julho 12

Como tratar cardiopatias de forma natural

37  comENTÁRIOS

Você sabia que a dieta é um dos componentes mais importantes no tratamento das doenças cardíacas? e que, com uma nutrição adequada, é possível não apenas melhorar a qualidade de vida do seu cão, como reduzir as quantidades de medicamentos necessárias e prolongar a sua vida?

Quando um cão tem insuficiência cardíaca, numa tentativa de manter a pressão arterial e a perfusão tecidual (ou seja: fazer com que o sangue chegue em todos os lugares), o seu corpo ativa mecanismos que são chamados compensatórios, que nada mais são do que tentativas de “compensar” um desequilíbrio com outro. No caso da insuficiência cardíaca, o coração não consegue mais bombear o sangue adequadamente para todo o corpo; para tentar fazer com que o sangue chegue a todos os lugares do corpo, um sistema complexo faz com que o coração bata mais rápido (taquicardia), as artérias fiquem mais estreitas (vasoconstrição) para aumentar a pressão sanguínea, e ocorra a retenção de sódio (sal) e de água. O resultado deste mecanismo, inteligente e eficaz a curto prazo, porém extremamente danoso a longo prazo, é que o sangue passa a circular mais rapidamente, com maior pressão, e em maior volume.

O problema é que as doenças cardíacas não são de “curto prazo”, muito pelo contrário; e a consequência disso é que o mecanismo que deveria ajudar o corpo a funcionar melhor, na verdade acaba por sobrecarregar ainda mais um coração que já não estava dando conta do recado – afinal, agora ele precisa bombear mais sangue, mais rapidamente, e com maior pressão. A médio/ longo prazo, este mecanismo compensatório se torna bastante prejudicial ao organismo, e, além de agravar a própria doença cardíaca, levando a complicações como dificuldade respiratória e edema pulmonar, ainda pode causar problemas renais.

cão deitado - cardiopatia

E o que a dieta tem a ver com isso tudo? Bom, a chave aqui é o sódio: todo mundo sabe que pessoas com problema de pressão alta não devem consumir alimentos com excesso de sal, pois eles fazem com que a pressão aumente. A mesma regra vale para os nossos amigos cães. Lembra que mencionamos acima, que, numa tentativa de compensar o problema cardíaco, o corpo começa a reter sódio e tentar aumentar a pressão sanguínea? É este o mecanismo que nós temos que deter. Inclusive, boa parte dos medicamentos utilizados no tratamento de doenças cardíacas se presta exatamente a isso: a tentar conter este mecanismo.

Um cão com doença cardíaca deve, portanto, consumir menos sal. Tenhamos claro, aqui, que menos sal não é sinônimo de nenhum sal. A total ausência de sal na dieta também é prejudicial, pois pode, também (adivinha?), ativar os mesmos mecanismos compensatórios que estamos tentando conter. Estranho, mas é verdade: ao notar que o indivíduo não está consumindo sal, o corpo irá se esforçar ao máximo para “segurar” o que tem…

MAS QUANTO SAL?

Infelizmente, ainda não há um consenso quanto a isso. Não estão estipulados, ainda, valores mínimos ou máximos que um cão deve consumir, seja em condições normais, seja com doença cardíaca. Alguns estudos têm sugerido que, para cães com insuficiência cardíaca leve, é indicado que o sódio represente de 0,15% a 0,25% da matéria seca ingerida, e de 0,08% a 0,15% para cães com insuficiência cardíaca avançada.

Para se ter uma comparação com as dietas comerciais específicas para cães cardiopatas disponíveis no Brasil, temos que:

  • A Royal Canin Early Cardiac Canine (seca) contém 0,16% de sódio;

  • A Hill’s Prescription Diet h/d contém 0,08% de sódio;

  • A Equilíbrio  Veterinary Cardiac contém 0,2% de sódio;

  • A Premiatta Canine Cardiac contém 0,06% de sódio;

  • A Premier Nutrição Clínica Cardio Cães contém 0,15% de sódio.

pote de ração

Além dos teores restritos de sódio, as rações comerciais específicas para cães com problemas cardíacos contêm outros nutrientes importantes que ajudam na melhora da função cardíaca, tais como antioxidantes, ácidos ômega 3 (falaremos mais sobre isso adiante), níveis adequados de potássio e magnésio, taurina, maior concentração calórica para prevenir caquexia, etc.

