muito quando bebe agua, parece que fica engasgado. O que pode ser? Obrigada.

    1. Olá, Rose!
      É possível que ele esteja simplesmente muito afoito e por isso acaba se engasgando. Mas ele também pode ter algum problema de laringe, megaesôfago, ou outros problemas que dificultem a deglutição. Por conta disso, é importante levar o seu cão ao veterinário para ser examinado.
      Um abraço!

  16. Olá, adotamos uma cachorrinha idosa, e depois de algum tempo desenvolveu tosse, levamos na Clínica Veterinária que atende nossos demais animais ( por ser de confiança e bem equipada), e depois de Ultrassom, RX e exames de sangue, foi constatado Insuficiência Cardíaca, e quase insuficiência renal, e mais algumas situações, que ficou uns 20 dias em tratamento com várias medicações, e hje usa somente uma medicação específica para o coração.
    O tratamento terminou a um mês + -, e deverá retornar para fazer mais exames para comprovar a eficácia do tratamento.
    Porém com o medicamento Fortekor, ela está muito lenta, mudou o comportamento e por consequência tá engordando pois reduzi as caminhadas com ela, por indicação médica, e por isso está ficando obesa, e isso tá me preocupando.
    Ela só come ração, a Sênior, e a que não têm corante nem aromatizante, nem estas pastas e patês dou, devido ao sal que não pode consumir.
    Consultei a veterinária e me disse q é normal este comportamento mais lento, e de tempos em tempos desenvolve gravidez psicológica apesar de ser castrada, e usa Contralac pra secar o leite, só que na bula do Fortekor está bem claro que cachorras em lactação não podem usar este medicamento, mas a veterinária disse que pode, tô confusa>

    1. Olá, Vanessa!

      Primeiramente, é importante ressaltarmos que o medicamento usado para o tratamento da cardiopatia não causa alterações de comportamento e nem faz com que o cão fique mais “lento” ou cansado – estas alterações são típicas da cardiopatia em si. É importante, portanto, vocês fazerem um bom monitoramento deste problema cardíaco para saber se algum ajuste nas doses é necessário.

      Em relação ao ganho de peso, converse com a sua médica veterinária sobre a possibilidade de mudar para uma ração específica para a perda de peso (se ela já estiver gordinha), ou alterar a quantidade de ração que ela consome por dia. É fundamental também cortar os petiscos, ou então diminuir bastante (e optar sempre por opções saudáveis e de baixas calorias, como frutas e legumes). Outra opção é você procurar orientação nutricional para ela, para adotar uma alimentação natural. Em breve, nós estaremos oferecendo este serviço online aqui no site (nossa previsão é no início de 2018), mas, por hora, devo sugerir que procure um profissional na sua cidade.

      Por fim, devo dizer que não é normal uma cadela castrada ter gravidez psicológica. Vocês devem investigar a causa disso. Na maioria dos casos, isso está ligado à presença de vestígios de ovários que permaneceram após a castração. Quando isso acontece, é muito importante que os vestígios sejam retirados, pois eles aumentam bastante a chance de aparecerem tumores de mama.

      Não precisa se preocupar quanto ao uso do medicamento para a cardiopatia durante a lactação dela. A restrição na verdade existe porque a medicação passa para o leite, e, portanto, afetaria os filhotes. Mas, no caso, não há filhotes, portanto, não tem problema 😉

      Um abraço!

  17. Que atenção à saúde do animal tem de ser relevante, não há o que contestar, mas somente animais bem tutelados têm garantia de atendimento compatível. No mesmo incorre a atenção devida ao ser humano, mas que só obtém deferimento se estiver bem tutelado pela situação financeira.
    Como os bons médicos e hospitais estão a serviço de recursos financeiros abastados, os demais mortais têm que ter paciência e muita fé em DEUS.

  18. Bom dia!
    Meu cão está com problema cardíaco sendo
    tratado com enalabril e furosemida faz 7 meses. Tem aquela tosse
    característica, está querendo só comida, não quer mais ração e toma
    muita água. Faz 2 dias que está com diarréia com sangue e não tenho
    condiçoes de levar no veterinário pois estou desempregada, o que devo
    fazer? Ele toma 1 comprimido de cada remédio 2 vezes por dia. Devo
    aumentar a dose ? Cada comprimido de furosemida é de40 mg e maleato de
    enalapril é de 10 mg.
    Muito grata pela atenção.

  19. Bom dia!
    Meu cão (14 anos) está com problema cardíaco sendo
    tratado com enalabril e furosemida faz 7 meses. Tem aquela tosse
    característica, está comendo só comida, não quer mais ração e toma
    muita água. Faz 2 dias que está com diarréia com sangue e não tenho
    condiçoes de levar no veterinário pois estou desempregada, o que devo
    fazer? Ele toma 1 comprimido de cada remédio 2 vezes por dia. Devo
    aumentar a dose ? Cada comprimido de furosemida é de40 mg e maleato de
    enalapril é de 10 mg.
    Muito grata pela atenção.

    1. Olá, Maria!
      Não aumente as doses dos medicamentos, de forma alguma! Se o seu cão está com diarreia, se você aumentar as dosagens, ele ficará ainda mais desidratado e pode sofrer uma insuficiência renal aguda.

      Diarreia com sangue é sempre sinal de emergência, e é fundamental que o cão seja examinado por um médico veterinário. Compreendo que a questão financeira possa pesar, porém, infelizmente, não tenho como lhe dar outra sugestão que não seja esta. O que você pode fazer é procurar um hospital veterinário universitário na sua cidade, pois normalmente estes estabelecimentos têm ótimos profissionais e atendem a preços reduzidos. Outra opção é procurar uma ONG de proteção animal – muitas delas contam com médicos veterinários voluntários, ou então poderão lhe indicar um profissional que possa atender por um valor mais baixo ou negociar o pagamento.

  20. Meu cãozinho toma enalapril, mas esse remédio tem causado alergia. Forma no pêlo uma “caspa”! e cai ficando com várias partes do corpo sem pêlo e vermelho, mas volta nascer pelo nesses lugares.Existe alguma outra medicação que possa ser colocada no lugar
    do enalapril?

    1. Existem sim vários outros medicamentos que podem ser usados para o tratamento da insuficiência cardíaca. Entretanto, quem deve indicar a medicação mais adequada para o seu cão é o médico veterinário que o acompanha.

      Os medicamentos usados para o tratamento das cardiopatias podem ter efeitos adversos importantes e até mesmo levar à morte se usados incorretamente, portanto, não troque de dose ou de medicamento sem o conhecimento do seu médico veterinário.

  21. Meu çao felpudo estava com tosse , como aq não tem vet fui na casa de rações e pedi un remédio p isso o responsável passou uma injeção de pulmidrazin cuja apliquei nos dois cachorros q estavam tossindo, sendo q o mais velho apliquei as cinco doses de 1 ml e depois una dose só em felpudo dois dias depois ele ficou triste, e no terceiro dia hj 3 hras da manha ouvi um barulho dele um grito e começou se debater , endurecendo se e escumando a boca , dei lhe uma massagem cardíaca bem forte , ele deu uma melhorada , mas logo depois começou a gritar muito alto como se estivesse com muita dor , não sei o q fazer isso pode ser efeito da injeção , o q devo fazer sem um sem ter um vet na cidade ! Por favor me ajude

    1. Olá, Maria de Lourdes!
      É possível sim que seja uma reação ao medicamento. Ele é contraindicado para cães que tenham problemas cardíacos e/ou convulsões. Além disso, alguns animais podem ter hipersensibilidade aos antibióticos da fórmula.
      A maioria das cidades, mesmo pequenas, tem pelo menos um médico veterinário que atende às zonas rurais. Mas, se realmente não houver um na sua cidade, pode ser o caso de procurar um profissional em uma cidade vizinha.
      Melhoras para ele!

  22. Olá Doutora…não sei se vai poder me ajudar, mas aqui vai!
    nossa York de 8 anos, pesa 4,35kg e fomos no Vet pq ela está mal caminhando, mas até que se alimenta bem e toma água normalmente.
    Acontece que a Vet fez exame de sangue, ultrassom e Raio X e no exame clinico “achou” que a Meg pode estar com um sopro cardíaco…receitou durante 4 dias furosemida 0,15 ml….porém disse que temos que fazer uma ecocardiograma para fechar o diagnóstico, mas nao temos condições financeiras para tal…
    Podemos tratar ela de alguma maneira fora essa furosemida?

    1. Olá, Rodrigo!
      Se vocês não têm condições financeiras de fazer o ecocardiograma, mas o veterinário já detectou o sopro cardíaco, se ela tem sinais de insuficiência cardíaca, e se a radiografia é indicativa de problemas cardíacos (como coração aumentado, por exemplo), então é bem provável que ela tenha mesmo insuficiência cardíaca e precise ser tratada. As cardiopatias em geral são para o resto da vida, assim como o seu tratamento.
      O medicamento que você mencionou é um entre vários outros que podem ser usados para o tratamento da insuficiência cardíaca. Entretanto, quem deve indicar os medicamentos para a sua cachorrinha é o veterinário que a está acompanhando. Todos os medicamentos usados para o tratamento das insuficiências cardíacas podem ter efeitos adversos importantes, inclusive fatais, se usados da forma errada. Só use o que for indicado pelo seu veterinário, e sob o monitoramento dele (pelo menos a cada 6 meses, depois que a terapia estiver bem estabelecida).

  23. Boa Tarde Doutora,

    Perdi minha poodle de 13 anos e 3 meses após 5 meses de tratamento para ICC no dia 20/10/17. Ela foi diagnosticada em Maio deste ano e na época o cardiologista disse que estávamos iniciando o tratamento na data correta, pois até então ela não tinha sintomas. Ela sempre foi muito ativa, não tinha nenhum problema de saúde e nunca tinha ficado doente. Ela começou tomando 3 remédios, um para o coração, um diurético e um para a pressão. As tosses diminuíram, mas cerca de 1 mês após o início do tratamento, a tosse voltou a aumentar aos poucos, até que em Agosto a dose do diurético precisou ser aumentada de 1/4 para 1/2 ao dia. Com o tratamento percebi que ela passou a urinar mais e a ficar mais tempo deitada, mas até seu último dia de vida aparentava ser uma poodle saudável, com tosse de vez em quando. Como eu conhecia ela super bem, eu percebi a evolução da doença aos poucos nesses 5 meses, com o aumento da tosse, com o aumento das crises de tosse (tosses sucessivas) e de vez em quando a respiração mais ofegante, com os movimentos da respiração mais acelerados. No dia 19/10/17, seu último dia de vida, ela comeu bem (como sempre) e foi um dia normal, com tosse (mas não excessivas). No dia 20/10/17, pela manhã, encontramos ela sem vida e com a língua roxa, para nosso desespero. Na opinião da doutora, o que pode ter acontecido? Acha que teria mais algum recurso que poderíamos ter feito para salvá-la? Ela tomou o diurético às 21:00 do dia 19/10, mas ele não foi suficiente para impedir o avanço da doença. A única coisa que nos conforma é que ela não sofreu durante esses 5 meses, foi feliz e nos fez felizes até o último dia. No aguardo e desde já muito obrigado.

    1. Olá, Fábio!

      É possível que ela tenha sofrido um edema pulmonar, mas somente com uma necropsia vocês teriam como ter certeza absoluta do que realmente aconteceu.

      O tratamento ajuda muito, mas infelizmente não impede o avanço da doença mesmo. O que ele faz é ajudar o corpo do cão a lidar da melhor maneira possível com a insuficiência cardíaca, facilitando o trabalho do coração e compensando problemas que possam vir a ocorrer, como o acúmulo de líquidos nos pulmões. Mas, mesmo com o tratamento correto, nem sempre conseguimos impedir que crises aconteçam.

      Quando um cão entra em edema pulmonar, é preciso levá-lo imediatamente ao veterinário para que sejam aplicadas medicações injetáveis que agem rapidamente e oxigênio. Estes cuidados podem reverter o quadro de edema, embora infelizmente não haja garantias.

      Sinto muito pela sua perda… =( Espero tê-lo ajudado pelo menos a compreender o que aconteceu.
      Um grande abraço no coração!

      1. Obrigado pela atenção doutora! Tenho mais algumas dúvidas que talvez você possa esclarecer. Entre o inicio dos sintomas e o edema pulmonar foram 5 meses. Entendo que isso já seria um indicativo de que a doença era grave. Na sua opinião, caso não tivesse ocorrido o problema de madrugada e tivéssemos corrido para o veterinário, isso poderia fazer com que ela vivesse alguns anos ainda com qualidade de vida? Ou caso tivéssemos conseguido salvar ela naquele dia isso poderia gerar sofrimento para ela dali em diante em função do avanço rápido da doença, degradando o animal? O edema pulmonar noturno que ocorreu pode iniciar e causar a morte do animal em menos de uma hora por exemplo?

        1. Olá, Fabio!
          Muitos casos de edema pulmonar são reversíveis sim, embora não haja garantias neste sentido. Alguns cães, mesmo quando atendidos rapidamente, acabam falecendo se o edema for muito agressivo. Muitas vezes, o edema pulmonar surge de forma lenta, de modo que é possível agir e evitar quadros mais graves; outras vezes, ele pode ser bem rápido, como provavelmente aconteceu com a sua cachorrinha.

          Quando um cão sobrevive a um edema, ele ainda assim pode viver bem por bastante tempo, desde que o seu tratamento seja reajustado (conforme a doença evolui, reajustes periódicos nos medicamentos se fazem necessários).

          1. Muito obrigado doutora! Apenas mais uma última pergunta, o edema pulmonar causa dor? É possível um cão que apresente tosse estar com princípio de edema pulmonar sem apresentar qualquer outro tipo de sintoma ou dor?

