outubro 24

Cuidados que você deve tomar antes de decidir operar o seu cão Velhinho

120  comENTÁRIOS

O veterinário disse que o seu cão precisa ser operado, mas demonstra preocupação, porque o seu cão já tem 8 anos… e agora??

Como temos o hábito de frisar aqui no site, idade não é doença. Então, não é só porque o seu cãozinho já tem 8, 10, ou 15 anos que ele não poderá ser operado. Se pegarmos como exemplo um poodle de 8 anos, que tem expectativa de vida média de quase 15 anos, logo percebemos que este bichinho ainda tem quase metade da vida pela frente. É justo deixá-lo sem tratamento, por esse tempo todo? e, mesmo que o cão já seja mais velho, devemos lembrar que muitas doenças de tratamento cirúrgico causam dor e sofrimento quando não são tratadas, de modo que a cirurgia não deve ser vista como forma de cura, mas de melhoria de qualidade de vida para o animal. Muitos cães idosos chegam a ser mais saudáveis do que filhotes, e, por isso, a sua decisão não deve se basear unicamente na idade do seu cão.

opero ou nao opero

Que cuidados devo tomar?

Idade não é doença, mas é lógico que cães idosos costumam ter mais problemas do que os jovens. Os órgãos vitais, como o coração, rins e fígado, essenciais para uma boa resposta à anestesia, podem estar desgastados e possuir lesões que impeçam o cão de ser operado com segurança. Por isso, a necessidade de se fazerem os exames pré-operatórios.

Os exames pré-operatórios podem variar de um cão para outro, a depender do procedimento que será realizado, do histórico de saúde do animal, e até mesmo por uma variação de protocolo entre diferentes médicos veterinários. Ainda assim, alguns exames não podem deixar de ser realizados quando estamos tratando de um paciente idoso. Um hemograma completo permitirá ao médico veterinário descobrir se o paciente está anêmico, ou se está com alguma infecção, por exemplo (só pelo hemograma, não tem como saber com precisão qual infecção, mas é possível saber se algo está errado). Um perfil bioquímico, que inclua pelo menos as funções hepática e renal, são essenciais para que o veterinário descubra se estes órgãos estão funcionando corretamente. Uma verificação do funcionamento cardíaco, através de uma radiografia, um eletrocardiograma, ou ecocardiograma, também é muito importante. A escolha do tipo de exame que será feito no coração dependerá de diferentes fatores, como o porte e a raça do animal, bem como o seu histórico de saúde.

Exames adicionais ainda podem incluir radiografias e ultrassonografias de partes específicas do corpo do cão (conforme o procedimento a ser realizado), perfis bioquímicos mais completos ou específicos para determinadas doenças, urinálise, exame de fezes, tomografias, entre outros. Quem indicará os exames mais adequados para o seu cão será o médico veterinário que for responsável por ele, mas o tutor tem todo o direito de sugerir exames adicionais, se achar que for o caso, ou de questionar, caso não concorde com algum exame. É importante que haja confiança entre o médico veterinário e o tutor, por isso, não saia do consultório sem tirar todas as suas dúvidas.

Que bom! Os exames foram normais…

Isso acontece muito, para a surpresa dos tutores. Se o cão já foi examinado pelo médico veterinário, que concluiu que ele apresenta boa saúde, e os exames estão normais, então ele está apto a ser operado.

    O exame detectou alguma alteração. E agora?

Nem todas as doenças são impeditivas. Algumas podem simplesmente fazer com que o anestesista precise usar determinados medicamentos em detrimento de outros, por exemplo. O importante é que o anestesista conheça bem o estado de saúde do seu paciente, para pode escolher melhor os anestésicos e se preparar para eventuais emergências. Conforme a alteração encontrada, poderá haver ou não a necessidade de tratar o animal antes do procedimento, para estabilizá-lo e tornar a cirurgia mais segura.

Alguns problemas infelizmente acabam impedindo que o cão seja operado, visto que o risco da cirurgia acaba se tornando ainda maior do que o da própria doença que ela visa tratar – é o caso de pacientes que já estejam com a saúde muito debilitada, por um ou mais problemas, como por exemplo cardiopatias avançadas e nefropatias graves. Se for o caso do seu cão, converse com o veterinário sobre tratamentos alternativos, ou mesmo paliativos, de modo que se possa oferecer a ele pelo menos o alívio da dor ou do desconforto que esteja sentindo.

Continuo na dúvida…

Infelizmente, nem todos os casos são preto no branco. Alguns pacientes estão claramente aptos a serem operados, e outros estão claramente inaptos. O problema gira em torno do meio-termo… Não existe uma fórmula mágica para se descobrir se aquele cão, com aquela alteração específica, responderá bem ou não ao procedimento. Além disso, nunca é demais lembrar que toda cirurgia tem risco, independente da idade ou do estado de saúde do animal. A garantia de 100% de segurança num procedimento cirúrgico não existe, e isso deve ser sempre levado em conta.

De qualquer forma, se a cirurgia for mesmo importante para melhorar a saúde ou bem estar do seu cão, mas houver dúvida quanto à capacidade do organismo dele de resistir bem ao procedimento, é preciso conversar abertamente com o seu veterinário e discutir opções. Pode ser que vocês concluam que a melhor opção será a cirurgia mesmo; ou, ainda, talvez ele conheça um tratamento diferente, que ainda não foi tentado, e que possa substituir – pelo menos temporariamente – o procedimento cirúrgico.


Você também pode gostar:

  1. Boa noite!!!
    Estou muito aflita, fui no veterinario para ver um machucado nas costas da dog, e ela voltou mal, pois na clinica fizeram o ultrasson para verificar se o nódulo que ela tinha no baço aumentou, infelizmente ele cresceu 3cm em dois anos, de tanto aprrtarem no exame ela esta com muita dor :(.
    Meu medo é o seguinte, ela vai fazer 14 anos, nao é muito arriscado operar o baço dela, lembrando q um nodulo de 5 cm no baço. Sabe muito medo de perder ela 🙁

    1. Olá, Tamiris!
      Primeiramente, conforme enfatizo muito neste artigo, recomendo que façam os exames pré-operatórios na sua cadela. Não temos como afirmar qual é o risco cirúrgico para um cão com base apenas na sua idade. Em segundo lugar, alerto para o fato de que tumores no baço podem acabar se rompendo, causando hemorragias graves e sem aviso prévio. Por conta disso, considero a cirurgia muito importante. Converse com o seu veterinário!

      1. Muito obrigada, Doutora
        Decidi opera.ela esta sofrendo muito, estou dando os remédios recomendados pelo veterinario, melhorando um pouco vou leva la, novamente. Pois ela esta com muita dor, dificil de tocar ela 🙁

  2. Olá Doutora!
    Tenho um velhinho de 14 anos com problemas de coração, sexta-feira passada realizamos exames de rotina e ele foi diagnosticado com câncer no fígado, a veterinária falou que ele não poderia fazer cirurgia para a retirada do tumor por causa do coração que está muito fraquinho. Decidimos então dar-lhe medicamentos para o coração já que ele tava com a respiração alterada, às vezes se engasgava quando ficava excitado e desconforto para dormir. Assim que comecei medica-lo, ele parou de comer, teve diarreias e vômitos e ficou bastante tristinho e com dores! Minha dúvida é a seguinte: poderia ter sido os medicamentos? Uma vez que o fígado já estava debilitado, a medicação piorou o estado dele? Porque antes dele começar a tomar os remédios, ele estava bem, feliz, comendo, brincando…
    A medicação foi Enalapril, Vetmedin, Lasix!
    Posso está errada mas só penso que foi essa medicação, gostaria que você me ajudasse para ficar mais sossegada e não cometer o mesmo erro futuramente.
    Hoje, decidimos colocá-lo para dormir pois já são 3 dias de sofrimento! ?

    1. Olá, Alice!
      Sinto muito pela sua perda… =(
      Mas é muito improvável que os medicamentos para o coração tenham causado o câncer do fígado ou agravado o problema. Estas medicações mais comumente afetam os rins, mas, infelizmente, é um risco que normalmente precisamos correr, já que o risco de deixar o cão sem medicar é muito maior.
      O que fazemos normalmente é ajustar as doses para que sejam as menores possíveis para suprir a necessidade de cada paciente – e a combinação de diferentes medicamentos é um dos melhores recursos que temos para fazer isso, já que eles funcionam por mecanismos diferentes ao mesmo tempo em que permitem o uso de doses menores do que seria necessário se cada um fosse usado isoladamente.
      Que Deus lhe abençoe e dê muita força neste momento tão difícil!