As rações para cães idosos costumam conter alguns destes ingredientes, porém não todos; os teores de sódio nestas rações também variam bastante de uma fórmula para outra, e por isso nem sempre são adequadas para cães com problemas cardíacos. Mesmo assim, como falaremos mais adiante, pode ser uma opção viável para animais em estágios iniciais da doença.

As dietas caseiras também são ótimas alternativas às formulações comerciais, e ainda têm duas grandes vantagens: elas podem ser adequadas para as necessidades específicas de cada paciente, e costumam ser muito mais gostosas! Por outro lado, uma dieta caseira – especialmente para um animal doente – não é sinônimo de alimentar o cão com sobras de comida. Para suprir as necessidades do seu cão cardiopata, você precisará do acompanhamento de um nutricionista veterinário, que irá indicar quais alimentos devem ser dados para o seu cão, e em quais quantias. Os alimentos devem ser frescos, e preparados especialmente para ele. Por esta razão, as dietas comerciais acabam sendo as mais indicadas na maioria dos casos – mas se você está disposto a procurar um nutricionista veterinário e a preparar as refeições do seu animalzinho, com certeza faça isso! Assim ele terá um alimento muito mais apetitoso, e formulado especialmente para as necessidades dele. ATENÇÃO AOS PETISCOS Muita gente esquece de levar em consideração o sódio que está (muito) presente nos petiscos dados aos cães, sejam eles “bifinhos”, ossinhos, biscoitos, “molhos” ou patezinhos adicionados à ração, ou restos de alimentação humana. Ainda que não seja proibido fazer alguns “agradinhos” ao cão cardiopata, lembre-se de que petiscos também são alimentos e também contêm sódio, sendo capazes de, por si só, sabotar toda uma dieta equilibrada (que nem a gente!), seja ela composta por alimentos comerciais ou feitos em casa. Por esta razão, os petiscos devem ser dados com moderação, e preferencialmente devem ser selecionadas opções com menos sal, como frutas ou alimentos preparados em casa com menor quantidade de sal. Se o “agrado” for para melhorar a aceitação da ração, vale a pena tentar outras marcas de ração, ou mesmo passar para a dieta caseira orientada por um nutricionista veterinário. Outra opção ainda é utilizar, como “tempero” para a ração seca, os alimentos úmidos próprios para cardiopatas (como os da Royal Canin e da Hill’s).

E OS OUTROS NUTRIENTES?

Apesar de o sódio ser um dos componentes que mais merecem atenção quando se prescreve uma dieta para um cão cardiopata, ele certamente não é o único. Vejamos aqui alguns deles:

Proteínas

Os cães são carnívoros, e as proteínas são parte importante da sua dieta, especialmente as que contêm aminoácidos importantes, como a taurina e a carnitina. A suplementação destes nutrientes tem se mostrado benéfica em pacientes com doenças cardíacas, com efeito direto na melhoria da expectativa de vida de animais com Insuficiência Cardíaca Congestiva (ICC); inclusive, a carnitina tem efeitos positivos comprovados inclusive em pacientes com problemas renais!

Pote com ração, carne, e pescoço

Com a idade, a capacidade de digerir proteínas tende a diminuir, por isso é importante que as proteínas oferecidas na dieta sejam de alta qualidade e fácil digestão. No caso das doenças cardíacas, o consumo de proteínas se torna ainda mais importante, já que os animais nesta condição tendem a perder massa magra (músculos) e entrar em caquexia. Estudos indicam que alimentos comerciais com um teor de 15 a 23% de proteína na Matéria Seca oferecem quantidade suficiente de proteína aos cães idosos.

A restrição de proteínas apenas é recomendável nos casos de doença renal instalada. A redução na quantidade de proteínas ingeridas em pacientes (cujos rins são) saudáveis não previne ou retarda o eventual aparecimento de doença renal, e pode ter efeitos negativos na saúde do cão.

Gorduras

Apesar de a obesidade por vezes acometer os pacientes idosos, nos cardiopatas muitas vezes o problema acaba se tornando justamente o contrário: a insuficiência cardíaca faz com que o corpo gaste mais energia, e, portanto, não raro estes animais entram num estado de caquexia.