    2. Oi, li o seu caso, o meu poodle está com as duas valva rompidas, ele toma 4 medicamentos, ele tem 14 anos, porém qdo ele corre ele desmaia e grita muito ao voltar, isso tem acontecido umas 3 vezes por semana, a noite ele acorda e N dorme, fica agitado, eu N saiu de perto dele à 4 mêses depois que descobri a doença, cada desmaio dele eu penso que ele não irá voltar, nenhum Veterinario soube me dizer quanto tempo ele ainda pode ter de vida, e como fazer quando ele desmaia, ou se os gritos é porque o coração esta doendo!! Eu queria muito que ele não sentisse dor, principalmente na hora da morte, não sei mais o que fazer. Uma pergunta..,.o seu poodle desmaiava e gritava Tb?

      1. Oi Beatriz! Sinto muito pelo que você está passando. A minha não tinha nenhum problema de saúde, era muito ativa, escutava e enxergava super bem com 13 anos. Entre o início dos sintomas e a morte foram 5 meses, período em que ela tomou a medicação. Antes de Maio desse ano ela nunca tinha ficado doente na vida. Após ela ser diagnosticada com ICC, primeiro ela apresentou tosses tipo engasgo isoladas, com aumento crescente ao longo dos 5 meses (só diminuia quando inseri a medicação ou aumentava a dose para logo começar a aumentar de novo), depois ela começou a apresentar tosses seguidas (terminava uma e começava outra logo a seguir), em terceiro percebi que a respiração dela ficou mais pesada com um pequeno barulho no focinho quando ela respirava (nesse caso quando ela tomava o diurético melhorava). Com o tratamento, ela começou a passar mais tempo deitada, mas ainda sim quem olhava para ela via um cachorro saudável (ela não tinha tosse o tempo todo). Ela nunca desmaiou e pela impressão que tive ela nunca sentiu dor, pois dava para ver que ela era bem feliz. O edema pulmonar ocorreu de madrugada, então não pude fazer nada para ajudar ela. Apesar de eu observar ela com atenção, no último dia de vida não teve nada de diferente em relação aos demais dias, ela comeu muito bem, andou pela casa, um dia normal. Acredito que a doença era grave e o edema começou e terminou de madrugada, algo bem rápido. Eu nunca pensei que isso aconteceria tão cedo, para mim ela iria viver uns 16, 17 anos. A única coisa que não fiz foi dar ração específica para cães cardíacos. Ela comia Royal Canin 12+. Eu ia pedir para o veterinário se podia mudar a ração agora em Novembro, mas infelizmente não deu tempo. Na minha acredito que o edema foi meio que fulminante, será que a dor do seu não pode ser um pequeno edema, água no pulmão? Li que o edema causa dor, mas talvez seja um edema menos grave do que o que ocorreu com a minha. A única coisa que me alivia é que ela não chegou a ficar visivelmente doente. A dica que dou para você é ver se o seu veterinário está te atendendo bem, se ele for de poucas palavras ou deixar você insegura, talvez seja bom procurar uma segunda opinião. Torço para que seu cão melhore. Ainda não consigo acreditar que a minha foi embora.

  24. Boa Tarde Doutora,

    Perdi minha poodle de 13 anos e 3 meses após 5 meses de tratamento para ICC no dia 20/10/17. Ela foi diagnosticada em Maio deste ano e na época o cardiologista disse que estávamos iniciando o tratamento na data correta, pois até então ela não tinha sintomas. Ela sempre foi muito ativa, não tinha nenhum problema de saúde e nunca tinha ficado doente. Ela começou tomando 3 remédios, um para o coração, um diurético e um para a pressão. As tosses diminuíram, mas cerca de 1 mês após o início do tratamento, a tosse voltou a aumentar aos poucos, até que em Agosto a dose do diurético precisou ser aumentada de 1/4 para 1/2 ao dia. Com o tratamento percebi que ela passou a urinar mais e a ficar mais tempo deitada, mas até seu último dia de vida aparentava ser uma poodle saudável, com tosse de vez em quando. Como eu conhecia ela super bem, eu percebi a evolução da doença aos poucos nesses 5 meses, com o aumento da tosse, com o aumento das crises de tosse (tosses sucessivas) e de vez em quando a respiração mais ofegante, com os movimentos da respiração mais acelerados. No dia 19/10/17, seu último dia de vida, ela comeu bem (como sempre) e foi um dia normal, com tosse (mas não excessivas). No dia 20/10/17, pela manhã, encontramos ela sem vida e com a língua roxa, para nosso desespero. Na opinião da doutora, o que pode ter acontecido? Acha que teria mais algum recurso que poderíamos ter feito para salvá-la? Ela tomou o diurético às 21:00 do dia 19/10, mas ele não foi suficiente para impedir o avanço da doença. A única coisa que nos conforma é que ela não sofreu durante esses 5 meses, foi feliz e nos fez felizes até o último dia. No aguardo e desde já muito obrigado.

  25. Bom dia Doutora,
    Abaixo fiz um texto contando o que aconteceu com o meu York.Só falei o que aconteceu e não fiz nenhuma pergunta. Agora eu gostaria que a senhora fizesse a gentileza de me responder o que realmente poderia ter feito, , para evitar esse desfecho tão triste que está me consumindo. No dia anterior ele fez eco, eletro e raio x , não dava pra verificar se o seu pulmão já possuia água? Porque o edema foi violento, em menos de 12 horas após os exames.Ah meu nome é Maria Célia.

    1. Olá, Maria Célia!
      Sinto muito pela sua perda… =(
      O edema pode ser muito rápido mesmo, e talvez não tenha sido possível detectá-lo nos exames (muitas vezes, dá para ver sim o edema em radiografias, mas talvez no caso do seu cão tenha sido rápido demais. Só mesmo vendo os exames para saber…).
      Mas se ele entrou em edema pulmonar por conta de uma cardiopatia, esta sim com certeza teria sido detectada pelos exames.
      Agora, mesmo para cães em tratamento, infelizmente nem sempre é possível evitar este triste desfecho. Mas temos melhores chances quando o animalzinho é levado ao veterinário aos primeiros sinais de dificuldade respiratória. Assim, é possível aplicar medicações injetáveis que agem rápido e, se necessário, fornecer oxigênio. Mas não temos como vencer todas as batalhas… =( as vezes, mesmo fazendo tudo direitinho, não conseguimos o resultado esperado.
      É claro que é impossível não sentir dor pela perda de um bichinho querido… Mas não se sinta mal ou culpada pelo que aconteceu. O seu cãozinho com certeza foi muito amado e bem cuidado, e continua te amando lá do céu <3
      Um grande abraço no coração!

      1. Obrigada Doutora. Ele tinha sim uma cardiopatia que até então não merecia tratamento. No raio X do dia anterior deu pulmão dentro da normalidade. O que ocorreu das 22:00 horas às 6:00 da ma-
        nhã, quando ele amanheceu ruim, só Deus sabe. Mas como doi.

  26. Dra., boa tarde!
    Tenho uma york de 11 anos e acabei me preocupando ao ler os comentários.
    Ela SEMPRE tosse bastante quando bebe água, é como se ela se engasgasse, e já teve vezes em que ela “cuspiu” uma babinha transparente no final da tosse. Essa mesma tosse também acontece quando ela late bastante, ás vezes ela tosse tanto que vejo a hora passar mal!
    Tudo isso que relatei pode ser sinal de doença cardíaca?

    Desde já, agradeço pela atenção!

    1. Desculpe-me Maria em me intrometer na sua pergunta. Não sou a Dra. e sim uma pessoa que sofre terrivelmente com a perda do meu. Sinto como se uma faca estivesse enfiada no meu peito. Eu, talvez, fui acreditar num só veterinário e esse não foi leal comigo, não explicou o problema em outubro de 2016. E eu, também, não sei porquê não pesquisei. Ele passou a semana toda indo ao veterinário e fazendo exames e em nenhum momento ele passou alguma medicação que o livrasse do mal que o acometeu no dia 19-07-2017. Eu teria feito de tudo. Procuraria uma UTI pra animais. compraria oxigênio. Ele nem sequer foi vê-lo na emergência. Por tudo isso eu te digo primeiro vá ao seu veterinário e depois se acusar alguma coisa procure um vet. cardiologista. O meu teria mais alguns anos de vida e com qualidade se eu tivesse feito isso. Todos os dias eu me pergunto: Por que não fiz isso?

    2. Olá, Maria!
      Vale a pena investigar sim, pois pode ser um problema cardíaco. Poderia também ser um problema na traqueia, ou até mesmo megaesôfago, já que ela se engasga sempre que bebe água. Seja como for, é importante levá-la ao veterinário para que você tenha certeza do que está acontecendo com ela, pois certamente ela precisa ser tratada.
      Melhoras!
      Um abraço!

  27. Tive um cãozinho york e em outubro de 2016 com 8,5 anos o levei ao vet. para procedimento dentário e ele diagnosticou sopro. foram feitos exames específicos e deu problema na válvula mitral de grau discreto sem hemodinâmica. Ele receitou dois medicamentos e mandou aguardar. Em dezembro fez o procedimento e correu tudo bem. Nunca sentiu nada, nem tosse. Em julho ele apresentou um tosse, mas bem rara. O levei novamente e ele aplicou injeções de corticoides. DE12 a 19de Julho ele não era mais o mesmo. No dia anterior a sua morte ele refez todos os exames e nada foi dito pra mim e nem o vet. olhou os exames. Na manhã do dia seguinte ele morre de edema pulmonar. Na emergência não foi possível salvar a sua vida. Achei tudo isso muito estranho, pra não dizer outra coisa.

  28. Boa noite meu cachorro um shih tzu 9 anos foi diagnosticado esse mês com ICC , foi receitada 1/4 f*** mida 1/2 l***sin e 1 comprido de 1mg de Pim…dan. Ele é bem ativo, está bebendo bastante água e urinando bastante. Mas tenho notado que na hora de dormir a respiração dele está bem rápida e tá tendo um pouco de dificuldade para achar posição de dormir. Isso pode ser edema pulmonar? Ele tosse de vez enquanto Ainda mas está raramente. O coração eu sinto que bate bem acelerado e bem forte? Será que tenho que voltar ao veterinário e fazer algum ajuste de remédios? O veterinário falou pra voltar daqui 6 meses. E essa respiração e esse incômodo e da doença ou pode ser um edema pulmonar obrigada

    1. Olá, Ingryd!
      A dificuldade de achar posição para dormir pode ter a ver com o tamanho do coração, que fica aumentado, e causa desconforto respiratório. A intenção é que este desconforto diminua com o tratamento, ainda que nem sempre consigamos resolver 100% do problema. O coração acelerado pode ser uma tentativa de compensar a insuficiência cardíaca, mas vale a pena pedir ao seu veterinário para examinar (talvez até fazer um ecocardiograma ou eletrocardiograma) para se certificar de que está dentro do “normal”.

      Quando o cão entra em edema pulmonar, os sinais costumam ser mais drásticos. O cão tosse bastante, tem dificuldade para respirar, pode ficar com a língua azulada ou arroxeada, e, em casos mais avançados, chega a espumar pela boca ou pelo nariz. Assim, se você notar que ele está com dificuldade para respirar, não espere agravar – leve logo ao veterinário, pois assim as chances de reverter um possível edema são bem maiores.

      Um abraço!

  29. Boa noite meu cachorro um shih tzu 9 anos foi diagnosticado esse mês com ICC , foi receitada 1/4 f*** mida 1/2 l***sin e 1 comprido de 1mg de Pim…dan. Ele é bem ativo, está bebendo bastante água e urinando bastante. Mas tenho notado que na hora de dormir a respiração dele está bem rápida e tá tendo um pouco de dificuldade para achar posição de dormir. Isso pode ser edema pulmonar? Ele tosse de vez enquanto Ainda mas está raramente. O coração eu sinto que bate bem acelerado e bem forte? Será que tenho que voltar ao veterinário e fazer algum ajuste de remédios? O veterinário falou pra voltar daqui 6 meses. E essa respiração e esse incômodo e da doença ou pode ser um edema pulmonar obrigada

  30. Boa noite doutora!! Eu preciso muito de sua opinião sobre que aconteceu com minha Pincher ela tinha 11 anos não sei se era da idade ou foi uma doença que apareceu, ela começou uma tosse uns dias antes de começar a vomitar depois veio diarréia eu achei q era alguma coisa que comeu aguardei ela melhorar mas quando vi ficou grave no segundo dia de diarreia e vômito morreu. Estou desesperada me perguntando será quando começou a tosse já, era sinal de eu correr e eu tinha salvado ela???

    1. Olá, Juceleia!

      Infelizmente, é difícil afirmar se ela teria sido salva ou não, pois não sabemos exatamente o que aconteceu. Para saber, já que não houve um diagnóstico, o ideal teria sido encaminhar o corpinho dela para uma necropsia – um exame feito após o falecimento do animal, para investigar a causa da morte.

      Pelo quadro que você descreve, poderíamos pensar em cinomose, se ela não fosse vacinada (ou se a última dose da vacina contra esta doença tiver sido há muito tempo), em insuficiência cardíaca, ou até mesmo em tumores, entre outras possibilidades.

      Regra geral, quanto mais cedo providenciamos atendimento profissional, melhores as chances do animal se recuperar. Mas, como falei… é difícil afirmar qual teria sido a evolução no caso dela, pois não sabemos exatamente o que aconteceu =(

      Sinto muito pela sua perda…
      Um grande abraço no coração!

  31. Bom dia Doutora!

    Tenho uma poodle de 13 anos com ICC cardíaca. No próximo mês vou levá-la ao veterinário para a consulta períodica de 5 em 5 meses. Atualmente ela come Royal Canin 12+ e também um sachê da Pedigree, damos 2 cubos para ela por dia de carne. Estou pensando em mudar a alimentação dela, e vi no seu blog algumas opções de comida seca com diferentes quantidades de sódio. Qual a doutora recomendaria? Será que a Royal Canin Cardiac é a melhor opção? Acha que o sachê pode fazer mal para ela?

    Ela já está tomando três tipos de remédios diariamente por causa da insuficiência.

    Muito obrigado!