  3. Boa noite!
    Me chamo Giovana,tenho um cachorro boxear,ele vai fazer 11 anos em junho deste ano (2018),a cerca de um mês ele teve uma bicheira no ânus,por ser uma raça de porte grande,e cm respiração ofegante,de acordo com o veterinário q operou,ele corria riscos,e poderia não sobreviver,graças a Deus e ao nosso amor por ele,a cirurgia foi um sucesso,e ele se recuperou bem. Recentemente tenho notado em seu saco escrotal,alguns caroços por dentro,e ele está urinando sangue. Levamos ele novamente no veterinário,ele receitou dois tipos de remédios,porem não resolveu a infecção urinaria. Retornamos novamente,e o veterinário disse que ele está com um tumor,porém ainda não se sabe se benigno ou maligno. A minha pergunta é,se caso realmente for necessária uma nova cirurgia,ele conseguiria resistir,por ter menos de 2 meses da ultima cirurgia ?

    1. Olá, Giovana!
      A princípio, o fato de ele ter sido operado dois meses atrás não o impede de passar por uma nova cirurgia. E este novo procedimento, pelo que me parece, será fundamental para que ele possa voltar a ter qualidade de vida (e talvez até mesmo para que ele possa ter mais tempo de vida). De toda forma, vale a pena fazerem uma nova avaliação pré-operatória para que ele possa ser operado com mais segurança.

  4. Boa noite
    Tenho uma cadela de nove meses,srd,que teve luxacao na patela das duas pernas traseiras,primeiro a esquerda e logo depois a direita.Precisou ser submetida a duas cirurgias,praticamente seguidas.Tem um pouco mais de um mês a primeira cirurgia e a outra apenas uma semana.O fato é que após a segunda cirurgia ,ela começou a beber muita água e urinar bastante,sua respiração fica ofegante e perdeu todo o encanto de filhote brincalhão ,não quer interagir !!Pergunto ,todo esse estresse pode gerar uma diabetes,mesmo Ainda não tendo completado um ano ,nem no cio entrou!!

    1. Olá, Lidice!
      É improvável que o estresse causado pelas cirurgias vá levar um cão a se tornar diabético, visto que são situações bem pontuais… Por outro lado, pelos sinais que descreve, é possível que a sua cadela já seja diabética. Vale a pena investigar. Veja este artigo: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/endocrinologia/muita-agua-muito-xixi/
      Se não for diabetes, investiguem também como estão as funções cardíacas e renais dela, assim como uma possível síndrome de Cushing.
      Melhoras para ela!

  5. Ola
    Tenho um cão mistura de boxer com cão sem raça definida, foi constatado que ele tem 3 tumores no baço e me foi dito que é necessária uma cirurgia para retirada do baço. A minha duvida é, ele vai ter qualidade de vida sem o baço? Ele esta internado na CIA BICHOS em Joinville e será operado hoje segundo o veterinário.

    1. Olá, Tania!
      Peço desculpas pela demora…
      Sim, um cão consegue viver bem sem o baço. É importante fazer a cirurgia mesmo, já que tumores no baço tendem a se romper, causando hemorragias súbitas e muito perigosas.

  6. Dra. Barbara, bom dia! Meu York esta com um tumor perto rim e que tomou uma artéria e a veterinária disse que é díficil a cirurgia e ele pode não aguentar pela idade. Tem alguma alternativa?

    1. Olá, Sebastião!
      Primeiramente, pode ser uma boa ideia você procurar um oncologista veterinário para avaliar o seu cãozinho. A depender do tipo, tamanho, e estágio do tumor, talvez seja possível usar quimioterapia e/ou radioterapia, e talvez até mesmo o oncologista considere seguro operar (ele é quem irá avaliar).
      Caso realmente não haja mais qualquer tratamento disponível para o caso dele, então podemos pensar em cuidados paliativos para garantir a melhor qualidade de vida possível para o seu cãozinho, mesmo com o tumor. Veja este artigo: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/bem-estar-animal/cuidados-paliativos-para-caes/
      Um abraço!

  7. Olá Dra. Bárbara, parabéns pelo seu blog, muito esclarecedor. Uma dúvida, tenho uma Golden de 10 anos e sempre tentei manter sua higiene bucal. Uso uma pasta dental enzimática e soluções com clorexidina canina, mas ela nunca deixou usar a escova, então uso algodão ou mesmo meu dedo. Essa semana tentei usar a escova, mas do lado direito ao passar a escova nos dentes do fundo, a escova saiu suja de sangue (primeira vez que sangrou). Há algum risco nesse sangramento? Pode haver disseminação de bactérias na corrente sanguínea? Obrigada, abraços!

    1. Olá, Alessandra! O sangramento em si não é perigoso, mas é indicativo de que o seu cão está com doença periodontal, que precisa ser tratada. A doença periodontal, sim, pode fazer com que ocorra a disseminação de bactérias para a corrente sanguínea. Recomendo que procure o seu médico veterinário, e dê uma olhadinha neste artigo: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/outros-saude/nao-ignore-esta-doenca-isso-pode-custar-vida-do-seu-cao/
      Um abraço!

  8. Boa noite, minha cachorrinha esta com anemia mas precisa de verdade ser castrada, isso acarreta alguma complicação para cirurgia ou para o pós, a veterinária só falou que possivelmente ela precise de transfusão, mas gostaria de uma segunda opinião, obrigada desde já

    1. Olá, Victoria!
      Peço desculpas pela demora para responder.
      Depende muito do grau dessa anemia… se for uma anemia muito grave, ela não deve ser operada até que os níveis de eritrócitos subam razoavelmente. Já uma anemia moderada não necessariamente impede uma cirurgia.
      A castração “normal” costuma ser um procedimento eletivo, ou seja, na maioria dos casos não há pressa para que seja feita pois a saúde ou a sobrevivência do cão não depende disso. Então, a princípio, vocês podem tentar corrigir esta anemia antes da cirurgia. Agora, se o procedimento for indicado porque ela tem piometra, por exemplo, então não há o que questionar – tem que operar imediatamente, mesmo que os exames não estejam bons.
      Um abraço!

  9. Bom dia tenho uma fila de 12anos esta com um tumor na mama ela está bem magrinha nossa esse negócio não para de crescer ela pode fazer cirurgia

    1. Olá, Elaine!
      Conforme coloquei no artigo, não devemos basear a nossa decisão de operar ou não um cão unicamente na sua idade. Apesar de que um Fila de 12 anos é um animal bem idoso, se a sua cadela estiver em condições de ser operada, a cirurgia pode ajudar a melhorar a saúde e o bem-estar dela.

      Sugiro que leve ao veterinário para fazer uma boa avaliação pré-operatória nela antes de tomar a sua decisão. Se os exames estiverem OK, vocês podem fazer. Se houver alguma alteração, será preciso conversar com o veterinário para saber se esta alteração impede ou não a cirurgia, ou, ainda, se será necessário fazer algum tratamento antes do procedimento para que ela se torne apta a ser operada.

      Um abraço!

  10. Olá…minha poodle c 16 anos e cardiopata precisou fazer a cirurgia de um adenoma sebáceo que ficou mto feio. Fez todos os exames necessários e na cirurgia foi bem. Isso foi dia 27 outubro. Após 15 dias ela parou de comer e o comportamento dela mudou, ficou tipo Alzheimer canino entende…Estou mto triste e pergunto se a anestesia pode ter provocado essa “demência” ou se foi coincidência…Obrigada

    1. Olá, Angela!
      O fato de a sua cadela ter parado de se alimentar pode sinalizar algum problema de saúde mais sério, e não apenas comportamental – como seria o caso da demência. Portanto, minha recomendação num primeiro momento é que retorne ao veterinário e, se for o caso, façam novos exames nela para se certificar de que ela não está com problemas renais ou hepáticos, por exemplo. É muito comum cães cardiopatas desenvolverem problemas renais.

      Em relação a um possível “Alzheimer canino”, se ela de fato tiver desenvolvido este problema pouco tempo após a cirurgia, é provável que seja apenas uma coincidência. Esta doença não tem uma causa bem definida, e acomete cerca de 70% dos cães com 15 anos ou mais. Veja o artigo sobre o tema: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/comportamento/8-em-10-caes-com-esta-doenca-nao-sao-diagnosticados/

      Melhoras para ela!

  11. Olá!Minha cadela poodle de 13 anos está com algum dente caindo e continua comendo normalmente,MS o tal dente (s) sai do lugar e ela fica tentando colocar no lugar coitadinha.?Ela come ração seca e uma vez ao dia a pastosa.
    Gostaria de saber se ela pode retirar esse dente e como é feito o procedimento(anestesia essas coisas) e cobram por dente?
    Desde já obrigada!!

    1. Olá, Fernanda!
      O dente pode e deve ser retirado, assim como deve ser feita a limpeza dos demais dentes para evitar maiores problemas para a saúde e o bem-estar dela.

      O procedimento, chamado “profilaxia dentária”, exige anestesia geral, e por isso é importante fazer uma boa avaliação pré-operatória do cão antes, da forma como expliquei no artigo. Tenho ainda um outro artigo que fala mais especificamente sobre isso, recomendo a leitura: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/outros-saude/nao-ignore-esta-doenca-isso-pode-custar-vida-do-seu-cao/

      Em relação a valores, são variáveis conforme a cidade e o profissional que irá realizar o procedimento. Mas normalmente, o preço é um valor fechado independente de quantos dentes precisarão ser extraídos, até porque muitas vezes é durante a limpeza que o veterinário conseguirá avaliar com maior precisão quantos e quais dentes precisam sair.