As gorduras aumentam a densidade calórica nos alimentos, ou seja: quando há gorduras, menores quantidades de alimentos contêm mais calorias. Elas também tornam os alimentos mais palatáveis (gostosos). Este detalhe é importante, visto que, com a idade, os cães perdem parte da sua capacidade de sentir os sabores, e seu apetite tende a diminuir (o apetite pode estar aumentado em certas condições, como na Síndrome de Cushing). Assim, as gorduras ajudam o cão a ingerir a quantidade adequada de calorias e a diminuir a chance de que ele se torne caquético.

Ácidos Graxos Ômega 3

Os ácidos graxos ômega 3, presentes, por exemplo, no óleo de peixe, têm demonstrado inúmeros efeitos benéficos em cães cardiopatas: eles ajudam a reduzir a arteriosclerose, a trombose, e a corrigir a hipertensão, arritmias e hiperlipidemia (excesso de gorduras e colesterol no sangue), podendo inclusive diminuir a ocorrência de mortes súbitas por arritmias cardíacas. O óleo de peixe deve ser adicionado à dieta por pelo menos 6 semanas antes de os resultados se tornarem mais evidentes.

Antioxidantes

Os antioxidantes podem ser diversas substâncias, entre vitaminas, minerais, enzimas, e até mesmo os ácidos graxos ômega 3 que citamos acima. Nesta categoria, se destaca a vitamina E, que pode até mesmo ajudar a prevenir doença cardíaca em animais propensos, e a diminuir os efeitos maléficos da ICC.

MEU CÃO TEM UM SOPRO. DEVO COMEÇAR A DIETA ESPECIAL?

Mais um assunto controverso é o momento de se iniciar a dieta específica para cardiopatas. Os estudos indicam que não há benefício em restringir o sódio precocemente – ou seja, se o cão não tem doença cardíaca, diminuir o sódio da dieta dele não irá evitar que um dia ele passe a ter (claro, excessos devem ser evitados). Por outro lado, uma restrição de sódio já no início da doença pode ajudar a retardar a progressão da doença, aliviar os sintomas, e diminuir as doses de medicamentos necessárias.

Ainda que não haja um consenso, podemos considerar que, enquanto o cão for assintomático, não é necessária a dieta especial. Então, mesmo que seja detectada uma arritmia, um sopro, ou até mesmo um aumento do coração nos exames de rotina, não há necessidade de tratamento dietético ou medicamentoso.

medicamentos e vitaminas

Quando o cão começa a demonstrar sinais leves de insuficiência cardíaca, com intolerância a exercícios e cansaço, por exemplo, é que a dieta especial deve ser iniciada. Neste momento inicial, mesmo algumas rações para idosos podem ser suficientes para auxiliar no controle da doença. Converse com o seu veterinário sobre a ração específica que você dá ao seu cão; como existem muitas fórmulas, e nem todas são adequadas para cardiopatas, é importante saber se você pode continuar com a mesma ração ou deve mudar.

Quando os sinais de insuficiência cardíaca se tornam óbvios, especialmente se o cão já chegou a “descompensar” (apresentar ascite ou edema pulmonar, por exemplo) a dieta definitivamente deve ser específica para cardiopatas, seja a ração especial ou a dieta caseira prescrita pelo nutricionista veterinário. Como vimos acima, as diferentes rações especiais contêm diferentes teores de sódio, e por isso algumas podem ser mais indicadas nos estágios mais iniciais da doença, enquanto outras devem ser reservadas para os estágios mais avançados.

Se o seu cãozinho tem insuficiência cardíaca e está em tratamento, não perca tempo: comece logo a dieta dele, e pergunte ao seu veterinário se ele pode se beneficiar com o uso de alguma suplementação. Assim, você irá ajudá-lo a ter mais qualidade de vida por muito mais tempo, e com menos remédios!

O MEU CÃO VELHINHO ADVERTE: a dieta não substitui o tratamento medicamentoso prescrito pelo médico veterinário, ela serve coadjuvante ao tratamento; quando feita corretamente, pode reduzir a necessidade do uso de drogas. Não reduza ou retire medicações sem a devida orientação veterinária.