    1. Olá, Fabio!

      Regra geral, eu recomendaria sim mudar para uma ração específica para cardiopatas (ou adotar alimentação natural orientada por um profissional). Porém, como coloquei naquele artigo, justamente porque cada ração tem uma composição variável inclusive em relação aos teores de sódio, a “melhor” ração para um cão pode não ser a melhor opção para outro, entende?

      Normalmente, a escolha deve se basear no estágio da doença do cão, e também se ele tem outras doenças intercorrentes. Por exemplo, no caso de um cachorro que tenha insuficiência renal junto com a insuficiência cardíaca (o que é relativamente comum), optamos pela ração “renal”. Já para os cães que têm apenas insuficiência cardíaca, o ideal é usar as rações com menor restrição de sódio nas fases iniciais da doença, reservando aquelas que têm maior restrição para estágios mais avançados.

      A Royal Canin Cardiac é muito boa sim, mas, por tudo isso que falei, o ideal é que o seu veterinário que faz o acompanhamento da doença cardíaca o ajude a selecionar a marca que será mais adequada para ela.

      1. Oi Doutora!

        Muito obrigado pelos esclarecimentos. E em relação ao saché da Pedigree? Qual a opinião da doutora? Sempre misturamos um pouco com a ração apenas durante o almoço dela, 2 pedaços apenas. Será que também devemos mudar essa parte da alimentação?

        1. Olá, Fabio!
          Para cães saudáveis em geral, não vejo problemas em misturar um pouquinho do sachê da Pedigree para “dar um sabor” à ração… mas, para um cardiopata, seria melhor evitar, devido aos teores de sódio. O mais recomendável é usar um patezinho próprio para cardiopatas (tem da Hill’s e da Royal Canin), se quiser misturar algo à ração.

  32. Boa tarde Dra. Meu cãozinho é um Yokshire de 12 anos de idade e tem Sopro Cardíaco. Neste domingo, do nada ele sofreu um luxação coxofemural. O veterinário me informou que o tratamento para o problema é somente intervenção cirúrgica, eu estou em pânico com a hipótese dele ter que operar devido ao problema cardíaco. A Sra. acha possível q ele resista ao procedimento cirúrgico ? Ou caso ele realmente não possa existe alguma alternativa para melhorar a qualidade de vida do meu bichinho? Obrigado

    1. Olá, Aline!
      A idade do seu cão ou mesmo a presença de um sopro cardíaco a princípio não são impeditivos de uma cirurgia. Você não chegou a mencionar se o seu cão tem sintomas ou se está em tratamento para o problema cardíaco, mas, a princípio, muitos cães (e humanos!) têm sopros cardíacos durante as suas vidas todas sem que isso cause qualquer tipo de problema. O sopro só passa a ser preocupante a partir do momento em que começam a aparecer sinais de insuficiência cardíaca – o que pode afetar o animal com menor ou maior gravidade, conforme o caso.

      Sendo assim, recomendo que façam uma boa avaliação pré-operatória nele para que a cirurgia possa ser feita com maior tranquilidade e segurança. O ideal é que ele seja operado mesmo, a luxação não irá se corrigir sozinha, e ele ficará sentindo dor se não for tratado adequadamente. Caso decidam fazer a cirurgia, certifique-se de que a clínica possui boa estrutura, e que haverá uma EQUIPE cirúrgica (e não apenas um profissional) durante o procedimento, sendo necessário haver no mínimo um anestesista e um cirurgião para que haja maior segurança.

      Melhoras para ele!

  33. Doutora, boa noite!
    Gostaria de saber se um cão sem sintomas recorrentes deve tomar remédio ou se ele pode viver bem assim. Meu cãozinho tem 14 anos e seus exames pré cirurgicos pra limpeza de tártato acusaram arritmia sinusal, disfunção diastolica discreta e insuficiencia valvar mitral de grau discreto a moderado c/ discreta repercursão no atrio esquerdo. O veterinário que operou disse que não precisa dar remédio por enquanto, pq ele tosse muito raramente (Só se passa muito estresse latindo, o que é raro porque ele é muito calmo). Já o veterinário que acompanha ele disse que tem que dar aquele remédio (acho que vc vai entender: F*****kor) pra toda vida. O problema é que meu cãozinho já tem o estomago muito fraco porque faz pulsoterapia pra piodermite recidivante, vive vomitando quando toma remédios. Não sei o que fazer porque nenhum veterinário deu uma alternativa pra isso. Tenho medo de não dar e ele piorar, e de dar e piorar de outra forma, entende?
    Então gostaria de saber se nesse diagnóstico é possível aguardar pra dar a medicação pra sempre, ou se já é aconselhável dar mesmo antes dos sintomas ficarem piores.

    1. Olá, Jo!
      Normalmente o tratamento da insuficiência cardíaca é iniciado a partir do momento em que o cão começa a apresentar sinais da doença, como tosse e cansaço.

      Em relação à pulsoterapia, normalmente é uma opção interessante para cães com piodermites recidivantes. Porém, cabe sempre investigar o porquê desta piodermite ser recidivante – o seu cão tem Síndrome de Cushing (https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/endocrinologia/se-o-seu-cao-anda-comendo-demais-ele-pode-ter-hiperadrenocorticismo/) ou algum tipo de alergia diagnosticada?

      Para cães sensíveis que vomitam quando tomam antibióticos, existe a opção de usar um protetor gástrico, por exemplo, que o seu veterinário pode prescrever. Mas é claro que, antes de mais nada, vocês precisam se certifica de que esta sensibilidade não está ligada a um problema renal ou hepático, por exemplo (já que estão fazendo a avaliação pré-operatória dele, suponho que tenham feito recentemente os exames para rins e fígado, mas é sempre bom lembrar).

      Melhoras para ele!

      1. oi doutora! muito obrigada pela resposta e atenção!
        Então, ele já teve tosses pouquíssimas vezes. Percebi que não estão relacionadas a exercício nem nada disso, as vezes que ele teve tosse sempre foi pq tava latindo/rosnando muito, e isso não acontece sempre, pelo contrário. Ultimamente ele fica mais tempo deitado/dormindo durante o dia do que fazendo alguma coisa, então talvez seja cansaço, que eu achava que era só coisa da idade já que ele também anda meio surdo. A única coisa que eu reparei é que a linguinha dele as vezes fica de uma cor diferente, não chega a ficar roxa, mas nem sempre tá vermelhinha sabe? Fiquei em dúvida se começava ou não o tratamento pq cada veterinário disse uma coisa, então sinceramente fiquei bem confusa. Será que se eu esperar os sintomas aparecerem vai ser pior pra ele?
        Sobre a pulsoterapia, é muito ruim pra ele mesmo… eu uso dois protetores gástricos e mesmo assim é penoso pra ele. Já fez os exames pra síndrome, e deram negativos… já tentamos tratar como alergia à pulga, cortei ração que contém frango pra ver se era alergia alimentar… nada resolve! Quando para o antibiótico, volta tudo de novo. Fico com muita dó porque é uma situação muito ruim dos dois jeitos: se der a medicação, ele fica ótimo da pele, mas vomita quando toma o remédio. Se não der, dentro de menos de um mês volta tudo e toma conta do corpo inteiro, ele fica muito incomodado, cheio de crostas e pus, e se coça o tempo inteiro, além do mau cheiro. =( bem complicado, doutora.
        Agradeço pela sua atenção e por toda a ajuda! Um grande abraço.

        1. Olá, Jo!

          É importante dar atenção a essa mudança na cor da língua dele, pois se estiver ficando azulada ou arroxeada, isso quer dizer que está faltando oxigênio para ele. O que na maioria das vezes é sinal de que a insuficiência cardíaca de fato precisa ser tratada, ou então que o cão tem algum outro problema respiratório importante.

          Vale a pena também levar a um endocrinologista para tentarem ir a fundo na causa destas infecções de pele todas… a síndrome de Cushing em alguns casos pode ser difícil de diagnosticar, já que os exames podem parecer falsamente normais em algumas situações. Poderia-se pensar também em hipotireoidismo…

          A alergia alimentar pode também não ser só a frango, mas a carne bovina ou outros componentes da dieta também.

          Por fim… se a pulsoterapia for inevitável, minha sugestão seria passar para antibióticos injetáveis. Assim, evita-se este mal estar 😉

          Um abraço!

          1. Dra, desculpe a demora, só consegui ver a resposta hoje! Muito obrigada pelas dicas e por ser tão prestativa com todos aqui, mesmo sem ter obrigação nenhuma. É uma pena que não more perto de você, por aqui estão faltando veterinários assim, que fazem o que amam e isso transparece no bom trabalho e cuidado com os bichinhos. Abraços!

  34. Olá Dr! Me ajudou muita essas inforamações!
    Eu tenho um poodle de 13 anos, e apresentou tosse seca, foi feito os exames e diagnosticou com soplo com IC, Med Vet, receitou furosemida 1/4 e enalapril 1/4, a tosse seca que estava muito, melhorou, ele alertou o acompanhamento por causa dos rim, e mudamos a ração para uma especial indicada por ele, mais ele vem decaindo, muito queto, ja não brinca, nao pula, sempre ta deitado.. poucos dias com medicação, isso são os efeitos da medicação Dr? Obrigado desde já

    1. Olá, Liliam!
      Converse sobre isso com o seu veterinário. Pode ser interessante fazer exames de sangue para saber se ele está reagindo bem a estas doses dos medicamentos.
      Na fase inicial da terapia, é normal que alguns ajustes precisem ser feitas, levando em conta as necessidades e a sensibilidade de cada paciente. Depois disso, é recomendável uma revisão pelo menos a cada 6 meses.
      Um abraço!

  35. Oi doutora, tudo bem?

    Tenho uma cachorrinha poodle de 13 anos. Em Maio desse ano ela foi diagnosticada com ICC da Válvula Mitral pelo veterinário cardiologista. Na época ela teve a primeira crise de tosse, em que o engasgo ocorria várias vezes seguidas. O veterinário receitou 1/2 comprimido de Fort*** ao dia, 1/4 de Aldac*** ao dia e 1/4 de Lasi*** ao dia. Desde então as tosse diminuíram (os engasgos tornaram-se mais espaçados) e ela não tinha apresentado mais crises. A única coisa que mudou foi que ela começou a ingerir mais água e passou a urinar mais. Sempre comeu bem, damos Royal 12+ para ela e nunca apresentou outros sintomas além da tosse. Ocorre que hoje ela apresentou a segunda crise desde que foi diagnosticada. Estamos dando a medicação corretamente, sem faltar nenhum dia.
    Essa medicação que damos para ela é considerada fraca ou já é uma dose forte? O que a doutora acha que pode estar acontecendo? Estamos levando ela com mais frequência para passear depois que foi diagnosticada. Isso pode ajudar ou piorar de alguma forma? Ela não apresenta cansaço nas caminhadas.

    Desde já muito obrigado!

    1. Olá, Fabio!

      Você já deu uma olhada neste artigo? https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/nutricao/como-tratar-cardiopatias-de-forma-natural/

      Os medicamentos usados a princípio estão corretos, porém as doses variam muito de um paciente para o outro, e mesmo para um mesmo animal, conforme o estágio da doença.

      A insuficiência cardíaca é uma doença progressiva, portanto, é esperado que, conforme o tempo passa, os sinais comecem a voltar, e sejam necessários ajustes no tratamento. As reconsultas para reavaliação e monitoramento da terapia devem ser feitas pelo menos a cada 6 meses, mas, se o cão apresentar piora antes disso, logicamente a revisão deve ser antecipada. Portanto, se você acredita que os sinais estão voltando, pode ser um bom momento para retornar ao veterinário. Vejam também a questão da dieta – pode ser o caso de passar para um alimento mais específico.

      Os passeios, desde que feitos de forma moderada e respeitando os limites dela, podem ser feitos. Apenas tome cuidado para que ela não se canse demais, ou fique muito ofegante. Enquanto ela parecer tranquila e confortável, não tem problema.

  36. Olá, muito bom o vídeo, minha cachorrinha dachshund 13 anos tem Sopro 6 e trata à 1 ano com Enalapril e faz hemoterapia 1x por semana, e precisa drenar toda semana, me falaram do Benazepril (Fortkor5) que este além de tratar a insuficiência cardíaca ele evita (ascite). Então avisei minha Veterinária e até consultei uma 2º opinião, estou dando 1/2 Meio Benazepril (2,5mg) e 1/2 Enalapri(2,5mg)l de manhã, repetindo 1/2 de cada pela Noite (12 horas).
    Por enquanto ela continua bem, mas ainda não reparei se diminuiu a retenção de liquido no Abdômen. Gostaria de sua opinião, sobre usar o Benazepril em conjunto com Enalapril e também se devo adicionar diuréticos para tentar evitar as drenagens.

    1. Olá, Bruno!

      O en***l e o ben***l têm essencialmente o mesmo mecanismo de ação, apenas com pequenas diferenças entre eles.

      Se o seu cão continua retendo líquidos no abdome a ponto de precisar ser drenado semanalmente, pode sim ser o caso de associar um diurético, porém a indicação do produto mais indicado para ele deve ficar a cargo do seu médico veterinário.

      Melhoras para ele!

      1. Obrigado Bárbara, fizemos ecocardiograma nela e exames de sangue, nos exames de sangue ta tudo OK, no ecocardiograma constatou coração bem aumentado e Hipertensão Pulmonar, porém a Cardiologista junto com o Veterinário que atenderam ela receitaram: Furosemida (1 ao dia), Benazepril ou Enalapril(1 ao dia), Espironolactona, Sildenafil7Mg e pimobendan2Mg. Você ñ acha muita medicação? Será que tanto remédio assim não vai comprometer Rim e Figado que por enquanto estão bons? Ela está comendo ração Cardiac(VET LIFE) e percebi que agora a acite está demorando um pouco mais para inchar o abdomen. Queria sua opinião sobre diminuir os remédios, já que a Insuficiência Cardíaca congestiva não tem cura.

        1. Olá, Bruno!
          Não tenho como opinar sobre as doses dos medicamentos que foram prescritos para o seu cão, já que cada animal tem uma necessidade diferente.