      Um abraço!

  12. Olá Dra. adorei o artigo, espero que as minhas pets não precisem passar por isso, mas se acontecer, vou estar bem informada. Beijos

      1. Olá doutora! Tenho uma poodle de 13 anos que está com um tumor na mama enorme, cresceu demais em menos de 1 mês, e a pele rompeu, ta saindo secreção e agora ta fazendo buracos . Estou fazendo os curativos regularmente. Fora este ela tem outros nas outras mamas, na pele .
        Gostaria de saber se vale a pena fazer a cirurgia ou não por causo da idade dela.
        Ela chora o tempo todo, e mal está se alimentando. Dou dipirona pra ela a cada 6 horas.
        Não sei o que faço, pois vejo o sofrimento em seus olhos.
        Será que uma eutanásia seria a melhor opção?
        Muito obrigada.

        1. Olá, Juliana!
          A cirurgia talvez não aumente o tempo de vida dela, mas certamente aumentará a qualidade de vida. Façam uma boa avaliação pré-operatória, e, se ela estiver em condições de ser operada, vale a pena sim fazer.

  13. Minha gata tinha 12 anos, precisava tirar um caroçinho fez todos os exames pre operatorios e deu tudo bem, morreu na anestesia 🙁

    1. Sinto muito pela sua perda… =(
      Infelizmente, não é possível prever todas as complicações possíveis, mesmo com os exames pré-operatórios. Eles ajudam a minimizar muito os riscos, mas não existe cirurgia sem risco mesmo para humanos ou para animais jovens e saudáveis.
      Que Deus te abençoe neste momento tão difícil!
      Um grande abraço no coração <3

  14. Olá, Boa tarde
    Tenho uma cachorrinha de 11 anos vira lata de porte médio/pequeno que está com um tumor bem pequeno em uma das mamas, levei ao veterinário passou alguns exames pré operatórios, que vão ser feitos em breve.
    A duvida é: ela corre risco de vida pela idade? teria como prolongar a cirurgia ou isso prejudicaria ainda mais aumentando o tumor?

    1. Olá, Cintia!

      Como coloquei no artigo, a idade por si só não determina o risco da cirurgia. O que realmente deve ser levado em consideração serão os resultados dos exames pré-operatórios que vocês irão fazer – portanto, o ideal é que você aguarde os resultados antes de tomar a sua decisão.

      Quando pergunta se a cirurgia pode ser prolongada, quer saber se ela pode ser adiada? Adiar a cirurgia pode de fato dar tempo para que o tumor aumente e/ou se espalhe, se for maligno, portanto, o ideal é fazer o quanto antes. Só se recomenda esperar se, por exemplo, os exames pré-operatórios indicarem que ela tem algum tipo de problema que deve ser corrigido antes da cirurgia (por exemplo, se tiver alguma alteração cardíaca ou renal que precise ser tratada para que ela se torne apta a ser operada).

      Espero ter ajudado.
      Um abraço!

  15. Olá, Dra! Tudo bem?

    Então, minha cachorrinha tem 4 anos e precisa fazer a castração, porque já teve gravidez psicológica severa. O fato é que ela tem um problema na vaulvula esquerda do coração. A médica falou que era muito pouco e o único procedimento que eu precisava fazer era realizar um eco por ano para acompanhar, apenas. Já minha outra médica passou um remédio chamado Ubiquinol, que minha cachorrinha tem tomado.

    você acha que ela apresenta mais riscos que um cão saudável por ter esse probleminha no coração? E mais, seria interessante fazer uma pré-anestesia? E um exame alérgico?

    O fato é que queria saber qual a marca mais segura de anestesia inalatoria para comprar, sabe? Embora eu confie no médico que realizará o procedimento, quero ter o máximo de certeza possível.

    Grata.

    1. Olá, Beatriz!

      O fato de a sua cachorrinha ter um sopro no coração, a princípio, não aumenta o risco da cirurgia se ela não tiver sintomas da doença. Só consideramos que o cão tem “insuficiência cardíaca” (https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/cardiologia/se-o-seu-cao-esta-tossindo-preste-atencao-ele-pode-estar-com-insuficiencia-cardiaca/ ) a partir do momento em que ele começa a apresentar sinais como tosse, cansaço, ou dificuldade respiratória. Se não há sinais de insuficiência cardíaca, então é porque o coraçãozinho dela continua “dando conta do recado” e não há motivos para grandes preocupações. Muitos cães – e humanos – passam a vida toda com sopros cardíacos sem terem um problema sequer por conta disso (dê uma olhada no artigo que linkei acima, que explica um pouco sobre isso).

      O exame pré anestésico é indispensável para todo e qualquer paciente que for se submeter a uma cirurgia, independente da idade ou de ter qualquer doença conhecida – e essa regra vale para humanos também. Ele nos dá muito mais segurança, pois permite ao anestesista prever e se preparar para eventuais complicações, e escolher o melhor anestésico para cada caso.

      Em relação a reações alérgicas, infelizmente não há como prever. O risco existe mesmo para pacientes jovens e saudáveis – e, até o momento, nenhum exame é capaz de detectar este tipo de sensibilidade. Mas a boa notícia é que elas são raras, e geralmente os anestesistas têm medicamentos à mão durante a cirurgia para lidar com elas caso ocorram.

      Não tenho como recomendar nenhum anestésico especificamente, pois isso fica a cargo do anestesista mesmo, que tomará a decisão com base na avaliação pré-operatória da sua cachorrinha. Regra geral, as anestesias inalatórias têm sido consideradas as melhores, mas também existem anestésicos injetáveis que são muito bons e seguros. A indicação deles varia conforme o paciente, eventuais doenças que ele tenha, e o tipo de cirurgia que será realizada.

      Um abraço!

  16. Dra outra pergunta, aqui na minha cidade não tem um especialista em anestesiologia, a veterinaria que vai fazer a limpeza é a cardiologista . Tem algum risco maior por isso? Obrigada =)

    1. Na verdade, depende da experiência do profissional. Muitos vets clínicos gerais anestesiam muito bem também… e os cardiologistas normalmente conhecem bem os mecanismos do corpo que podem eventualmente ser afetados pela anestesia.

      Então, embora o ideal seja um especialista, a princípio não há problema em ser um vet de outra especialidade. Mas é importante que este profissional esteja dedicado exclusivamente à anestesia durante a cirurgia da sua cadela, para que a sua vet (ou o que for ser cirurgião) possa fazer o procedimento sem se preocupar com a anestesia. Digo isso porque há lugares onde o vet opera sozinho, sem equipe nenhuma – então, ele próprio anestesia e opera. Isso aumenta o risco da cirurgia, especialmente em casos mais delicados.

  17. Muito obrigada pela resposta!! Me ajudou muito!! Uma coisa que a veterinaria disse foi que anestesiá-la pra limpar os dentes pode ser perigoso pois a respiração Dela está comprometida por causa da fistula.. Tem realmente alguma relação entre uma complicação na anestesia e a dificuldade Dela em respirar? Quais exames são recomendados? Hemograma, eco e eletro? Outra coisa ..encontraram um nódulo smp baço Dela.. e resolvemos esperar pra ver a evolução. Isso afeta alguma coisa na anestesia? Agradeço muito!!

    1. Olá, Marina!
      Cães com dificuldade respiratória em geral podem sim ter um risco anestésico um pouco maior. Mas, no caso dela, há que se pesar a questão custo x benefício. Afinal, simplesmente deixá-la sentindo dor e com a fístula aberta são coisas que irão comprometer a sua qualidade de vida.
      O nódulo do baço não deve afetar a resposta à anestesia, mas recomendo que acompanhem de perto o seu crescimento.
      Os exames vão depender do critério da sua veterinária, ou do profissional que for o responsável por anestesiá-la. O hemograma e o perfil bioquímico são sempre indispensáveis. Um ecocardiograma também pode ser recomendável, e, considerando o nódulo no baço, uma radiografia torácica também pode ser interessante.
      Um abraço!

  18. Olá Dra. tenho uma podlee ela tem 15 anos, está com uma infecção na boca, inchada, já entrei com antibiótico, pois tem que ser feita a limpeza ,mas o vet não pode fazer se estiver inflamado, vai ser feita a limpeza com anestesia inalatória, você acha que ela corre algum risco?

    1. Olá, Leiva!
      Conforme coloquei no artigo, não podemos nos basear unicamente na idade do cão para saber qual é o risco de uma cirurgia, mas sim na avaliação pré-operatória. Para saber se a sua cadela está apta ou não a ser anestesiada, é preciso que vocês façam os exames pré-operatórios, que fornecerão ao médico veterinário informações importantes sobre a saúde dela e a sua capacidade de reagir bem ao procedimento.

      Não existe cirurgia sem risco, mesmo para animais (ou humanos!) jovens e saudáveis. O que deve sempre ser avaliado é o custo x benefício.

  19. Atualizando: hj ela foi examinada pelo veterinário que a acompanha, que sugeriu que aguardássemos um pouco mais para fazer a cirurgia, pois a ruptura é recente e a tendência é ela melhorar um pouco e conseguir apoiar a pata no chão em 10, 15 dias. Mesmo assim não descartou a cirurgia, e alertou que ela pode romper o outro ligamento por conta do peso q ficará em cima da pata boa. O que acha dra? Passei a noite em claro, tinha levado ela já para deixar internada, após a avaliação do vet dela, mas agora já estou sem saber o q fazer!

    1. Olá, aumiga!
      Como coloquei no artigo, a idade por si só não deve ser considerada um impedimento para a cirurgia, especialmente se for algo que afeta diretamente o bem-estar do cão. O que vocês precisarão levar em consideração são os exames pré-operatórios, que fornecerão informações importantes sobre a saúde dela e a sua capacidade de responder bem à anestesia.
      Se houve ruptura de ligamento, dificilmente este ligamento irá se refazer por conta própria, e a indicação normalmente é cirúrgica – mas, se o ortopedista considera que vocês devem aguardar alguns dias, então aguardem para ver como ela responde. Ou então, procure uma segunda opinião. O importante é que ela não fique sofrendo ou sentindo dor.
      Um abraço!

      1. dr meu cao ta com 5 messes bb chuhuahua macho estou receio de submeter a castraçao por ser animal saudavel mais tenho receio pelo futuro sao todos caes que tem problemas se n castrar machos ou e mais dificil de 100% qual probabilidade de cao chegar idade idosa sem ser aftado caso n for castrado da raca chihuahaua , a rac dura ate 18 anos por ai n vi relatos que morrem decorrencia cancer prostata , se castar ele maior daqui qndo ele tiver 1 e meio ja evita doenças , ou so quando e filhote tem a mesma eficacia se optar castar qndo ele tiver maior em relaçao a saude evita doenças tbm ou maior efeicacia so qndo castra filhote

        1. Olá, Mila!
          A idade da castração faz diferença na prevenção de doenças mais para as fêmeas do que para os machos. Portanto, caso prefira aguardar um pouco para castrá-lo, não tem problema. De toda forma, sendo um cão jovem e saudável, a princípio o risco da cirurgia é bem baixo.
          Tenho uma série de 3 artigos falando sobre a saúde dos machos, recomendo a leitura. Este é o link para o primeiro texto, ao final do artigo você encontra os links para os outros dois: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/endocrinologia/saude-dos-machos-parte-1/
          Um abraço!

  20. Boa tarde Dra, minha poodle de qse 15 anos teve ruptura do ligamento cruzado do joelho posterior direito. Foi indicada cirurgia, ela irá fazer exames, não tem nenhuma doença conhecida e o veterinário na consulta falou q ela tem o coração forte, isso só na auscuta. Vc acha q a cirurgia tem muito risco para a idade dela? Estou extremamente preocupada, apesar do ortopedista falar q a chance de sucesso é alta. O que me diz em relação a essa cirurgia na idade dela? Passei o dia chorando de preocupação, nao sei o q fazer!

  21. E também gostaria de saber em que cidade você atende Doutora. Você trabalha com limpeza de tártaro?

  22. Bom dia. Minha cachorrinha é cardíaca, tem 13 anos e meio e agora está com uma fistula oronasal que está dificultando sua alimentação e respiração. Seu grau de doença cardíaca é o 2. Tem insuficiência da valva mitral. Não sei o que devo fazer. Estou muito preocupada com a anestesia . Existe algum outro tratamento para fistula oronasal que não seja cirúrgico? Agradeço desde já. Estou desesperada.

    1. Olá, Marina! Infelizmente, o ideal seria tratar com cirurgia mesmo…

      O grau do sopro normalmente não tem muita relação com a gravidade da doença, o que realmente interessa é se ela está conseguindo se manter bem compensada ou não (mesmo que precise de medicamentos para isso).

      Recomendo que faça uma consulta com o veterinário que será o anestesista dela para fazer os exames pré-operatórios, antes de tomar uma decisão. Nem sempre as cardiopatias são impeditivas – em alguns casos, pode ser necessário apenas um ajuste no tipo de anestésico ou equipamento utilizado.
      Se a sua cachorrinha estiver sendo acompanhada por um vet cardiologista, converse com ele também. Ele poderá dizer com maior segurança se este problema que ela tem realmente a impede de ser anestesiada ou não.

      Há que considerar que esta cirurgia é bem importante para o bem-estar dela, e que, portanto, se ela estiver em condições de ser operada, o ideal é que seja mesmo.

  23. Boa noite,
    Minha cadela de 11 anos esta com um tumor mamario do tamanho de uma azeitona. Mas ela esta bem come, brinca. Fiz o raio x e apareceu neoplasia pulmonar. Agora não sei devo ou não fazer a cirurgia? Tenho medo de mexer no da mama e do pulmão dar complicação. Me ajude na minha decisão.
    Obrigado.

    1. Olá, Ana! O ideal é discutir com o seu médico veterinário, ou então procurar um veterinário especializado em oncologia para avaliar a sua cachorrinha.
      Provavelmente, o risco da cirurgia não será aumentado por conta do nódulo no pulmão. Por outro lado, esta neoplasia pulmonar é provavelmente uma metástase do tumor mamário, o que significa que, mesmo que seja feita a cirurgia, a sua cachorrinha continuará com tumores. Desta forma, é importante que vocês procurem se informar bem em relação aos passos seguintes à operação.
      Um abraço!

      1. Obrigado pela resposta dra. Meu medo é justamente porque a veterinaria disse que apos a cirurgia nao há o que fazer. Que para o tumor do pulmao nao ha tratamento, que a minha cadela pode durar mais alguns anos bem ou pode apresentar complicaçoes. Resumindo ela me disse que devo operar a mama e aguardar o tumor do pulmao matar minha cadela. Por isso meu medo de mexer. Pois por enquanto ela esta tao bem. Come, brinca,late, nao tem peoblema pra respirar nunca teve tosse. E nao apresenta dor no nodulo. sabe me informar se ha algum tratamento para a metastase pulmonar? mesmo que seja paliativo?

        1. A remoção do tumor da mama não irá agravar o quadro da metástase pulmonar, e pode ajudar a diminuir a probabilidade de novas metástases (não há como garantir que não haverá novas metástases, mas a tendência é que, se aparecerem, serão menos do que se o tumor não for retirado).

          Em relação ao tratamento da metástase especificamente, eu sugeriria que você procure um vet oncologista para fazer uma avaliação. Existem casos em que pode ocorrer regressão, após tratamentos com quimio ou radioterapia, por exemplo; mas não tenho como afirmar no caso específico da sua cadela se haverá algum benefício – por isso a sugestão de consultar um especialista 😉

          Um abraço!

    2. perdi cadela assim comeco com carocinho eu por medo de operar , deixei aqui maldito cresceu ficou tamanho de um abacate ela era ativa era esperta nao aftava vida dela so que chego um dia que o cancer maldito abriru saia pus daquilo era coisa mais triste que ja vi aquele caroço enorme da barriga dela se abrindo ai soluçao foi autanasia chorei mt me culpei por nao ter operado por medo de perdela quando começo com carocinho sendo que so adiei pois ela tinha qse 14 anos …

  24. Boa tarde tenha uma pinscher de 13 anos e cinco meses ela esta com piometra e a veterinaria quer oprerar. A Sra acho que devo ou não operar a minha cadelinha

    1. Infelizmente, a piometra não nos deixa alternativas… a melhor chance da sua cachorrinha é ser operada, sugiro que siga a orientação da sua médica veterinária. O ideal é que a cirurgia seja feita o quanto antes possível.

  25. Boa Tarde!
    Dra. tenho uma boxer de 12 anos que fez cirurgia para retirada de câncer de mama ontem na parte da manhã, a escolha para a cirurgia foi por causa do incomodo pelo tamanho que tinha se tornado e parecia doer quando ela deitava, porém após a cirurgia o veterinário me informou que ela não pode tomar remédio nenhum pois é hipertensa e está com anemia também. Nenhum remédio foi receitado. Ontem ela passou o dia dormindo, sem se mexer mas acredito que seja o efeito da anestesia. Hoje ela conseguiu se levantar um pouquinho, comeu um pouco e fez suas necessidades porém meu medo do sofrimento que pode estar passando sem medicação e de perdê-lá é fora do normal. Além de ficar tremendo o tempo inteiro.
    O que eu poderia fazer nessa hora? Como posso ajudar pelo menos a anemia?