          Mas o que posso dizer é que a associação de diferentes princípios ativos no tratamento das doenças cardíacas em cães tem sido uma forma de se minimizar os efeitos adversos destes medicamentos. Isso porque um medicamento potencializa a ação do outro, permitindo que se usem doses menores de cada droga do que se elas fossem usadas isoladamente. Como elas têm mecanismos de ação diferentes, então os sistemas do cão ficam menos sobrecarregados desta forma.

          Espero não estar sendo muito técnica rsrsrsrs… mas, de uma forma bem resumida: associar dois ou mais medicamentos para tratar problemas cardíacos é uma forma de minimizar os efeitos adversos inclusive sobre os outros órgãos, como o fígado e os rins, ao mesmo tempo em que se melhora a eficácia do tratamento. Portanto, provavelmente é por isso que o seu veterinário recomendou tantos medicamentos diferentes.

          Melhoras para ele!
          Um abraço!

  37. Olá Dra, parabéns pelo artigo foi muito esclarecedor para mim, tenho uma poodle de 13 anos e a 8 meses apresentou problemas no coração a principio foi diagnosticada com sopro no coração pois não foram feitos exames específicos na época, ela apresentava respiração diferente e pouca urina e raramente tosse, foi passado 1/4 diurético e 1/2 remédio de pressão, após algum tempo o problema foi piorando e fizemos exames como eco, chapa do tórax, pressão arterial e o resultado : o coração está grande com as válvulas comprometidas um lado está muito ruim e o outro lado apresenta problemas e também pressionando a traqueia… e hoje em dia a dose do diurético foi para 3/4 , ela toma 1 remédio manipulado para o coração, outro tipo de diurético alem do outro 1/2 e 1 comprimido inteiro de pressão, fico dando os medicamentos o dia todo tudo certinho más após uns 40 dias de tratamento com esses medicamentos ela vem a uns 3 dias tossindo muito sem parar as vezes dorme e para um pouco más quando está andando pela casa fica tossindo….pode ser que esteja dando uma piora na traqueia ou pode ser um edema? estou preocupada…já aumentei a dose do diurético para 2 por dia conforme a orientação do vet más não está adiantado ela tosse ainda…no aguardo! Obrigada!

    1. Olá, Gislaine!
      Ambas as suas hipóteses são possíveis… ela pode estar entrando em edema, ou pode ser que a traqueia esteja ficando mais comprimida pelo grande tamanho do coração. Seja como for, isto é sinal de que a vet que a acompanha deve examiná-la novamente para, possivelmente, revisar a medicação mais uma vez. Recomendo que faça isso o quanto antes possível, pois, se for edema pulmonar, é preciso evitar que ele evolua para um quadro mais grave.
      Estas revisões nas doses, e mesmo nos princípios ativos dos medicamentos, são necessárias conforme a doença evolui, e é por isso que geralmente recomendamos uma re-consulta pelo menos a cada 6 meses se o cão continuar estável – mas, se apresentar piora como foi o caso da sua cachorrinha, pode precisar levar antes.
      Melhoras!

      1. Muito obrigada pela atenção !! Realmente eu tive que levá-la ao VET novamente onde foi feito um aumento na dose do remédio manipulado , o edema foi descartado por enquanto !! Abraço e Deus a abençoe pelo trabalho maravilho!!

    2. A minha Duchshund também tem esse problema mas ainda não tosse muito, a Veterinára faz Hemoterapia nela nas sessões de Drenagem, acredito que Auto Hemoterapia seja uma boa. A doutora pode confirmar

    3. Gente eu fico desesperada meu pinsher de 10 anos descobri a insuficiência tem 6 meses e de lá pra cá só aumentam as doses de remédio, ele está tomando 3 tipos de 8 em 8 horas e as tosses voltaram agora, a vida dele é tomar água e medicação, o coração dele está bem grande, o fígado e baço também, tento levar a vidinha dele o mais confortável possível, mas tem horas que desabo de ver a situação dele, vou ter que fazer um exame de sangue pra ver como estão os rins, meu deus que sofrimento!

      1. Olá, Dani! Sinto muito por esta difícil situação que está enfrentando =(
        Espero que consigam passar por esta fase da melhor maneira possível, e que o seu cãozinho possa ter ainda bastante tempo e qualidade de vida.
        Qualquer dúvida, estou à disposição!
        Um abraço <3

  38. Olá! Minha cachorrinha é pinscher e foi no Veterinário para uma consulta de rotina. A veterinária disse que ela pode ter arritmia cardíaca. Pelo que eu entendi, o tratamento só retarda a doença, certo? Isso quer dizer que minha cachorrinha está com o tempo de vida contado? O que eu faço?

    1. Olá, Sara!
      Ela disse que a sua cachorrinha TEM ou que ela PODE TER arritmias cardíacas?

      Os cães têm algo chamado “arritmia fisiológica”, que é um ritmo cardíaco facilmente confundido com as arritmias, mas que é considerado normal para eles e não tem implicações clínicas. Para diferenciar a arritmia fisiológica da arritmia verdadeira, somente com o eletrocardiograma. Já fizeram este exame para confirmar?

      As arritmias são pouco comuns em Pinschers, mas podem acontecer (o mais comum nestes cães são os problemas valvares, como insuficiência de mitral). O tratamento não cura, mas mantém a doença sob controle e pode dar ao cão um tempo de vida considerável. Assim, caso se confirme o problema, sugiro que faça o tratamento conforme orientado pela sua médica veterinária e também o devido acompanhamento.

      É importante monitorar o cão no início da terapia, para que o veterinário possa se certificar de que as doses e os princípios ativos estão adequados para o paciente (cada cão precisa de um tratamento “personalizado”, por isso, ajustes no início do tratamento são bem comuns). Uma vez que esteja bem definida a terapia, ela deve ser monitorada pelo menos a cada 6 meses para eventuais ajustes.

      Um abraço!

      1. Muito obrigada. Ela afirmou que minha cachorra tem, mas não fez o eletrocardiograma. Vou levá-la em outro veterinário. Sua resposta me acalmou muito. Obrigada!!!

  39. Muito obrigado pela resposta, dra! Acho o seu site um dos mais completos em termos de orientações gerais de saúde canina. Parabéns! Decidi que vou levá-la a um cardio pq o que importa é a saúde dela.

    Uma dúvida que tenho: ela teve doença periodontal durante alguns anos (fizemos a profilaxia recentemente) e penso que talvez seja isso que tenha ocasionado a doença cardíaca, pois li que as bactérias podem migrar da boca pro coração. Ela tomou Stormogyl durante 10 dias, mas minha dúvida é se essas bactérias ainda estão no coração. Posso dar um antibiótico de amplo espectro como ampilicina ou doxiciclina durante 10 dias para garantir que possíveis bactérias do coração morram?

    1. Olá, D.B.! Muito obrigada, que bom que gosta do site =)

      O problema das bactérias que vão para o coração é que normalmente os danos causados por elas são permanentes, mesmo que sejam eliminadas.

      Já que você irá levá-la ao vet cardiologista, se houver uma infecção ativa que necessite de antibióticos, ele prescreverá o medicamento adequado.

  40. Oi tenho um cachorinho pinscher e ele teve tosse com um tipo de espima saiu pela boca na parte da manha eu tinha fado remedio de vermes tem alguma relaçao ?

  41. Boa noite.
    Ha 3 anos através de um ecodoplercardiograma descobri que minha cachorra de 11 anos tem insuficiencia valvar mitral discreta, desde entao o quadro nao houve evolução significativa. O vet disse que o tratamente nao é necessário.
    Antes ela tinha crises de tosses, hoje elas sao raras. Porem ela teve um aumento no torax, seria um possivel edema?? Estou preocupada que venha ser. Quais os sintomas para saber se há ou não o edema??
    Fiz um ultrassom a poucos dias e seus rins estão com distinçao cortico- medular levemente mal definida, corticais de ecogenicidade aumentada, com mineralização de recessos pélvicos. Não faço ideia do que isso tudo significa, teria alguma relaçao com a ICC???
    Ela só dorme e não tem apetite.
    Realmente não é necessário tratamento??estou preocupada.

    1. Olá, Núbia!
      Depende do que disse o laudo do RX… normalmente, o laudo da radiografia é bem explícito ao dizer que o animal tem edema, quando é o caso.
      O tratamento da insuficiência cardíaca com medicamentos normalmente começa a ser feito a partir do momento em que o cão começa a apresentar sinais da doença. Assim, se ela tem crises com tosse e/ou dificuldade respiratória, pode ser o caso de iniciar o tratamento, que inclui medicamentos e dieta.

      Sobre os rins, vale a pena fazer um exame de sangue para saber se estão funcionando bem. Não é raro cães com problemas cardíacos terem também doenças renais. E a doença renal pode deixar o cão sem apetite.

      Sugiro que volte ao veterinário, ou procure um vet especialista em cardiologia, para ajudá-la a avaliar o seu cãozinho.

      Melhoras!

    1. Olá, aumigo!
      Recebi o seu comentário por email, mas não sei o que aconteceu com ele aqui na página… Creio que o próprio Disqus tenha apagado, pois não apagamos os comentários dos usuários. Mas vi a sua pergunta sim.

      Sobre o problema cardíaco do seu cão: o remédio prescrito pelo seu médico veterinário a princípio está adequado, e costuma ser a medicação de primeira escolha em casos de insuficiência cardíaca em estágios iniciais. Como você deve ter lido neste artigo, entretanto, todo medicamento usado para o tratamento da insuficiência cardíaca pode ter efeitos adversos, e é obrigatório que seja feito um acompanhamento no mínimo semestral deste animal – lembrando que, antes de se iniciar o acompanhamento semestral, podem ser necessárias várias consultas para que se consiga adequar a dose do medicamento às necessidades do animal, e para que eventualmente sejam trocados ou adicionados princípios ativos quando for o caso.

      Em relação aos rins, se a ureia estava levemente alta mas a creatinina estava normal, não podemos afirmar logo de início que este cão tem insuficiência renal. A ureia pode ficar elevada por diversos motivos que não insuficiência renal, como, por exemplo, uma leve desidratação no momento do exame de sangue. Sendo assim, o ideal é repetir o exame de sangue, e também fazer um exame de urina. Em alguns casos, uma ultrassonografia também pode ser recomendada.

      Você pode procurar inicialmente um vet clínico geral, caso o custo de um especialista lhe seja proibitivo. Na maioria dos casos, o vet clínico geral conseguirá definir o diagnóstico – inclusive dos rins – e fazer o acompanhamento inicial da cardiopatia. Mas, caso o problema cardíaco se agrave ou você perceba que a medicação não está ajudando, pode ser o caso de buscar um especialista.

      Melhoras!

  42. A minha cadela de 10 anos e 9 meses é castrada e apresenta sinais de doença cardíaca, como tosse. Levei-a recentemente a um veterinário odontólogo para fazer a profilaxia dentária, pois estava com tártaro considerável. O eletrocardiograma pré-operatório deu sobrecarga do átrio esquerdo. Juntando com o sintoma “tosse”, o veterinário concluiu tratar-se de algum problema no coração e passou o maletato de enalapril 5 mg (dosagem: 0,5 mg/dia). Lendo a bula e pesquisando, vi que muitas vezes essa substância é ministrada juntamente a algum diurético, porém o veterinário não passou um diurético. Os exames também apresentaram ureia alta, porém creatinina normal, por isso o veterinário passou um mês de ração renal, a qual ela ainda está comendo. A cirurgia de profilaxia dentária ocorreu com sucesso, graças a Deus (isso foi a uns 17 dias). Porém, agora a minha preocupação é com os rins e o coração dela. Eu gastei mais de 1500 reais juntando consulta, exames, profilaxia dentária e remédios pós-cirúrgicos. Não tenho todo dinheiro do mundo pra gastar com exames e consultas veterinários. Não vou voltar ao odontologista porque não há necessidade, já que a sua consulta é mais cara e a minha preocupação agora é com os rins e o coração da minha cadela. Gostaria de saber se, no caso da minha cadela, um clínico geral é competente para diagnóstico e tratamento da doença do coração ou se há a necessidade de levá-la a um cardiologista (cuja consulta é o dobro da do clínico geral). Por favor, ajudem-me. Como eu disse, gastei muito com a profilaxia e exames, e sei que vou ter gastar mais ao repetir a função renal e outros exames daqui a 10 dias. Porém, se for realmente necessário, terei que levá-la ao cardiologista. Outra dúvida: ela pode estar com endocardite derivada da doença periodontal (após a profilaxia demos durante 10 dias Stormagyl) ?? Peço também orientações gerais. Muito obrigado.

  43. Boa noite, tenho uma labradora de 2 anos, ela está tossindo muito, geralmente a noite e quando faz alguma atividade, até mesmo ao latir as vezes, também está saindo algo que parece saliva, só que não é transparente, tem uma coloração mais cinza, porém bem clarinho. O que pode ser? Será que é uma tosse de resfriado ? Alguém pode me ajudar?

    1. Olá, aumigo!
      Somente o médico veterinário que examinar a sua cadela será capaz de dar um diagnóstico preciso. Pode ser que ela tenha alguma infecção respiratória ou mesmo um problema cardíaco.
      A “gripe” ou o “resfriado” dos cães é bem diferente da nossa, e geralmente precisa ser tratada com antibióticos, por isso, não espere passar. É preciso tratar.

  44. Bom dia, tenho um Bulldog Francês de 9 meses e ultimamente ele andou amuado, sem apetite e dormindo mais que o normal. A uma semana ele andava reclamando um pouco de dor no peito quando pegávamos ele no colo, então levamos ao vet para fazer um RX do tórax, assim que olhou a RX o veterinário verificou a existência de líquido na cavidade torácica e receitou um antibiótico. Após pesquisarmos bastante sobre o problema, retornamos 4 dias depois para falar novamente com um novo veterinário, que avaliando o RX verificou o aumento no tamanho do coração.
    Ele também fez um exame de sangue tendo uma alteração na creatinina…

    Você acha que o aumento está diretamente relacionado a ICC?
    O líquido na caixa torácica se trata de um edema ou pode ser outra coisa?
    O que acha que podemos fazer?