  26. Boa noite!
    Dra. Tenho um poodle de 15 anos, em março ele rompeu o ligamento de uma pata, fez cirurgia e fisioterapia, mas acabou rompendo o ligamento da outra pata. Ele usa tornozeleira, mas a fisioterapeuta disse que não conseguiria fazer mais nada se ele não fosse operado, apenas tentar aliviar a dor.
    Levei ele em uma especialista em joelho, ela indicou a cirurgia, e pediu os exames pré operatórios, como eu já sabia, ele tem sopro no coração, já toma lotensin faz quase um ano. Ele toma carpoflan com remédios para cartilagem devido a artrose, o cardio disse que ele tomando o remédio certinho,pode ser operado. Os exames de sangue dele deram uréia alta, proteína plasmática alta, linfócitos típicos baixo e veio com observaçao de plasma lipemico. Pelo que pesquisei diz que o cão não teve o jejum correto. Mas a moça da clínica disse para ele ficar de 10 a 12 horas de jejum, porém ele ficou 11 horas e não entendi pq veio essa observação. Fora isso estou angustiada e sem saber o que fazer. Pois ele está com muito tártaro, e tem em torno de 100 verrugas em seu corpo. O veterinário disse que não queria fazer limpeza de tártaro pq precisaria de anestesia geral, e ele não recomendava, então comprei aqueles produtos que amolecem o tártaro, porém ele está bem grosso e grande nos dentes. Não amoleceu ND. Passei certinho por várias semanas. E referente as verrugas, o Vet tirou algumas, mas apareceram o dobro, e apareceu uma enorme no pescoço q sangra as vezes. Cresceu rápido. Há dois anos ele fez a biópsia e deu benigno as verrugas. Enfim é tanta coisa e sei que o ligamento é o mais importante no momento. Mas nao sei por onde começar. Gastei em torno de 9 mil com a primeira cirurgia, remédios, fisioterapia e acumputura. Fui demitida dois dias antes do rompimento do ligamento da primeira vez. Rebolei pra dar o melhor tratamento. Agora vem mais coisas. Não sei por onde começar, tudo que ele precisa tem q ser com anestesia geral, não sei se fazendo a cirurgia do ligamento, o tártaro ou as verrugas vão aumentar e piorar as condições. O que você me aconselha a fazer? Pois estou com dúvidas, angústias é o principal, não quero que ele fica mal e com dor, pois o pós operatório da primeira cirurgia foi bem dolorido para ele. Não sei se ele consegue passar por tudo de novo.

    1. Olá, Cristina!
      Como são várias coisas ao mesmo tempo, vamos por partes:

      1 – As verrugas seriam o caso mais simples. A princípio, as verrugas são lesões benignas e não há necessidade de removê-las a não ser que estejam sangrando ou causando incômodos ao cão. E, como você mesma observou, mesmo após serem removidas elas muitas vezes voltam. Então, não seria uma prioridade a não ser que tenha alguma verruga que esteja sangrando ou causando dor ou incômodo. Se for o caso de remover alguma, isso muitas vezes pode ser feito sob sedação com anestesia local. Quanto ao resto, é importante manter a pele sempre bem limpa, e tomar cuidado ao escovar os pelos.

      2 – Os dentes são bem importantes, já que a doença periodontal não só causa muita dor, como também consequências sérias para a saúde do cão, entre elas: fraturas espontâneas, infecções cardíacas e renais, entre outras. Assim, se o vet cardiologista e o próprio anestesista consideram que é seguro anestesiar, então, é algo que poderia ser feito. Se ele conseguir mastigar, o uso de ossos recreativos pode ajudar um pouco a amenizar o problema (não resolve, e nem substitui a limpeza, mas ajuda).

      3 – A cirurgia do ligamento me parece ser a maior prioridade, pois é o que tem impacto mais imediato e direto no bem-estar dele. Não é recomendável “aproveitar” a anestesia para fazer a limpeza dos dentes junto devido ao risco de infecção, por isso, se tiver que escolher, possivelmente é o caso de começar por aí.

      Como sempre, vale a pena fazer uma boa avaliação pré-operatória. É interessante repetir o exame para ver se o soro continua lipêmico. Muitas vezes, o problema é o jejum mesmo, mas em alguns casos pode estar ligado a problemas hormonais, por exemplo. Seria preciso investigar para saber exatamente o porquê desta alteração.

      Um abraço!

  27. Dra Barbara meu poodle de 13 anos estava com um nódulo no pescoço, fiz exames de sangue e avaliação cardiológica, estava bem, comendo e bebendo, ativo como um cão jovem. Após a cirurgia ele não quis comer ou beber absolutamente nada, nem água em colherinha. No dia seguinte vomitou muito e levei pra fazer a medicação injetavel e dar soro, neste dia notei que ele apresentava um ronco no peito e acessos de tosse, além de respiração acelerada. Achei que poderia ter machucado o esofago na cirurgia e ele estar forçando a tosse e por isso nao conseguia comer ou beber e pelo tempo sem comer que a respiração acelerada poderia ser fraqueza. Com muito custo e com uma seringa colocava gotinhas de agua de coco e ele engolia com dificuldades e começava a tossir. Ainda vomitava e então 2 dias apos a cirurgia o levei para um hospital onde esta internado. No raio x foi constatado broncopneumonia aspirativa. Ele esta tendo agora todo um tratamento adequado, estou ainda abalada com medo de perdê-lo e me sentindo culpada por ter levado numa clínica de preço popular, mas realmente nao poderia arcar com a cirurgia no preço que cobram nas clinicas comuns. Pesquisei muito na internet, foram boas as referências da clínica e no dia da cirurgia na sala lotada muitos eram só elogios è veterinária, tentei o melhor que pude, mas infelizmente aconteceu isso durante a cirurgia, que me parece ter sido algum erro ou descaso que provocou isso. Meu caozinho tem boas chances de cura neste quadro? O que na cirurgia pode ter dado errado pra isso ter acontecido? Era anestesia inalatória. A medica e o anestesista disseram ser o mais seguro pra um idoso. Agora isso. Um gasto enorme com internação e o risco de perder meu caozinho, eu não me perdoaria. Só busquei porque realmente estamos sem condições e mesmo sendo popular me informei muito e fiz todos os procedimentos pre operatorios. Estamos gastando o que não temos nos endividando pra salvar a vida do caozinho que está internado. Por favor me diga se ele pode sair dessa ileso. te agradeço desde ja

    1. Olá, Andea!
      Sinto muito pelo que está passando com o seu cãozinho, tenho certeza de que está sendo muito difícil para todos… =(

      A anestesia inalatória de fato é considerada a mais segura e com menores chances de complicação. “broncopneumonia aspirativa”, ou “pneumonia por aspiração”, significa que ele inalou algo que não deveria. Pode ser que tenha vomitado após a cirurgia e inalado o próprio vômito, por exemplo. Tenho um artigo sobre pneumonia em cães que acredito que possa lhe ser útil: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/outros-saude/pneumonia-em-caes/

      Tem chance de melhorar sim. Estamos torcendo por ele! <3

  28. Olá Dra. meu podlle é um velhinho de 16 anos e está muito magrinho. Não quer comer e a água bebê com muita dificuldade. Está com doença cognitiva , cardíaco e renal. Mesmo assim o Veterinário recomendou s cirurgia odontológica. Me ajude. Estou com muito medo e dúvidas. Obrigada. Edilza

    1. Olá, Edilza!
      Primeiramente, certifique-se de que ele não está em crise renal. Esta falta de apetite pode ser causada pela insuficiência renal, e, se for, ele precisa ser internado para tratamento (para receber soro na veia, medicamentos injetáveis, e, conforme o caso, alimentação via sonda). Um exame de sangue e de urina poderão lhe dar informações valiosas.

      Sobre o procedimento dentário, considero que é sempre importante manter os dentes do cão devidamente higienizados, já que a doença periodontal pode causar dor e complicações por todo o corpo, inclusive problemas renais e cardíacos, entre outros. Porém, considerando que é um cão que já tem problemas renais e está sem se alimentar, é importante vocês se certificarem de que o problema dele é realmente dor nos dentes, e não crise renal, como já coloquei acima.

      Façam uma avaliação pré-operatória bem minuciosa, para que o veterinário anestesista possa calcular o risco cirúrgico. De preferência, converse com ele para tirar todas as suas dúvidas especialmente quanto à segurança do procedimento. Se ele não estiver em crise renal e se a doença cardíaca estiver bem estável, pode ser que seja possível fazer a profilaxia dentária. Mas não deixe de fazer todos os exames antes de se decidir.

      Melhoras!

      1. Obrigada Dra. Barbara. Hoje seria a cirurgia, nas ele teve uma crise, vomitou e teve que ser internado. Estava muito debilitado e com hipotermia. Será dada a alimentação e hidratação venosa e estamos aguardando o resultado dos exames pre operatórios para saberem a conduta. Fico muito feliz por seu retorno tão breve. Foi de muita valia para mim. Deus lhe ilumine sempre. Um abraço fraternal. Edilza

  29. Olá Dra. Meu velhinho é um cocker de 13 anos com a boca bem complicada, precisando de uma limpeza de tartaro. Nos exames pre operatorios descobrimos que a Ureia e Creatinina estão elevados (250 e 3,7 respectivamente), mas clinicamente ele está bem. Não vomita, come bem. Fizemos soro subcutâneo diariamente por 1 mes e mesmo assim os valores não se alteraram. A veterinária aconselhou fazer a limpeza mesmo com esses valores, pois a boca pode ser a causa dessas taxas altas. Mas confesso que estou com muito medo. O que me aconselha? Por favor, me de uma luz.

    1. Olá, Beatriz! Se ele está clinicamente bem, é possível que se possa fazer o procedimento com segurança, embora seja recomendável fazer uma boa avaliação pré-operatória dele (como explico no artigo). Converse com o vet que será o anestesista durante o procedimento, pois ele provavelmente terá prática com casos como o do seu cãozinho e poderá dizer com maior certeza se ele pode ou não ser anestesiado. É possível que seja necessário fazer alguma adaptação na anestesia, por isso recomendo que, caso opte por fazer, que seja em um estabelecimento que tenha uma boa estrutura e uma equipe cirúrgica (não apenas um vet fazendo tudo, mas no mínimo um vet cirurgião e um anestesista).

      A limpeza dos dentes é importante, apesar de muita gente achar que é besteira. Ela é fundamental não apenas para o bem-estar do cão, mas também para a sua saúde. A doença periodontal pode causar diversos problemas sérios, que variam desde infecções cardíacas e generalizadas a problemas renais e fraturas espontâneas de mandíbula. Assim, se o animal estiver com este problema e estiver em condições de ser anestesiado, é recomendável que se faça. Veja este artigo para entender melhor: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/outros-saude/nao-ignore-esta-doenca-isso-pode-custar-vida-do-seu-cao/

  30. Olá Dra, tenho uma golden de 6 anos, ela toma o remedio humano Loten*** para o coraçao, ela perdeu 9 kg e agora chegou ao peso de 46kg. Recentemente observamos dois nodulos nas mamas e levamos ao veterinario, o qual recomendou a mastectomia e a castracao. Gostaria de saber o valor do procedimento e quais os riscos que ela corre na cirurgia, gostaria de saber tambem qual a chances que ela tem de sobreviver ao procedimento e se pode ter ocorrido metastase. Os nodulos apareceram há dois meses
    obrigada

    1. *O remedio do coraçao é apenas para a manutencao, ela nao apresenta sinais de cansaço ou fadiga excessiva, esses problemas foram resolvidos com a perda de peso

      1. Olá, Jully! Peço desculpas pela demora para responder.

        A recomendação para casos de tumores mamários é mesmo a remoção dos tumores (e, conforme o caso, de algumas mamas ou das cadeias mamárias), e da castração. Veja mais sobre os tumores de mama aqui: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/outros-saude/tumores-de-mama/

        Toda cirurgia tem um risco, ainda que o animal seja saudável. Mas é possível reduzir bastante este risco se forem feitos os devidos exames pré-operatórios, que fornecerão ao médico veterinário anestesista informações valiosas sobre o paciente para ajudá-lo a definir qual será o risco para aquele paciente e se será necessária alguma adaptação ou cuidado a mais durante a cirurgia.

        A constatação da presença ou não de metástases geralmente pode ser feita durante os exames pré-operatórios também. Geralmente, uma radiografia torácica pode nos indicar se há metástases (não é um método 100% acurado, mas é bem confiável).

        Quanto aos valores da cirurgia, não tenho como passar, já que isto varia bastante de uma cidade para a outra, e mesmo entre os profissionais. O custo do procedimento também pode variar de acordo com a estrutura do hospital ou clínica onde será realizado, o tamanho da equipe cirúrgica (eu recomendaria no mínimo dois profissionais), o tipo de anestesia utilizada (a anestesia inalatória tende a ser mais cara, porém mais segura), e outros fatores relacionados ao próprio animal – como o seu tamanho, doenças que possa ter, as lesões a serem removidas, etc. Peça um orçamento ao seu médico veterinário. É importante que este procedimento seja feito por um médico veterinário de sua confiança, já que, além de ser uma cirurgia importante, estamos falando de um animal idoso com problema cardíaco.

        Melhoras para ela!

    1. Olá, Gabrielli! Como mencionei no artigo, todo procedimento cirúrgico tem seu risco, mas os riscos podem ser muito reduzidos se for feita uma boa avaliação pré-operatória.
      Converse com o seu médico veterinário para que todos os exames necessários sejam feitos. Com os exames em mãos, vocês terão uma ideia melhor se ela está apta ou não a ser anestesiada, e se será necessária alguma adaptação durante o procedimento para dar mais segurança a ela.

  31. Minha cadela tem 14 anos,basset, agora tem q fazer limpeza tártaro e retirar um caroço na barriga4. Será q aguenta,estou c medo. Ela fez ultrassom,sangue e urina.

    1. Olá, Edilaine! Se os exames estavam normais, então é provavelmente seguro fazer os procedimentos. Se houve alguma alteração, vai depender do tipo de alteração encontrada. É importante o veterinário anestesista analisar os exames para saber se as alterações eventualmente encontradas são impeditivas ou não, e/ou se ele precisará tomar cuidados adicionais na hora da cirurgia.

  32. Bom dia Dra. Gostaria de saber quais os principais exames pré operatórios necessários pra fazer a cirúgia de mastectomia

  33. Olá!
    Minha cadela poodle numero dois tem 12 anos e nunca cruzou. Terça-feira ela fugiu e ficou sumida na rua por 2horas (imaginem meu desespero pelas ruas com meus filhos atrás dela),MS ela não sangra tem uns 2 anos já, e também não tinha cachorro algum no meu portão indicando que ela estava no cio,MS estou muito preocupada,pois se ela cruzou é perigoso um parto nesta idade??
    Me indicaram levar ao veterinário e dar uma injeção hoje até as 17:00,MS ela tem uns nódulos nas mamas que estávamos com os pedidos de exames para saber se é câncer….essa medicação pode piorar?
    Meu Deus,por favor alguém me ajuda a!!!???

    1. Olá, Fernanda! Caso ela estivesse no cio, e receptiva, ela pode sim entrar em gestação. As cadelas não têm menopausa como as mulheres.
      Essas injeções hormonais têm risco sim de causarem tumores de mama. O que vocês podem fazer – mas tem que ser já – é operá-la para retirar os tumores e castrar. Mas não pode demorar, pois, se ela tiver sido fecundada, logo os embriões irão se implantar. É melhor do que dar a injeção, na minha opinião.

  34. Boa noite, meu poodle tem 13 anos e esta com inicio de sopro, enfim esta apto para procedimentos cirurgicos, ele rompeu o ligamento e vamos tentar o procedimento de celulas tronco, mas o medico aconselhou já fazer junto o tratamento de tartaro, só que a anestesia seria mais forte, e estou na duvida se faço o tratamento ou não, porque vou me arrepender muito se qualquer coisa acontecer com ele em conta disso. Vale a pena fazer tratamento de tartaro nessa idade? Ou tem outro meio?

    1. Olá, Gabriela! Eu acredito que, se ela está apta a ser anestesiada, então deve ser feita a limpeza sim. A doença periodontal é algo muito mais sério do que parece, e que não só causar dor e sofrimento, mas também doenças cardíacas e infecções em outros órgãos. É muito importante tratar. Veja esse artigo para compreender melhor: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/outros-saude/nao-ignore-esta-doenca-isso-pode-custar-vida-do-seu-cao/

  35. Boa tarde Dra, minha cachorrinha tem 15 anos e vai ter que fazer a mastectomia, o Dr pediu o RaioX de Tórax, Radiografia em projeções:(Ventrodorsal e Laterolateral Decúbito lateral direito e esquerdo) . Ele disse que não precisa fazer o ultrassom abdominal, ele disse que esse esse raiox que ele pediu já mostra os rins e o fígado e que não tem metástase( no pulmão, rins e fígado). Isso é possível ou não existe essa possibilidade, que ver pra se ela tem a metástase nos rins e no fígado só msm fazendo o ultrassom abdominal?

    1. Na maioria dos casos, as metástases se concentram na região do tórax, por isso a radiografia. Ela normalmente nos dá uma boa noção se o animal tem metástases ou não. Mas, se quiser ter maior segurança, pode pedir para fazer uma ultrassonografia.

  36. Antes de fazer o exame ela tomou por 5 dias o Enrofloxacina( acabou na segunda a noite e fez o exame na quarta de manhã e ele não pediu jejum) E eu dei por muito tempo todos os dias figado de frango pra ela , será que foi o figado ou o remédio que fez com que o resultado desse alto? E apartir de qt tempo o Silimalon começa a fazer efeito? Ela tem que tomar por um tempo antes da cirurgia? e ela tem que continuar tomando depois da cirurgia? Ela tb tem Anemia o resultado deu 4,75 milhões/ mm3, ele disse que com uma semana tomando Eritrós já corrige essa Anemia( qual o tempo correto de dar o remédio pelo resultado)

    1. Luciana, a en***a pode ter sim causado alteração nas enzimas hepáticas, o que não significa que tenha causado danos ao fígado. Será preciso repetir o exame para terem certeza. se ela tem mesmo uma doença hepática, ou se foi só um aumento temporário das enzimas.