    1. Quando a ICC esquerda causa edema (como descrito neste artigo), o líquido se acumula nos pulmões, e não ao redor dele – na cavidade torácica. Por outro lado, este acúmulo poderia acontecer num caso de ICC direita (apesar de o seu cão ser um pouco jovem para isso, mas não é impossível), de infecção, de problemas nutricionais ou hepáticos. Se ele estiver com muita dificuldade respiratória, pode ser interessante drenar um pouco deste líquido e enviá-lo ao laboratório para saber a sua composição.
      O aumento da creatinina também indica uma possível lesão renal, que deve ser investigada. O seu cão está vacinado? O líquido está só no tórax? não tem líquido também no abdome, ou edema nas patas?

      1. Dra Muito obrigado pelo retorno, estamos muito atordoados com essa gama de problemas que ele apresentou.
        Vamos fazer um ecocardiograma na quinta-feira, para aprofundar melhor se tem algum problema no coração.
        Ele vomita muito desde pequeno, sempre um pouco da comida, só não vomita com uma ração Hipoalergênica, porém não gosta de comer essa e temos que misturar com batata e/ou frango, ainda não descobrimos se ele tem alergia alimentar.
        Ele anda com dificuldade respiratória sim, mas não sei se é natural devido a ser um bulldog, mas vou pedir ao vet para drenar o líquido para análise, esse procedimento é simples?
        Os exames que ele fez, foi uma ultrassonografia da barriga e um RX do tórax e só apresentou líquido no torax, qual exame podemos fazer para saber se tem nas patas ou em outra parte?
        Também poderia me dizer quais exames fazer para saber se é alguma infecção, problemas nutricionais ou hepáticos?
        Ele tomou todas as vacinas e é acompanhado desde pequeno por um veterinário.
        Não sei se é possível ter alguma relação, mas ele também tem sarna demodécica.
        Quanto a investigação do problema no rim, qual exames podemos fazer para aprofundar melhor?
        Novamente muito obrigado pela ajuda. Estamos fazendo de tudo para saber como tratar esses probleminhas dele…

        1. Olá, Rodrigo! Um pouco de dificuldade respiratória é até esperado em cães braquicefálicos (de focinho curto), mas o acúmulo de líquido em tórax tende a causar um desconforto respiratório bem mais grave. A drenagem do líquido, caso ainda haja algo a ser drenado, normalmente é um procedimento simples sim.

          Pelo ultrassom vocês saberiam se há líquido no abdome, e também normalmente podemos ver que o cão fica com a barriga mais proeminente (“barriga d’água”). Se não apareceu no ultrassom, provavelmente não tem mesmo.

          Os exames recomendados seriam os de sangue e de urina mesmo, que o seu médico veterinário pode recomendar conforme a necessidade. Eles ajudam a esclarecer se o cão tem alguma infecção ou problema metabólico que precise ser tratado.

          A sarna demodécica não causa este tipo de problema. Por outro lado, é possível que ele esteja manifestando a sarna justamente porque está com a imunidade baixa.

          Melhoras!

  45. Bom dia, Minha cadelinha pincher está com 10 anos, e começou a dar tremedeira, provavelmente sente dores também pois grita, de vez em quando, e anda com dificuldade, parece meia torta, enfim, já levamos ao Veterinário medicou, mas fica assim altos e baixos, já fazem 8 dias, e um detalhe importante, ela está se alimentando muito bem, não perdeu o apetite. Que doença será essa?

    1. Olá, Maria Elisa! Minhas primeiras hipóteses poderiam ser algo neurológico ou ortopédico – como uma lesão em coluna, ou luxação de patela. Chegaram a fazer algum exame ou radiografia?
      Se houver um vet especializado em neurologia e/ou ortopedia na sua cidade, vale a pena fazer uma consulta.
      Melhoras para ela!

  46. Bom dia, meu cachorrinho, um poodle de 10 anos apresentou tosse, parecendo que estava engasgado anteontem. Levamos ao veterinário e ela examinou e prescreveu medicamentos para broncotraqueíte (acho que foi esse o diagnóstico que ela deu)…aí ele voltou para casa medicado, ontem de manhã parecia estar melhor, levamos novamente na veterinária e ela fez novamente medicação. Só que ontem a noite ele estava deitadinho na cama dele, se atirou para tras e parou, levamos novamente e não teve o que fazer para reanima-lo…ele se foi!! To muito triste!! Queria saber se o diagnóstico pode ter sido errado, e se na verdade o que ele teve foi uma insuficiência cardíaca?

    1. Olá, Vanessa! A única forma de vocês terem certeza do que realmente aconteceu é fazendo uma necropsia. Como foi recente, caso vocês ainda não tenham enterrado ou cremado o corpinho dele e tenham interesse em ter esta confirmação, podem encaminhá-lo a um laboratório veterinário que faça necropsia (a maioria faz).
      Sinto muito pela sua perda… =(
      Um grande abraço no coração!

  47. Oi! Meu cachorro é um shitzu de 8 anos e o nariz começou a escorrer água desenfreadamente. Levamos ao veterinário e foi feita uma radiografia que mostrou um lado do Coraçãozinho aumentado. O veterinário passou meio comprimido de benazeprila por dia. Será que só isso vai melhorar o nariz?
    Ficamos com muito medo de dar remédio pro coração e ele morrer…

    Ele não tosse e nem está ofegante.

    1. Olá, Nadia!

      Se o seu cão tem um problema cardíaco, então é muito mais arriscado deixá-lo sem a medicação para o coração do que sem.

      Se esta “água pelo nariz” for resultado de um edema pulmonar, então, sim, a medicação prescrita a princípio deve resolver, embora seja comum precisar fazer adaptações no tratamento inicial das doenças cardíacas. Isso é: normalmente, o médico veterinário irá prescrever inicialmente um medicamento mais ou menos “padrão” para ver como o cão responde ao tratamento, e, conforme o caso, passados alguns dias, poderá ajustar a dose ou mesmo acrescentar ou trocar princípios ativos.

      Se esta “água pelo nariz” for resultado de um problema puramente respiratório, então ele precisará receber outro tipo de medicação. Mas, pelo que pude entender, o diagnóstico foi de edema pulmonar causado pelo problema cardíaco – então, a princípio, está correto. De toda forma, se não melhorar, ou se ele ficar com dificuldade respiratória, volte ao veterinário.

      Melhoras para ele!

      1. Muito obrigada! Sua resposta nos deixou mais confiante. quando se trata de medicamentos para o coração temos medo, pois já perdemos outro cão por ter tomado este tipo de medicamento.
        Iniciamos o medicamento esta semana, espero que melhore. Graças a Deus o comportamento dele não mudou – achei que fosse ficar molinho ou sonolento.
        Um abraço

        1. Todo medicamento pode ter efeitos adversos, e, sim, os medicamentos usados para o tratamento das doenças cardíacas podem ser realmente perigosos se usados inadequadamente. Entretanto, é uma questão de custo x benefício. Se o cão tem uma doença cardíaca, então é mais arriscado deixá-lo sem a medicação do que com ela.

          Efeitos adversos podem eventualmente acontecer, como por exemplo, problemas renais – o que em alguns casos chega a ser inevitável (lembrando que a própria doença cardíaca também causa lesões renais, então o problema não são só os medicamentos). Mas, novamente… o cão terá melhores chances de viver por mais tempo mesmo com um eventual problema renal do que se a sua cardiopatia não for tratada. Infelizmente, as vezes chegamos a um ponto em que precisamos optar pelo que for “menos pior”.

          Melhoras!

  48. Olá Dra. Meu cachorro esses dias estava tossindo mt, e ontem ele amanheceu com a barriga inchada, hoje está mais inchada ainda, o que pode ser ?

    1. Olá, Camilly!
      Peço desculpas pela demora. Você levou o seu cão ao veterinário? este inchaço pode ser ascite (“barriga d’água”), que pode ter muitas causas – entre elas, problemas cardíacos, hepáticos, e até mesmo nutricionais. De toda forma, é um sinal de alerta que indica que ele precisa ser atendido rapidamente por um profissional.
      Melhoras para ele!
      Um abraço!

  49. Ola Dra. Tenho um yorkshire de 12 anos. Ele ja foi diagnosticado com liquido no pulmão, coração crescido e bico de papagaio. Ele apresentava muita tosse, tosse seca e muitas das vezes acabava meio que vomitando ou custando uma gosma esbranquiçada.
    Tratamos ele com diurético e um xarope, ele melhorou bastante. Porem agora uns 8 meses apos esse tratamento, os sintomas voltaram. Devo levar ele novamente ao veterinario e submeter ele novamente a todos exames, ou posso comprar novamente um diuretico e o xarope novamenet para ele?

    1. Olá, Nathalia! É importante que você o leve ao veterinário, pois, pelo que entendi, ele foi diagnosticado com insuficiência cardíaca. O tratamento da insuficiência cardíaca é contínuo pelo resto da vida, e precisa ser reavaliado a cada 6 meses, já que a doença é progressiva.
      Melhoras para ele!

  50. Olá Dra. Tenho Border collie de 62 dias ele está com água no pulmão está internado e medicado porem não esta bem o quadro esta bem grave , esta com antibióticos acho que vão fazer drenagem nele.é possivel salva-lo?

    1. Olá, Ana Carolina! O edema pulmonar realmente é um problema um pouco complicado, mas muitas vezes é reversível. Mas é importante saber o porquê disso, pois não é comum filhotes terem água nos pulmões.
      Melhoras para ele!

  51. Drª Boa tarde. Tenh um um cão poddle médio de 6 anos que vem apresentando tosse seca há uns meses e o veterinário já auscultou sopro cardíaco quando ele estava ofegante. Recentemente ele deu uma crise de ficar todo mole, sem conseguir ficar em pé, defecando sem parar e levantar o rabo, gengiva branca e língua azulada… ECG normal e hemograma também! Vc acha que pode ser ICC já? E me indica fazer qual exame, o ecocardiograma ou radiografia?

    1. Olá, Thais! Apesar de ele ser jovem, é provável que ele tenha sim ICC.
      Nos poodles, geralmente o ECG estará normal mesmo. Tanto o ecocardiograma quanto a radiografia poderão dar informações importantes. Se for para escolher um, faça o ecocardiograma, mas é interessante fazer os dois exames.
      Melhoras para ele!

      1. Muito obrigada pelo seu retorno!! Ele tem essa tosse ha pouco mais de 1ano, ma sempre achei que fosse engasgo com pelo, pq ele se lambe muito! Mas ele só foi ter crise agora! Eu posso ter retardado o diagnostico e agr o quadro dele se agravou muito a ponto dele ter crise? Pq tô me sentindo mega culpada de não ter reparado antes ?

        1. A tendência da maioria das doenças cardíacas dos cães, infelizmente, é se agravar com o tempo, mesmo com o tratamento. O que o tratamento faz é tentar manter o cão o mais estável possível, diminuindo a chance de crises, ou revertendo-as quando necessário.
          Se for de fato uma insuficiência cardíaca, o tratamento é essencial para que ele não entre em edema pulmonar. Mas não se sinta culpada, o importante é que agora você vai investigar 😉
          Melhoras para ele!

  52. Dra Bom dia. Tenho uma cadela de porte grande, apesar de entender que sua especialidade é de porte pequeno. Ela é da raça Afghan Hound e já possui 13 anos. De alguns mese para cá ela tem tossido e ao passar do tempo a tosse aumenta provocando grandes engasgos. Devido a idade e pouca manutenção os seus dentes estão com muito tártaro e alguns estragados, porém tenho medo de a submeter a um tratamento para manutenção e ela não aguentar. Tenho certeza que esta tosse é do coração pois a raça possui este histórico. Posso fazer algo para aliviar um pouco esta tosse? Obriagdo. Marcos

    1. Olá, Marcos!
      Não tenho predileção por porte de cães rsrsrs… no caso, minha especialização em “pequenos animais” refere-se a cães e gatos em geral, não ao porte dos cães 😉

      É possível sim que a tosse da sua cadela esteja ligada a um problema cardíaco. Entretanto, não tenho como fazer qualquer diagnóstico ou prescrição pela internet. É importante que você a leve para ser examinada por um profissional da sua cidade.

      Quanto aos dentes, o tratamento também é importante, e deve ser feito salvo se ela tiver algum problema de saúde que a impeça de ser anestesiada (mesmo problemas cardíacos nem sempre são impeditivos). Sobre isso, por favor leia este artigo: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/outros-saude/nao-ignore-esta-doenca-isso-pode-custar-vida-do-seu-cao/

      Um abraço!

  53. Bom dia meu cachorro basset com 9 anos começou a apresentar essa tosse seca tipo q estava engasgado e como não tinhamos experiência achavamos que era pra chamar atençao pois acontecia mais qndo estava perto dele,porem de sabado pra domingo do dia 20/21 de maio de 2017 ficou pior e qndo foi entre 12:00 e 13:00 hrs o mesmo veio a óbito ??,ele soltou uma baba transparente e se urinou infelizmente o perdemos e não sabiamos o q estava acontecendo
    Dr pode ter sido essa a Causa da Morte????Att.Danieli

    1. Sim, é possível que a causa da morte tenha sido um edema pulmonar causado por insuficiência cardíaca. Mas a única forma de vocês terem certeza é submetendo o corpinho dele a uma necropsia – um exame feito com o objetivo de determinar a causa da morte. Muitos laboratórios veterinários fazem este exame, mas, como já se passaram alguns dias, é provável que não consigam mais =/

      Sinto muito pela sua perda, que o seu anjinho descanse em paz! <3
      Um grande abraço no coração!

      1. Então nossa duvida seria tbm referente ter soltado a baba (transparente) pela boca e urinado?o Levamos ao Pet para Remoção até pq estavamos sem R$ no momento para esse tipo de exame ,Mais doii demais,faz tanta falta ??? mais agora iremos prestar mais atenção pois ainda temos 3 pra cuidarmos ???