      Esta anemia é moderada, e é possível que seja corrigida com a suplementação. Vale a pena, é claro, investigar a sua causa. Talvez sejam os próprios tumores. Não há um prazo definido para o uso dessas medicações, já que cada animal tem uma resposta diferente. É importante que você dê os medicamentos conforme orientado pelo veterinário, e, ao final do tratamento, repitam os exames para ver se mudou alguma coisa. Com base nos exames de acompanhamento, será possível saber se é preciso manter o tratamento, ou se ele pode ser suspenso.

    2. Dra mas você não me respondeu se por ter dado fígado de frango por muito tempo e todos os dias, pode ter causado danos no fígado dela (fígado de frango e fígado de boi faz mal dar pra cachorro)

  37. Bom dia Dra, minha cachorrinha fez exame de função hepática e o resultado deu 145 e o normal é até 80, isso é grave? O veterinário que eu fui passou Silimalon( remédio humano) pra dar durante 2 meses, ela vai ter que fazer uma cirurgia de mastecotmia, ele falou que o resultado não interfere na cirurgia. Posso dar esse remédio humano pra ela? Pelo resultado que deu é preciso tomar medicamento? Isso realmente não impede de fazer a cirurgia? Mas e o pós operatório , se ela não tiver tomando nenhum medicamento , pode dar algum problema no fígado por causa dos remedios que ela vai ter que tomar depois da cirurgia (antibiótico e antiinflamatório)

    1. Bom dia, Luciana!

      Esse valor a que você se refere seria da ALT? Se for, o valor está um pouco alto, sim, mas não é tão alarmante. Essa enzima pode ficar aumentada se o cão estiver levemente desidratado, entre outros fatores que não necessariamente uma doença hepática (ou pode ser uma combinação desses fatores – por exemplo, ela pode aumentar um pouco porque está desidratada, e mais um pouco porque o fígado não está 100%). Mas você pode dar sim o medicamento prescrito pelo seu veterinário.

      A princípio, essa informação sozinha não impede a cirurgia, que é importante para a saúde e o bem-estar da sua cadela. É claro que o anestesista deverá tomar os devidos cuidados ao selecionar os anestésicos, e o seu veterinário também levará isso em conta no momento de prescrever os antibióticos e analgésicos após o procedimento. Mas, com as devidas cautelas, se essa foi a única alteração encontrada, ela não está impedida de ser operada.

      Melhoras para ela!

  38. Boa noite! Perdi uma poodle há quinze dias atrás. Ela tinha 16 anos e meio , passou por uma cirurgia de retirada de um tumor nas mamas e ocorreu tudo bem , apos uma semana verificamos outro caroço e a veterinária disse que pode não ter visto na hora da cirurgia e pediu para opera-la novamente. Após 2 semanas minha cachorrinha parou de comer e nem água ela tomava mais . Percebi também que ela estava urinando menos e sua vulva estava inchada . A veterinária disse que com o tempo desincharia. Por fim como ela também não estava mais se alimentando foi feito outro exame onde foi constatado anemia profunda. Gostaria de saber se ela pode ter morrido devida a cirurgia , fico muito angustiada e me culpando por ter deixado fazer a cirurgia.Ela já estava cega e passava a maior parte do tempo deitada , mas ainda comia e ficava feliz quando ouvia minha voz. Estou sofrendo muito ! A dúvida é se ela pode ter morrido devido a cirurgia ou foi apenas uma triste coincidência? Gostaria de ouvir sua opinião. Obg

    1. Olá, Adriana! Sinto muito pela sua perda… =(

      Sobre a causa da morte dela, é difícil fazermos qualquer afirmação com certeza. A forma que se teria de saber seria através de uma necropsia, mas, como já se passaram 15 dias, esta já não é mais uma possibilidade… A vulva inchada, caso ela não fosse castrada, poderia ser sinal de cio, e, portanto, sem qualquer relação com a cirurgia ou mesmo com a morte dela. E poderia ser também piometra (infecção uterina), algo que poderia levá-la à morte, mas que não teria qualquer relação com a cirurgia. Mas, infelizmente, agora, não há mais como verificar essas coisas.

      Seja como for, não se sinta culpada por nada. Você fez o que acreditou ser o melhor para ela, e não havia como prever o que aconteceu. Pode ter certeza de que ela não te culpa.

      Que a sua estrelinha agora descanse em paz, e que Deus lhe dê conforto e paz no coração neste momento tão difícil. Um grande abraço no coração!

  39. Boa noite,
    Tenho uma pinsher de 17 anos e ela tem um tumor na perna. Ele estava fechado e ela roeu ele e abriu. Estou tratando como ferida aberta desde dezembro. Levei na vet e ela falou que é para operar, pois será algo para melhorar a qualidade de vida dela. Minha cachorra tem sopro no coração, mas corre feito um filhote de 6 meses, brinca, come normal… já toma medicação para o coração e mais umas vitaminàs. Só estou com medo em relação a cirurgia, pois ela já é bem de idade. Gostaria se uma segunda opinião a respeito.

    1. Olá, Felipe!

      Pelo que relata, a sua cadela, apesar de idosa, parece ser bem saudável – tem boa disposição, se alimenta bem, come e brinca.

      O primeiro ponto que precisamos destacar é que idade não é doença. Por isso, o fato de ela ter 17 anos por si só não seria um impeditivo. Se ela toma medicação para o coração, então ela provavelmente tem algum grau de insuficiência cardíaca, mas deve ser bem moderado, já que ela tem disposição para correr e brincar. Por outro lado, um tumor ulcerado (com uma ferida que não cicatriza) é algo que pode representar um risco à vida e, mais ainda, ao bem-estar dela.

      É claro que sempre devemos ser cautelosos ao decidir operar um animal idoso. Mas para isso serve a avaliação pré-operatória. Sugiro que faça uma avaliação pré-operatória na sua cadela, pois, com isso, o veterinário anestesista terá informações que poderão ajudá-lo a calcular o risco do procedimento e a decidir se ela está apta a ser operada ou não.

      Veja também este artigo: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/bem-estar-animal/cao-esta-muito-velho-para-tratar-cancer/

      Um abraço!

  40. Bom dia! Tenho uma cachorrinha de 15 anos e vai ter q fazer pela segunda vez a cirurgia de metastase, mas no RaioX apareceu que ela tem silhueta cardiaca aumentada ela corre um risco maior na cirurgia?

    1. Olá, Luciana!
      A silhueta cardíaca aumentada é um indicativo de doença cardíaca, mas não necessariamente significa que o cão tenha insuficiência cardíaca. Normalmente, consideramos um cão como tendo insuficiência cardíaca quando ele já tem sinais do problema, como tosse e cansaço.

      Um cão com insuficiência cardíaca, a depender do grau do seu problema, pode ter um risco cirúrgico aumentado, mas nem sempre isso é impeditivo. Se a insuficiência for moderada, isso pode ser contornado através do uso de certos anestésicos, que são mais seguros e causam menos alterações cardiovasculares. É muito importante que haja um anestesista presente durante o procedimento (e não somente o cirurgião sem equipe cirúrgica, como acontece em alguns lugares), e que seja feita uma boa avaliação pré-anestésica.

      Fazendo uma boa avaliação da sua cadelinha, o anestesista poderá ter uma ideia razoável a respeito do risco do procedimento, e tomar os cuidados necessários (planejar qual anestésico usar, quais medicamentos/ equipamentos precisará ter disponíveis, etc.).

      Um abraço!

  41. Boa tarde! Meu cãozinho é um Poodle, toy de 2,5kg…já com quase 15 anos! Ele tem sopro acentuado em mitral, menos em tricúspide, sem tosse. É medicado diariamente com 1 dose de Lotensin 5mg. Recentemente teve gengivite com inchaço na bochecha, foi tratado, melhorou. Tenho a indicação de fazer a profilaxia, mas estou com TODAS as dúvidas quanto à fazê-la ou não. Tenho colhido informações e estou sem saber o que fazer, até agora soube de mais relatos contra que em favor de fazer, muito receio de perdê-lo por conta da cirurgia, meu idosinho…e agora?

    1. Olá, Maria Rozani!
      A profilaxia dentária é muito importante para a saúde e a qualidade de vida do seu cão, mesmo que ele já esteja bem velhinho. Tenho um artigo falando sobre o tema, recomendo a leitura: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/outros-saude/nao-ignore-esta-doenca-isso-pode-custar-vida-do-seu-cao/

      Em relação à cirurgia, o que posso dizer é: procure um bom hospital ou clínica veterinária, e leve o seu cãozinho para fazer uma avaliação pré-operatória. Pode ser que, mesmo tendo um problema cardíaco, ele ainda assim possa ser anestesiado – vai depender do estágio da doença cardíaca e de outras doenças que ele eventualmente possa vir a ter.

      A avaliação serve justamente para isso: para sabermos se um cão está apto ou inapto a ser operado, e se algum cuidado especial será necessário durante o procedimento. Depois de feitos todos os exames solicitados pelo anestesista (ou pelo vet que fará a limpeza), será possível ter uma melhor noção do que poderá ser feito ou não.

      1. Olá! Certo, lerei o artigo! Agradecida por sua resposta, foi bem esclarecedora! Excelente entardecer! Abraço!

  42. Minha cadelinha está com uma neoplasia no baço, ela fez o hemograma e o bioquímico ela não está com nenhuma deficienica nem debilidade, só descobrimos pq ela fez uma ultra para saber se estava com cistite, ela come, bebe água e faz tudo normal, a vet disse que primeiro deveriamos acompanhar pra ver se o nodulo estagnou ou está cresendo pois já que não está “prejudicando” ela achava melhor não operar de imediato já que ela já tem 09 anos. Qual sua opinião?

  43. Bom dia, tenho uma boxer de 12 anos, ela já operou uma mama que estava com tumor há uns 2 anos atrás e agora está com um pequeno tumor novamente. A veterinária recomendou remover toda a cadeia mamária, mas ñ seria uma cirurgia muito grande para um cachorro nessa idade, não seria melhor tirar só a mama que esta com, tumor?
    Necessito muito da opnião de um profissional, pois, sei que minha cachorra já é velhinha e eu ñ queria submetê-la a grandes cirurgias

    1. Olá, Crislei!
      Apesar de que a remoção de toda a cadeia mamária seja bem radical, ela muitas vezes é mesmo a opção mais indicada. Simplesmente retirar o tumor não impede que ele volte a aparecer – e, se ele voltar, a tendência é que volte de forma mais rápida e agressiva.

      Veja este artigo para compreender melhor os tumores de mama em cadelas: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/outros-saude/tumores-de-mama/

      E também este artigo sobre tumores em geral, que explica a questão das cirurgias mais radicais que as vezes são necessárias: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/outros-saude/cancer-neoplasia-ou-tumor/

      Um abraço!

  44. Olá!

    Meu Cocker Spaniel tem 16 aninhos, está muito bem, todos falam, ele corre, late, brinca, rola, pula, come pra caramba, não tem dificuldade com nada mesmo estão um pouco surdo e um pouco cego, não está totalmente!

    Graças a Deus meu bebê está muiiiito bem pra idade que tem, o que eu noto é um pouco de atitudes que são sintomas daquela doença tipo mal de alzheimer de cães, porém são alguns sintomas e é algo recente e claro as inúmeras verrugas pelo corpinho, minha pergunta é… ele tinha três verrugas enormes na cara, 1 na boca pequena, que sangra de vez em quando se ele bate ou encosta e machuca, outra que ficava pendurada próximo do olho e caiu desaparecendo, mas dando lugar a uma nova porém na parte de cima do olho (pálpebra eu diria), que está muito grande já, e fica formando casquinha mas ele coca ou bate e cai a casca e aparece a carne viva de novo e sangue… uma veterinária disse que se seria necessário operação estética o que não é recomendado para idade dele, outra disse que não tem problema nenhum operar (nenhuma fez exame ou analisou a fundo, somente olharam), será que o risco é muito alto de operação? Estou com medo de virar um câncer, ou inflamar sei la.. o que eu faço? Podem me dar uma orientaçãozinha de qual caminho seria melhor seguir?

    1. Olá Danielle! Tudo bem?

      As verrugas, na maioria das vezes, não prejudicam a saúde do cão, e a sua remoção é opcional. MAS há exceções a esta regra… Por exemplo, se a verruga estiver num local que incomode o cão – como na boca, nos olhos, ou outras regiões sensíveis -, ou se estiver sangrando, pois, neste último caso, há risco de que a lesão se torne maligna (câncer).

      Pela sua descrição, entendo que provavelmente seja o caso de operar mesmo, pois as verrugas dele incomodam E sangram. Nestes casos, a cirurgia deixaria de ser puramente estética, e teria como objetivo melhorar a saúde e o bem estar do seu cão. Se o seu cão é aparentemente saudável, a princípio, acredito que seria bom operar sim. Mas, logicamente, façam antes os exames pré-operatórios. Isso é fundamental para qualquer cirurgia, em qualquer idade.

      Ainda sobre as verrugas, temos um artigo falando especificamente sobre isso. Acredito que possa ajudá-la: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/dermatologia/verrugas-tem-que-tirar/

      Um abraço!

  45. Olá! Meu cachorro é um chow chow de 10 anos e meio. Ele é super “arisco”, meio bravo e é impossível fazer algum tipo de exame sem precisar dopar. Já há dois anos fizemos esse procedimento, porém agora, como já se passou mais tempo, sempre volta o receio. Minha dúvida é se existe realmente diferença entre um sedativo e anestesia. Porque no caso dele, seria mesmo um calmante, para que consigamos tirar sangue para verificar se ele está com alguma doença (vi carrapato nele há 1 mês), além de precisar fazer uma radiografia e tratamento de tártaro. Sempre dá medo né? Se puder me explicar se há diferença e se é tranquilo, ficarei super grata!! E parabéns pelo site! Adorei!

    1. Olá, Ka!
      Existe diferença sim, entre sedação e anestesia.

      A sedação apenas reduz a ansiedade, podendo produzir sono e amnésia (comumente, a pessoa ou animal não consegue se lembrar do que aconteceu enquanto estava sedada). Ela não elimina a dor, e permite que o cão continue respirando normalmente. Em geral, os sedativos têm uma boa margem de segurança (os sedativos em geral são bem seguros), e costumam ser usados para exames, pequenos procedimentos (junto com a anestesia local), e também como medicação pré-anestésica, permitindo assim que a dose necessária de anestésicos seja reduzida.

      A anestesia geral produz total inconsciência e imobilidade, podendo interferir com funções vitais, como a capacidade de respirar. Por esta razão, todo animal anestesiado deve ser entubado – assim, se necessário for, é possível ajudá-lo a respirar durante a cirurgia. A analgesia (eliminação da dor) também é uma característica importante, apesar de que alguns anestésicos gerais precisam ser associados a outras drogas para um controle adequado da dor.

      Importante notar que, no caso da profilaxia dentária (limpeza do tártaro), é necessário fazer anestesia geral mesmo. Uma simples sedação não permite a manipulação adequada da boca e não elimina a dor inerente ao procedimento, especialmente se for necessário retirar um ou mais dentes. Então, no caso do seu cão, pode ser usada a sedação para os exames, mas, se forem limpar os dentes dele, será preciso realmente anestesiar. Temos um artigo sobre o tema:

      https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/outros-saude/nao-ignore-esta-doenca-isso-pode-custar-vida-do-seu-cao/

      Toda anestesia – e até mesmo a sedação – tem algum risco, e é claro que, num animal idoso, precisamos ser especialmente cuidadosos. No caso do seu cão, aparentemente não é possível fazer os exames pré-anestésicos sem a sedação, mas, por outro lado, é muito importante manter a saúde dele em dia. Então, se não tiver como examiná-lo acordado, ele realmente precisará ser sedado para fazer os exames. Inclusive, neste momento, pode-se aproveitar para fazer exames pré-anestésicos nele no caso de ser necessário fazer a remoção do tártaro. Existem diversos tipos de anestésicos, e o veterinário poderá escolher o mais seguro para o SEU cão com base nos resultados dos exames.

      Um abraço, fico à disposição!

      1. Muito, muito obrigada pela orientação!! Me ajudou demais! Sinceramente não tinha parado para pensar que o sedativo não elimina a dor….Vou rever então a necessidade de uma profilaxia dentária. Os outros vou precisar fazer mesmo. Enquanto eles estiver sedado para realização dos outros exames, vou pedir ao vet para que olhe a boca dele para ver se efetivamente é necessária a remoção do tártato. Para esse procedimento (do tártaro) não poderia ser uma anestesia local, só na boca ao invés de geral?
        Mais uma vez, te agradeço muito..Um grande abraço

      2. Muito, muito obrigada pela orientação!! Me ajudou demais! Sinceramente não tinha parado para pensar que o sedativo não elimina a dor….Vou rever então a necessidade de uma profilaxia dentária. Os outros vou precisar fazer mesmo. Enquanto eles estiver sedado para realização dos outros exames, vou pedir ao vet para que olhe a boca dele para ver se efetivamente é necessária a remoção do tártato. Vou ler o link sobre a profilaxia.
        Mais uma vez, te agradeço muito..Um grande abraço

        1. Olá, ka! Que bom que pude ajudar! =)

          A profilaxia dentária realmente requer anestesia geral, pois apenas com a sedação não é possível relaxar a boca do cão o suficiente para se conseguir uma manipulação adequada. A analgesia também é um fator limitante, já que o procedimento pode causar dor.

          Alguns vets se propõem a fazer a profilaxia com o cão apenas sedado, mas, como já mencionei, não é possível manipular adequadamente a boca de um cão apenas sedado. Então, a limpeza fica apenas superficial e não impede os principais efeitos negativos dos cálculos dentários – como a dor crônica, infecções cardíacas, e até mesmo fraturas patológicas.

          Um grande abraço!

Comments are closed.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}