        1. A “baba transparente” pode ser justamente o líquido dos pulmões saindo pela boca durante o edema pulmonar. É comum os cães espumarem pela boca ou pelo nariz quando estão em edema. Já quanto a urinar, na verdade a maioria dos animais fazem isso na hora da morte. Isso acontece porque os músculos se relaxam, e, se houver urina ou fezes para sair, eles sairão.

          1. Entendi muito Obrigado pela explicação até pq nos alivia de ter sido algo como envenenamento até pq lendo o artigo acima tudo identifica o Edema pulmonar ??,Que ele esteja feliz n céu de cãozinhos

    2. Oi aconteceu o mesmo com minha Basset hj infelizmente morreu…foram os mesmos sintomas da sua cachorrinha…e uma tristeza

      1. Oi Gisele Sinto muito ?
        é uma dor tremenda e
        apesar de ter mais 3
        Ele jamais será substituido,
        Sinto muita falta dele ?

  54. Boa tarde! Em dezembro/2016 minha cachorrinha poodle de 4,5 kg de 12 anos foi diagnosticada com sopro no coração, mas a médica disse que estava tudo bem na época, apesar de de vez em quando ela apresentar tosse (não eram tosses diárias). Ela nunca ficou doente, sempre foi bem saudável e ativa. Ocorre que de uns 2 meses para cá ela vem apresentando tosses diárias (parece mais com um engasgo). Calculo que ela tosse de 3 a 5 vezes ao dia. Vou agendar para levar ela no veterinário cardiologista. Com esse quadro é provável que ele irá receitar remédio para a vida toda se for decorrente do problema cardíaco? Todos os que tem a tosse em função de problemas cardíacos devem tomar medicação diária? Obrigado!

    1. Olá, Fábio!
      Se for confirmada a doença cardíaca nela, ela precisará ser medicada pelo resto da vida.
      O simples fato de um cão ter um sopro cardíaco, por exemplo, não significa que ele precise ser medicado. Mas, a partir do momento em que ele passa a ter sintomas (como a tosse), precisa sim. Esta doença é crônica e progressiva, não sendo possível a cura (pelo menos até o momento atual).

      Sendo bem manejado, um cão pode viver por anos mesmo após o aparecimento da insuficiência cardíaca e do início do tratamento. É claro que há vários fatores envolvidos nisso, e é difícil prever como será a evolução de cada indivíduo, mas, a princípio, é plenamente possível que ela viva mais alguns anos se receber o tratamento.

      1. Obrigado Doutora! Vou agendar hoje a visita dela no veterinário. A ração que damos para ela é a Royal Canin Mini Ageing 12+. Você acha que essa ração ainda atende as necessidades dela no caso de problema cardíaco? Também damos para ela um pouco de um sachê da Pedigree no almoço misturado com a ração. Ela sempre comeu dessa forma. Nos últimos 2 anos buscamos diminuir a quantidade do sachê. A doutora indica alguma marca com menos sódio no caso da comida molhada?

        1. Agora a noite ela teve a primeira crise forte de tosse. Nas outras vezes era uma tosse isolada. Hoje pela primeira vez ela teve várias seguidas. Estou bem preocupado.

          1. Olá, Fabio! Caso se confirme a doença cardíaca, é importante que ela passe a usar uma dieta específica para cães com doenças cardíacas (veja o artigo: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/nutricao/como-tratar-cardiopatias-de-forma-natural/ )

            Assim como a Royal Canin Mini Ageing, os sachês da Pedigree são formulados para cães saudáveis (lembrando que, no caso destes sachês, não há específicos para idosos). Apesar de que, a princípio, pequenas quantidades do sachê misturadas à ração não farão mal a ela, é mais recomendável que se opte por um alimento pastoso também apropriado para cães cardiopatas. Existem latinhas específicas para cães com problemas cardíacos, como da Royal Canin e da Hill’s que podem ser usadas para esta finalidade.

            Sobre a crise de tosse, devo observar que toda dificuldade respiratória deve ser considerada uma emergência e requer intervenção veterinária imediata, especialmente se a língua dela ficar azulada ou roxa, e/ou se ela começar a espumar pelo nariz ou boca. Leve a sua cachorrinha ao veterinário o quanto antes possível.

          2. Valeu doutora! Obrigado pela atenção! Levei ela no veterinário hoje e o problema na válvula mitral se confirmou. O médico receitou 3 remédios para o coração e para a pressão. Ele fez o ecocardiograma e disse que acredita que a tosse vai diminuir. Nossa esperança é que o problema se estabilize e que ela viva mais alguns anos. Ele manteve a ração dela, ao menos nesse momento. Nunca passamos por isso. Ela é totalmente da família!

          3. Que bom que ele já examinou e começou a medicar =)
            A tosse deve diminuir sim, e ela logo estará melhor. Só não esqueçam de ir monitorando, especialmente no início da terapia. É normal precisar fazer ajustes nas doses iniciais dos medicamentos, e também, novos ajustes ao longo do tempo conforme a doença vai progredindo.
            Uma vez que as doses iniciais estiverem bem estabelecidas, é preciso retornar ao vet pelo menos a cada 6 meses para monitorar.
            Melhoras para ela!

  55. Olá, tenho uma cadelinha deb12 anos com insuficiência cardíaca leve, já teve quadros de síncope, mas aparentemente não tem se dado bem combo forfig, por isso suspendi o mesmo por conta propria, até voltar ao veterinário para tentar uma opção diferente (aceito sugestões), mas no últimos dias ela tem ficado ofegante quando está em repouso. O que posso fazer?

    1. O medicamento que você mencionou é para doenças hepáticas, e não cardíacas. Se ela está com insuficiência cardíaca, então precisa ser medicada para tal finalidade, e com urgência. Leve ao veterinário o quanto antes, para que ela não entre em edema pulmonar.
      Sobre o medicamento para o fígado, não recomendo que seja suspenso sem o conhecimento do seu médico veterinário. Provavelmente houve uma razão para ele ser prescrito, e, se não houve resultados ou se a sua cadela não se adaptou bem à medicação, ele pode precisar substituir este medicamento por outro.
      Melhoras para ela!

  56. Olá Tenho uma Cachorrinha De 3meses
    Ela começou a dar Diarreia e Tossi
    Gostaria de Saber se posso Comprar algum Remédio pra Ela Estou Preocupada !

    1. Luaana, leve a sua cadela ao veterinário com urgência. Esses podem ser sinais de cinomose, uma doença viral de filhotes potencialmente fatal e que pode deixar sequelas neurológicas nos animais que sobrevivem. Ela precisa ser atendida por um profissional.
      Podem ser outras coisas também, mas esta é sempre a primeira suspeita quando vemos um filhote tão jovem com esses sintomas. E, mesmo que não seja cinomose, a diarreia por si só é uma das principais causas de morte em filhotes. Leve ao veterinário.

  57. Olá, meu cão tem apenas 2 anos e é porte grande. Percebi que ele estava cansado demais após os passeios e levei ao vet. Descobri através de raio x que ele tem coração grande + bronquite. O pai dele morreu por causa do coração. Existe um risco muito grande para ele? Ele tosse bastante (sempre que brinca com os outros,mas ultimamente até parado ). Ele sempre foi hiperativo e possui crises de pânico, decorrente da ansiedade de separação e barulhos altos (chega a sangrar se machucando quando ouve). Tenho consulta com cardiologista amanhã, mas estou muito nervosa… Existe algum risco para ele?

    1. Olá, Joana! Para sabermos qual o risco que ele corre, é necessário fazer um diagnóstico preciso, e o veterinário que o examinar deve avaliar em que grau a doença está. Por ser um animal jovem e com histórico familiar de doenças cardíacas, é bem provável que o problema dele seja congênito (ou seja, ele já nasceu assim) .

      Agora, precisamos nos atentar ao fato de que ele está com bronquite, de modo que a tosse e o cansaço podem ser explicados por este problema. Mas, caso seja confirmado que ele está tendo sintomas de insuficiência cardíaca, então ele provavelmente precisará ser medicado pelo resto da vida.

      Espero que consigam esclarecer rapidamente!
      Qualquer dúvida, estou à disposição 😉
      Um abraço!

  58. Olá, meu cachorro tem sopro no coração e possui 15 anos, por isso ele passou a comer a ração Royal Canin Cardiac, porém na loja acabou. Ele pode comer a Premier cardio no lugar? Ela é tão eficaz quanto a Royal Canin?

  59. Olá meu cachorro Toby puddle 13 anos estava com essa doença (icc) esquerda e doença periodontal, estava tudo bem até as 5 horas da tarde de ontem, entrei no quarto quando saí estava morto de olho aberto ele ainda esperou minha mãe chegar e morreu de olho aberto. O que pode ter sido?

    1. Olá, Carlos! Sinto muito pela sua perda… =(
      Uma possibilidade é que ele tenha entrado em edema pulmonar muito rapidamente, e isso o levou a óbito. Mas esta é apenas uma hipótese… Para confirmar a causa da morte, o ideal seria vocês enviarem o corpinho dele para uma necropsia (ainda é possível, se ele tiver sido mantido sob refrigeração até agora).
      Mais uma vez, meus sinceros sentimentos… Que o Toby descanse em paz, e que vocês consigam superar este momento difícil.
      Um grande abraço no coração!

  60. Olá Dra, bom dia.
    Minha cachorrinha dashound tem 13 anise possui o aumento do coração em ambos os lados, sendo o aumento esquerdo o mais importante. Atualmente ela faz uso de Lotesin, Aldactone e pimobendan. Ela tem um sono pesado, mas também é ativa durante o dia. Porém está com alguns dentes comprometidos por tártaro e um dente se quebrou expondo a polpa. Quais os riscos de levá-la para um procedimento de tratamento periodontal mesmo que com anestesia inalatoria? E quais os riscos de não levá-la? Qual alternativa seria a mais adequada? Muito obrigada pela atenção.

    1. Olá, Paula!
      Sobre a doença periodontal, e a importância do seu tratamento, tenho este artigo que pode ajudá-la a compreender melhor: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/outros-saude/nao-ignore-esta-doenca-isso-pode-custar-vida-do-seu-cao/

      Já em relação aos riscos da anestesia e do procedimento, tenho ainda um outro artigo para ajudá-la a tomar a sua decisão: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/cuidados-que-voce-deve-tomar-antes-de-operar-o-seu-cao-velhinho/

      É interessante que você leve a sua cachorrinha para fazer uma avaliação pré-operatória com o vet anestesista (aquele que, a princípio, acompanhará o procedimento). Ele pedirá alguns exames, e, com base nestes e nos tipos de anestesia e equipamentos disponíveis na clínica onde será feita a limpeza, será possível avaliar com melhor clareza se a sua cachorrinha está apta ou não a ser anestesiada.

      Um abraço! 😉

  61. Dra. Bárbara, boa tarde.
    Em julho de 2016 o poodle da minha filha foi diagnosticado com problema sério no coração depois de várias crises de tosse seca, conforme descrito por muitos aqui nessa página. Ele está medicado mas percebo um aumento na tosse a cada dia, hoje pela madrugada, por exemplo, ele vomitou 3 vezes (uma secreção amarelada e espumosa) depois de muita tosse. Na minha cabeça ele está sofrendo muito e como não estou com condições financeiras no momento de retornar ao veterinário, penso que seria melhor sacrifica-lo. Ele hoje tem 12 anos. Essa decisão não é fácil, mas estou preocupado demais em ver ele sofrendo. Portanto, a minha pergunta é: Será que ele sente dores quando acorda na madruga e até mesmo durante o dia e tosse com muito esforço?
    Muio obrigado.
    Jair

    1. Olá, Jair!

      A tosse da cardiopatia não causa dor, ainda que possa levar a algum desconforto. Por outro lado, um eventual edema pulmonar, sim, pode causar bastante sofrimento.

      Embora não seja possível garantir que um edema não irá ocorrer, com o tratamento adequado, normalmente conseguimos evitar este problema por bastante tempo. O que ocorre é que a doença tende a progredir, o que significa que as medicações, que antes faziam efeito, agora podem não fazer mais.

      Assim, se os sintomas estão piorando, a minha recomendação é que retorne ao médico veterinário que faz o acompanhamento do seu cão para revisar a terapia. Pode ser necessário acrescentar ou trocar princípios ativos, e/ou alterar as doses utilizadas. Quanto antes fizer isso, melhor, pois, desta forma, você melhora o bem-estar do cãozinho e diminui a chance de que ele entre em edema.

      Um abraço!

  62. Olá. Minha cadelinha poodle toma meio comprimido de fortekor mas está com crises ainda. Já fiz dois raios x. E me enganaram. Porque não adianta. Não dá pra saber como realmente está. Ja gasteii com remédios. Sera que pode aumentar o a dose . Ela tem 6 kg e meio.

    1. Olá, Nati!
      Não aumente a dosagem de qualquer remédio por conta própria, especialmente se estamos falando de medicamentos usados para o tratamento de doenças cardíacas.

      Como mencionei no artigo, este tipo de medicamento pode ter efeitos adversos importantes, de modo que somente deve ser usado exatamente da forma como foi prescrito pelo médico veterinário.

      Se você sente que o tratamento não está dando resultado, retorne ao seu médico veterinário para revisar o tratamento. É bem comum, no início da terapia, que alguns ajustes sejam necessários. Uma vez que a terapia esteja bem estabelecida, o cão deve retornar ao veterinário pelo menos a cada 6 meses para que seja feito o acompanhamento e a revisão do tratamento.

      Caso a ajude a se sentir mais segura, procure um profissional especialista em cardiologia.

      Um abraço!

  63. Dra. Bárbara, boa tarde.
    Em julho de 2016 o poodle da minha filha foi diagnosticado com problema sério no coração depois de várias crises de tosse seca, conforme descrito por muitos aqui nessa página. Ele está medicado mas percebo um aumento na tosse a cada dia, hoje pela madrugada, por exemplo, ele vomitou 3 vezes (uma secreção amarelada e espumosa) depois de muita tosse. Na minha cabeça ele está sofrendo muito e como não estou com condições financeiras no momento de retornar ao veterinário, penso que seria melhor sacrifica-lo. Ele hoje tem 12 anos. Essa decisão não é fácil, mas estou preocupado demais em ver ele sofrendo. Portanto, a minha pergunta é: Será que ele sente dores quando acorda na madruga e até mesmo durante o dia e tosse com muito esforço?
    Muio obrigado.
    Jair

    1. Olá, Jair!
      A tosse da cardiopatia não causa dor, ainda que possa levar a algum desconforto. Por outro lado, um eventual edema pulmonar, sim, pode causar bastante sofrimento.
      Embora não seja possível garantir que um edema não irá ocorrer, com o tratamento adequado, normalmente conseguimos evitar este problema por bastante tempo. O que ocorre é que a doença tende a progredir, o que significa que as medicações, que antes faziam efeito, agora podem não fazer mais.
      Assim, se os sintomas estão piorando, a minha recomendação é que retorne ao médico veterinário que faz o acompanhamento do seu cão para revisar a terapia. Pode ser necessário acrescentar ou trocar princípios ativos, e/ou alterar as doses utilizadas. Quanto antes fizer isso, melhor, pois, desta forma, você melhora o bem-estar do cãozinho e diminui a chance de que ele entre em edema.
      Um abraço!

  64. Bom dia meu cão é porte pequeno e tem 10 anos, há algum tempo está com tosse secretiva, já fez raio X do pulmão e coração e não consta nada. Fez medicação como antibiótico, corticoide e nada. Não sabemos mais o que fazer e os veterinários que nos orientaram falam que é uma gripe. Mas já fazem 2 meses que eles está assim. Tosse ininterrupta. Obrigada.

    1. Olá, Andréia! Verifiquem se ele não pode ter um colapso de traqueia…
      Outras possibilidades podem incluir: corpo estranho (algum objeto alojado em vias aéreas), infecção, rinite, ou espirro reverso (o espirro reverso é inofensivo, embora às vezes pareça assustador).
      Alguns exames que podem ajudá-los a esclarecer (não precisa fazer todos de uma vez, mas, conforme os resultados ajudarem ou não, podem ir fazendo os outros) podem ser: uma cultura bacteriana e fúngica das secreções (da tosse), ecocardiograma, rinoscopia, e até mesmo repetir as radiografias para ver se houve alterações (se já fazem 2 meses, algo pode já ter mudado).
      Espero ter ajudado.
      Um abraço!

  65. Olá, tenho um puddle de 13 anos com Icc ele já toma remédio todo dia. Mas há 5 dias eles está com a tosse seca muito forte, durante a noite acorda várias vezes para tossir, antes disso ele dormia a noite toda. Dei um outro remédio que foi receitado um diurético já fazem 4 dias que ele está tomando esse diurético mas ainda sim ele continua Tossindo muito o dia todo e a noite toda. Não sei o que fazer 🙁

    1. Olá, Gany! A qualquer piora no seu cão, você deve levá-lo ao médico veterinário que o acompanha. Ele pode estar começando a entrar em edema pulmonar, e/ou pode precisar de um reajuste nas doses dos medicamentos. Quanto antes isso for feito, melhor. Caso ainda não tenha levado, leve hoje mesmo.

      Um abraço!

  66. Por gentileza, qual o hospital veterinário de referência sobre o assunto no Rio de Janeiro ? Saberia informar ? Preciso com urgencia de auxilio para o meu cão . Grato

        1. Olá Bárbara,
          Fomos ontem à Clincardio e fomos muito bem atendidos pela Dra. Alessandra, que realizou testes completos e analizou exames de dez/jan. Conclusão é que a tosse seca não tem aparentemente origem em ICC ( coração OK , exames de sangue completos OK, pressao arterial OK, iy sea não existe metástase) e deve estar relacionada com:
          (1) a massa existente no pulmão (neoplasia ao que tudo indica benigna, mediante exames como tomografia e citologia não conclusivos) que toma espaço na caixa toráxica e com;
          (2) o estado alérgico geral do animal, que inclusive tem sarna demodécia controlada ( apesar de comer comida hipoalergênica há anos e todos os cuidados com shampoo e limpeza da casa).

          Pode ser então uma bronquite crônica, e os medicamentos foram ajustado nesse sentido e o animal em observação. Na verdade a tosse nunca foi contínua , mas se manifesta em ondas e dias/noites especificos. O aumento de peso devido à corticoides ( que foram diminuidos) contribuiu para o aumento de peso, que também diminuiu o espaço na caixa toráxica, o que por sua vez também agravou a dificuldade de respirar.

          Ou seja, como os novos medicamentos pretendemos administrar os problemas com sucesso. Deixo o meu depoimento de que, apesar de todos os indícios apontarem para ICC, a tosse e os sintomas podem ocorrer em diferentes circunstâncias , inclusive animal acima do peso e/ou com bronquite alérgica.

          Grato por sua dica e recomendo a Clinica Clincardio !
          SDS
          George

  67. Dra, boa noite!
    Meu cachorro fez eletrocardiograma e foi diagnosticado com doença valvar crônica de mitral insuficiência mitral de grau moderado com repercussão hemodinâmica.
    O veterinário orientou que ele tomasse propranolol 10mg de 12 em 12 horas, furosemida 40mg de 12 em 12 horas e maleato de enalapril de 20 MG de 12 em 12 horas.
    Essas medicações podem fazer com que ele desenvolva algum problema renal?
    E é recomendado que sejam de uso contínuo?
    O que a senhora aconselha que seja feito no caso dele?
    Ele tem 10 anos pesa 25 kgs.
    Essas medicações são as recomendadas para o caso dele?
    Obrigada!

    1. Olá, Andressa!

      A orientação do seu veterinário me parece correta. Estes medicamentos devem, sim, ser mantidos pelo resto da vida dele, ainda que alguns ajustes possam ser necessários ao longo do tempo. Normalmente, é preciso ajustar doses e/ou princípios ativos no início da terapia, pois cada cão pode responder de uma forma diferente. Os ajustes também podem ser necessários periodicamente, à medida que a doença progredir.

      Infelizmente, existe sim o risco de lesão renal, mas o risco de deixar o seu cão sem tratar a doença cardíaca é muito maior. Sabendo disso, vocês precisam ter em mente três coisas muito importantes:

      (1) as doses dos medicamentos devem ser as menores possíveis que sejam capazes de controlar o problema do seu cão. A associação de diferentes medicamentos, como o seu vet sugeriu, é uma forma de fazer isso, pois permite que cada um seja usado em doses menores do que se fosse usado isoladamente.

      (2) é preciso fazer um monitoramento periódico do seu cão, para saber como está a função renal dele, e como ele está respondendo à terapia para o problema cardíaco. O recomendável, assim que vocês conseguirem ajustar bem o tratamento inicial (podem ser necessárias algumas consultas até lá), é fazer um check up com o vet a cada 6 meses.

      (3) não perca tempo e comunique o seu veterinário sempre que perceber qualquer alteração no seu cão: aumento da tosse, engasgos, falta de apetite, vômitos, etc.

      Um abraço!

  68. Boa Noite Dra!
    Tenho um vira lata de 15 anos e a alguns meses ele apresenta muito cansaço, desmaios perca de apetite.. Vale lembrar que quando pequeno, teve Pavovirose e sobreviveu com algumas sequelas (ataque epilético). E de uns dias pra cá, uma tosse frequente com muitos engasgos. Levamos correndo ao veterinário, ele falou que o cachorro tinha “Tosse de Canis”, tomou a vacina, e os antibióticos por 12 horas apenas. No dia seguinte, percebi uma respiração muito pesada, que apenas iria piorando e ele tendo crises respiratórias e agonizava de dores. Levamos novamente ao veterinário, ele suspendeu o antibiótico, medicou para a dor passar e pediu um “ULTRASOM”, alegando que tinha um objeto estranho em seu organismo. Porém, levando ao ultrasom, a veterinária percebeu sua respiração ofegante e os engasgos e sugeriu um raio x do peito. Resumindo, meu cachorro foi diagnosticado com edema, ela disse que já estava bem grande e que era para correr ao médico. No mesmo dia voltamos e ele recomendou diuréticos de 8 em 8 horas (já está sendo medicado), um remédio para o coração de 12 em 12 (não encontramos para vender ainda). No raio x se viu o coração grande.
    Porém, voltando, a clínica cobra 490 a diária e minha família não tem condições de pagar, já gastamos muito para diagnosticar o edema. Não queremos que ele sofra, é como se fosse um filho para nós… O que mais se deve fazer Dra? Agora de noite teve outra ataque epilético que dificulta muito sua respiração e vemos nos olhos dele que está se despedindo… Quanto tempo ainda temos com nosso velhinho?

    Atenciosamente.

    1. Olá, Isabella!

      O edema pulmonar é uma emergência, e deve ser tratada como tal. Se o cão já estiver em edema pulmonar relativamente avançado, não há outra alternativa que não seja interná-lo para que receba as medicações injetáveis e oxigênio. Conforme o grau do edema e a resposta do animal, o internamento pode ser por um período bem curto, como um dia ou dois – a resposta aos medicamentos e ao oxigênio é quase imediata. Se o problema é dinheiro, o jeito é ver se a clínica aceita negociar ou parcelar o valor, para que o seu cão não fique sem tratamento.

      Um edema bem inicial até pode ser tratado em casa, com diuréticos e medicamentos específicos para o coração – medicamentos estes que deverão ser mantidos pelo resto da vida dele (as doses e princípios ativos podem precisar ser ajustados periodicamente).

      A epilepsia em si não agrava o problema cardíaco, mas eventuais ataques epiléticos, sim, pois durante as convulsões o cão usa toda a sua capacidade respiratória. Então, é importante também que as medicações anticonvulsivas dele sejam administradas e monitoradas religiosamente para que as convulsões ocorram o mínimo possível.

      Quanto ao prognóstico – quanto tempo ele tem de vida -, infelizmente não tenho como responder, pois não avaliei o seu cão. O seu médico veterinário talvez possa estimar, embora estes prazos nem sempre sejam muito precisos.

      Melhoras a ele!
      Um grande abraço!

  69. Bom dia Dra!
    Tenho um poodle de 10 anos e 7kg. que foi diagnosticado com insuficiência cardiaca. Ele tosse bem pouco. A veterinaria receitou furosemida 40mg, 1 comprimido a cada 12horas. Essa dose nao é muito alta para o peso dele? Estou preocupada

    1. Olá, Flávia!

      No tratamento das insuficiências cardíacas, a dosagem de cada medicamento pode variar muito de um animal para o outro, mesmo entre cães que tenham o mesmo peso. Isso porque a necessidade de cada paciente é diferente, e a intenção do profissional deve ser sempre manter a dose mais baixa possível que seja capaz de produzir os efeitos desejados naquele indivíduo. Por conta disso, é normal que ajustes precisem ser feitos no início do tratamento, e, depois, conforme a doença progride.

      A dose prescrita pela sua veterinária está dentro dos limites considerados aceitáveis para cães com o tamanho do seu. Se esta dose é apropriada especificamente para ele ou não, não tenho como opinar, pois não o examinei. O ideal é que discuta esta preocupação com a sua veterinária, ou então leve-o para ser examinado por um veterinário especializado em cardiologia.

      Melhoras para ele! 😉

  70. Boa tarde, tenho um yorkie de 17 anos (3,5kg) que começou a apresentar tosse e um pouco de respiração ofegante pela noite. Como ele teve uma pneumonia ano passado, a vet entrou com antibióticos por 7 dias. Após alguns dias, ao realizar o RX e ecocardiograma constatou-se que ele tem insuficiencia mitral de grau importante. Iniciamos o tratamento recomendado pela vet com 13mg de furosemida ao dia(dividido em duas doses) , 2,5mg de maleato de enalapril ao dia (dividido em duas doses) e 6,25mg de espironolactona ao dia (dose única). Com quatro dias de tratamento, ele começou a vomitar muito, nada parava no estomago, ficou bastante abatido. A vet pediu a suspensão da furosemida e da espironolactona até que ele parasse de vomitar. No dia seguinte à suspensão dos remédios ele já apresentou boa melhora, diminiundo bastante o vômito e voltando a comer. A vet pediu para voltar com todos os remédios, mas estou com receio pois li alguns artigos que a furosemida pode causar insuficiência renal aguda, estou com medo da dose estar muito alta e isso ter causado os vômitos. Vocês poderiam me dar uma opinião?

    1. Olá, Paula!
      A fu***da é um componente importante do tratamento para a insuficiência cardíaca. Em doses muito altas, porém, ela pode, sim, causar insuficiência renal aguda. Como a sua cachorrinha aparentemente não reagiu bem à dosagem inicial, possivelmente seria o caso de ajustar para uma dose mais baixa. Não nos propomos a sugerir uma dosagem, já que isso é prerrogativa do profissional que a examinou. No início do tratamento das doenças cardíacas, há sempre um período de adaptação, em que é preciso ajustar a(s) dose(s) do(s) medicamento(s) utilizado(s).

      Uma vez que fiquem definidas as doses que funcionam bem para a sua cadelinha, então ela deverá passar por revisões semestrais (ou mais frequentes, se houver necessidade) para reavaliar o tratamento. Conforme a doença evolui, é esperado que os medicamentos precisem ser ajustados novamente.

      Melhoras para ela!

  71. Boa tarde, tinha uma poodle com 14 anos e 7meses, tinha sopro na mitral, mas estava em tratamento (enalapril, espirinolactona e furosemida), em Novembro apresentou 3 quadros de convulsões, onde procurei 7 clínicas veterinárias e nada, me receitaram o Gardenal, e nunca descobria o que era, no começo de Dezembro ficou com tosse noturnas, levava em clínicas me disseram ser tumor no cérebro, e nenhum lugar achava significante o fato de ser cardíaca, no dia 01 de Janeiro as 3h da manhã ela piorou, e antes disso eu a tinha levado em 3 lugares e tudo q m diziam é q d nada adiantava fazer. Resumindo no 1 dia do ano ela veio a falecer, qdo aconteceu ela teve secreção com cor avermelhada que saindo pela sua boca, eu tentei reanimar fiz de tudo e infelizmente aconteceu. Eu sei q a idade já era avançada, mas ela era perfeita até as convulsões e inicio do gardenal. Alguém conseguiria dar uma opinião?

    1. Olá, Amanda!
      Sinto muito pela sua cachorrinha… =(
      A doença cardíaca não causa convulsões mesmo, então, provavelmente, era outro problema associado. Como já levantaram a hipótese, poderia de fato ser um tumor no cérebro. Existem outras causas possíveis para convulsões, que variam de doenças metabólicas a intoxicações, ou até mesmo algum acidente que ela possa ter sofrido, mas é difícil saber sem examinar o cão. Para saber de fato por que ela faleceu, teria sido necessário fazer uma necropsia no corpinho dela logo que isso aconteceu.
      O tumor cerebral é uma hipótese bem plausível, e ele pode evoluir rapidamente, como aparentemente foi o caso dela.
      O importante é saber que você fez o que estava ao seu alcance para ajudá-la, e que, sem dúvida, ela foi muito amada.
      Que a sua estrelinha descanse em paz, e brilhe sempre para iluminar o seu caminho <3
      Mais uma vez, meus sinceros sentimentos…
      Um grande abraço no coração!

  72. Boa Tarde, faz 3 meses q descobri que minha cadelinha, maltês com poodle de 7 anos e 10 meses tem problema no ❤️, então desde desta descoberta ela é medicada, com furosemida e enalapril, tens uns 5 dias que ela esta muito quieta, sem apetite, as vezes tremula e com remela no olho direito, e quando tocamos nela ela da uns gritos.
    Levei ontem ela na veterinária q trata ela, disse q poderia ser dor muscular, mas ñ sei não,
    estou com medo, de perder ela, de repente ela ñ esta tomando os medicamentos corretos.

    Conclusão da ecocardiografia: insuficiência mitral importante com aumento discreto do átrio esquerdo, insuficiência tricúspide discreta. Compatível com endocardiose de mitral.

        1. Pela ecocardiografia, tudo indica que ela de fato tenha um problema cardíaco e está sendo tratada adequadamente para esta doença (observando que as doses podem precisar ser ajustadas ao longo do tempo).

          Leve a um veterinário oftalmologista para avaliar o olho dela. Estas dores aparentes (gritar ao toque) podem estar relacionadas a algum problema ortopédico (artrose, ou, talvez, um problema de coluna), ou até mesmo neurológico.

          Os sinais que você relata parecem compatíveis também com cinomose, mas, se ela está com as vacinas em dia, então não deve ser este o problema.

          1. Boa noite, ela fez exame para cinomose, e deu negativo, começou a tomar um antibiótico e buscopan composto, veterinária ta achando que pode ser problema neurológico. Caso ela ñ melhore, vamos fazer outros exames. Obrigada pela atenção.

    1. Olá, Eduardo!
      A digoxina é um tônico cardíaco, ou seja, ela fortalece os batimentos cardíacos, e também ajuda a corrigir arritmias. Assim como qualquer outro medicamento usado para o tratamento das insuficiências cardíacas, a digoxina deve ser usada com cautela e o devido acompanhamento veterinário, pois pode ter efeitos adversos.

      A tendência é que, com o tratamento adequado para a insuficiência cardíaca, a tosse diminua, embora nem sempre seja possível acabar com ela. Se a tosse não melhorar, ou melhorar muito pouco mesmo com o tratamento, é preciso verificar se as doses estão corretas, se é o caso de acrescentar algum princípio ativo, ou, ainda, se há alguma outra causa para ela.

      Melhoras para o seu cão! 😉

  73. Olá Dra.
    Minha cadela de 11 anos acabou de ser diagnosticada com sopro no coração, o veterinário receitou Petpril 5mg que ela já está tomando há uma semana, porém a tosse continua persistente e durante a noite ela não consegue dormir com aparente falta de ar. Minha dúvida é se com o uso da medicação a tosse tende a parar ou se é algo que ela vai ter que conviver a partir de agora e se essa falta de ar noturna é normal.

    1. Olá, Lehbs!
      A tendência é que a tosse diminua, e que o conforto respiratório melhore, apesar de que dificilmente será possível acabar totalmente com a tosse.

      Se você sente que houve pouca ou nenhuma melhora, recomendo que converse com o seu médico veterinário sobre isso. O tratamento da insuficiência cardíaca deve ser personalizado para cada cão, de modo que, com frequência, alguns ajustes são necessários no início da terapia. Uma vez que se consiga achar uma dose e um medicamento/ ou uma combinação de medicamentos que funciona bem para um cão, é importante voltar ao vet pelo menos a cada 6 meses para eventuais revisões no tratamento. Ou antes disso, se o cão tiver algum problema…

      Melhoras para ela!

  74. Boa tarde Dra Bárbara,
    Eu acabei de ler o seu artigo, após ter estado à procura de artigos e/ou blogues. Achei que era mesmo isso que o meu Cãozinho velhinho tem. Ela tem 10 anos, quase 11 e está com muita tosse. Estou a dar antibiotico que receitou minha prima que é enfermeira veterinaria mas ja está no 3º dia de medicação e não acho que esteja a melhorar. a tosse parece que está a ficar com menos força: alias parece que o meu cão ja não tem muita força para tossir e ele dorme muito. Será que é normal ou que me diz que deva fazer, dra?
    muito obrigada Dra.

    Atenciosamente,

    Judite C.

    1. Olá, Judite! Tosse não é normal… se o cão está tossindo, geralmente ou é porque ele tem um problema respiratório, ou ele tem um problema cardíaco.

      Recomendo que leve o seu cão a um médico veterinário para ser examinado e diagnosticado corretamente.

      Melhoras para ele, um abraço!

  75. Boa tarde…há 20 dias perdi meu chow chow. Ele tinha 10 anos e meio. Foi feita uma cirurgia muito complexa (mandibulectomia) após a descoberta de um melanoma oral. Uma tristeza sem fim. O que acontece é que a cirurgia correu bem, porém ele não resistiu ao pos cirurgico e teve uma parada cardíaca na manhã seguinte do procedimento. Hoje (20 dias depois) após resultado de necropsia, fiquei sabendo que houve maior evidência que a causa da morte foi “edema pulmonar agudo”. O que eu gostaria de saber, por favor, é se o edema pode ser ocasionado após cirurgias complexas como a dele, ou se pode ser ocasionada também pelo fato de haver a possibilidade de o câncer ter se disseminado no corpo dele, pois tbem foi verificado uma alteração no linfonodo direito (consta no laudo após a retirada do linfonodo durante cirurgia). Pode me ajudar, por favor? Gostaria de saber efetivamente o que pode ter acontecido para ele partir…muito obrigada. Um abraço

    1. Olá, Katia! Sinto muito pelo seu cão… =(
      É difícil fazer algum tipo de afirmação sem ter examinado o cão e nem conhecer o histórico dele… A grande maioria dos casos de edema pulmonar em cães está relacionada à insuficiência cardíaca, embora outras causas sejam possíveis – como algumas infecções, tumores, e hipervolemia por fluidoterapia. Minha recomendação é que converse com o vet patologista que fez a necropsia do seu cão. Ele deve ter mais informações que possam ajudá-la a esclarecer melhor o caso.
      Um grande abraço no coração!

  76. Bom dia! Meu lhasa de 14 anos é cardíaco e nos ultimos dias está com muita tosse e não consegue dormir….fica andando de um lado para o outro e cambaleando, quando fica parado perde o equilíbrio do quadril…tá triste vê meu companheiro assim. Não sei o que fazer socorro

    1. Olá, Liliane!
      Se ele está piorando, você deve levá-lo ao veterinário que faz o acompanhamento da doença cardíaca dele para revisar o tratamento. É normal, conforme a doença progride, que alguns medicamentos precisem ser trocados ou que doses precisem ser alteradas.
      Melhoras para ele!

  77. Bom dia Dr. Bárbara, meu cachorro era da raça Husky Siberiano e estava com 9 meses, nunca tinha apresentado nenhum problema de saúde, na noite de sábado percebi que às vezes ele tossia tipo um soluço e a respiração estava um pouco ofegante, mas estava comendo bem, super animado, deixei para levar ele no domingo no veterinário para verificar se estava tudo bem, já que era quase madrugada e estava comendo, aparentava ter nada sério, estava bem e correndo, quando amanheceu o encontrei morto com a língua roxa para fora. Pode ter sido problema cardiorrespiratório nessa idade?

    1. Ele não teve hemorragias, vômitos e nem diarreia, foi algo repentino, ele estava com inicio de infecção de ouvido mas já estava em tratamento com otodex. Queria entender o que pode ter acontecido, estou arrasada

      1. Olá, Bia!
        Apesar de ser pouco comum, cães jovens também podem ter problemas cardíacos – geralmente, são problemas congênitos (já nascem assim), e podem demorar mais ou menos tempo para serem descobertos.
        Especificamente no caso do seu cachorro, é difícil afirmar se foi ou não um problema cardíaco. Pode ter sido. Ou pode ter sido outra coisa, como uma intoxicação, um engasgo, ou uma doença respiratória.
        Quando há dúvida quanto à causa da morte, o ideal é submeter o corpinho do cão a uma necropsia, que pode ajudar bastante a esclarecer os fatos. Qualquer coisa fora disso, principalmente considerando um cão jovem e aparentemente saudável, são apenas suposições…
        Sinto muito pela sua perda, e por não conseguir te dar a resposta que procura… =( te desejo muita força neste momento difícil, e que a sua estrelinha brilhe sempre lá no céu para iluminar o seu caminho.
        Um grande abraço no coração!

  78. Bom dia Dr.Bárbara, levamos um cãozinho comunitário no veterinário devido essa tosse, ela receitou o enalaprev ( maleato de enalapril 20mg) 2X ao dia , gostaria de saber se esse pode ser comprado na farmácia comum ou de uso veterinário é fórmula diferente?

    1. Olá, Eliana! Tudo bem?
      Esta apresentação comercial especificamente é de uso veterinário, embora você também consiga achar o mesmo princípio ativo, e com a mesma dosagem, na farmácia humana. A princípio, pode usar qual preferir.

  79. Boa noite Dra. Barbara me ajuda por favor tenho uma cadela chamada Lupita, e tem umas duas semanas que eu levei ela no veterinario , e la fizeram um eletrocardiograma insuficiencia na valva mitral , e agora vai fazer um tratamento periodotal minha duvida ela poda fazer de anestesia inalatoria quais os riscos estou com muito medo de perder ela eu amo muito ela desde muito obrigada que Deus abençoe . ,

    1. Olá, Luciana! Tudo bem?
      O tratamento periodontal é importante, já que a própria doença periodontal pode ter sido a causa da insuficiência de mitral da Lupita. Os problemas dentários também causam bastante dor e sofrimento para o animal, então não é meramente uma questão estética. Temos um artigo sobre o tema, veja: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/outros-saude/nao-ignore-esta-doenca-isso-pode-custar-vida-do-seu-cao/

      Em relação aos riscos do procedimento, é preciso deixar claro que toda cirurgia tem risco (por exigir anestesia geral, podemos considerar este tratamento como uma cirurgia também). Mas este risco pode ser significativamente reduzido se forem feitos os exames pré-operatórios, para que seja possível identificar quaisquer problemas que ela possa ter, e tratá-los, ou até mesmo adaptar a anestesia de acordo com o que for encontrado. A anestesia inalatória, regra geral, é bem segura, principalmente se for administrada por um anestesista (ou seja, deve haver pelo menos um vet anestesista, e outro para realizar o procedimento).

      Temos também um artigo a este respeito, sugiro que dê uma olhadinha: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/cuidados-que-voce-deve-tomar-antes-de-operar-o-seu-cao-velhinho/

  80. Olá Dra.Barbara bom dia. O Sansão tem 14 anos e faz 4 dias que ele começou a ter uma tosse estranha, parece que está engasgado, tem crises. Estou em São Paulo, no Ipiranga. Onde você atende ou teria algum veterinário para me indicar. O Sansão é um lhasa apso. Super obrigada!!

    1. Bom dia, Miriam!
      Se tiver condições de se deslocar para Campinas, posso indicar o Dr. Moacir Leomil Neto, que atende na unidade de Campinas da VESP ). Em São Paulo/SP, procure a clínica Naya Cardiologia Veterinária )

  81. Puxa, o meu cachorrinho Pincher morreu com esse problema , demoramos pra cuidar, ele começou com uma tosse bem antes,,, depois tinha desmaios , quase todo dia,, eu levei no veterinário começamos dar um remedio pra ajudar o coração , vitamina, e por ultimo um diurético que nem cheguei a dar por que cheguei em casa ele já estava sem vida,,,minha mãe que sentiu demais , ele era a sombra dela , não desgrudava, ,,era raça misturada Pincher com Shuwaua.. queria arrumar outro igual pra ela mais pra frente,

      1. Obrigado , eu fiquei na duvida se tivesse começado tratamento quando ele começou com essa tosse se teria resolvido ou amenizado, eu vi a sua explicação , o veterinário começou com um remédio pro coração o Maleato de Enalapril, e uma vitamina o Glicol Pet, mas ele não estava comendo mais,, o médico disse que estava com retenção de liquido e receitou o Neosemid, mas não deu tempo , ele começou a ficar mole e a noite ele morreu, queria divulgar isso por que muitas pessoas não sabem dos sintomas e vão ao veterinário tarde demais, por que são ocupadas com tantos assuntos que consideram importantes e deixam um ser humaninho de lado, que muitas vezes são nossos melhores amigos e não tem o valor merecido ,

Comments are closed.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}