Você também pode gostar:

  1. Olá, meu cão foi diagnosticado com ICC em janeiro, por um mês e meio os remédios surtiram efeitos e ele parecia não ter nada, porém agora as crises estão constantes, a respiração sempre ofegante e crises de tosses todos os dias, os remédios dele não oram mudados, mas eu quero fazer de tudo para ajudar ele, gostaria de orientação nutricional , seria possível? Estou em desespero….. Obrigada ç.ç

  2. Meu cachorro está com problemas no coração, e ele vem tendo constantes desmaios, e respiração ofegante.
    Já levei ele no veterinário e não mudaram a ração dele para um cão cardiaco.
    Esses desmaios já são em estágios avançados? Ainda dá tempo de fazer a dieta dele?

    1. Olá, Cibele!
      Pelo que me descreve, parece que o caso dele está um pouco avançado sim, mas é claro que pode ser tratado. Ele está sendo medicado?
      A dieta é parte muito importante do tratamento das cardiopatias, e você pode fazer isso com ração especial ou com alimentação natural. Sempre há tempo para melhorar a alimentação do seu cão.
      Caso tenha interesse em adotar a alimentação natural, eu faço orientação nutricional. Escreva para contato@meucaovelhinho.com.br se quiser mais detalhes 😉
      Um abraço!

      1. Dra,

        Dra. agradeço imensamente a resposta, vou correr o quanto antes com a mudança da alimentação (com auxilio de um nutricionista)
        Obrigada!

  3. Meu cachorro tem problema no coração, e bronquite o coração está bastante fraco e a tosse esta constante ele já tem quase 17 anos é um Yorkshire o que devo fazer já levei várias vezes ao veterinário e não sei mas o que fazer.

    1. Olá, Avana!
      É importante saber que a insuficiência cardíaca não tem cura, e é uma doença progressiva. Isso significa que o tratamento é para o resto da vida, e que a tendência é que o problema vá se agravando conforme o tempo passa.
      Por conta disso, é recomendável que, no mínimo a cada 6 meses, o cão seja levado ao veterinário para revisar o tratamento. Não raro, é preciso alterar ou acrescentar medicamentos, ou mudar as doses utilizadas para que o cão se mantenha estável. Estas revisões podem ser feitas com frequência ainda maior se for observada piora no quadro antes do prazo de 6 meses.
      Assim, se você observou que o seu cão piorou ou não melhorou desde a última consulta, pode ser o caso de levá-lo para ser examinado mais uma vez. Se possível, procure um cardiologista veterinário para orientar o tratamento.
      Um abraço!

  4. Olá. Faz 12 dias que minha cadela, srd de 8,5 anos, foi diagnosticada. Ela não tem problema nos rins e fígado. Nos primeiros dias ela comeu a ração indicada, mas faz uns 3 dias que não está comendo quase nada. Hj ela não comeu nada. Já misturei a ração com o patê da Royal canin e mesmo assim ela não come. Posso misturar alguma carne, como fígado ou frango na ração? O que você acha? Desde já agradeço a atenção.

    1. Olá, Labata!
      Você pode misturar pequenas quantidades destes alimentos na ração, apenas para dar sabor (no máximo, 10% da alimentação dela pode ser composta por petiscos – considere estes “temperos” como petiscos). Outra opção pode ser você adotar uma alimentação natural para ela, desde que devidamente orientada por um profissional. Normalmente, é mais bem aceita do que a ração.
      Eu faço orientação nutricional online, porém, no momento estou com bebê recém-nascido, e por isso estou com poucas vagas na minha agenda. De toda forma, se tiver interesse, me escreva no email contato@meucaovelhinho.com.br para que eu possa passar mais informações. Outra opção ainda é que você procure um profissional na sua cidade para fazer essa orientação.

  5. Drª espero que possa tirar uma dúvida. Agora em dezembro, minha Lindinha começou a apresentar tosse e o diagnóstico com o eco confirmou o aumento do coração e o ICC. Ela está tomando Pimobendan, Lotensin e Espironolactona. Ela apresentou melhora, porém além disso ela está com uma inflamação nos dentes e será preciso a retirada destes. Ela tomou antibiótico para o dente, mas segundo a veterinária ela terá que remover os dentes e como ela apresentou melhora com um pouco menos de 1 mês tomando remédio para o coração, a veterinária a liberou para a cirurgia. Porém estou com medo do corazãozinho dela não aguentar. O que a Drª acha?

    1. Olá, Patrícia!
      Se a veterinária que acompanha a sua cachorrinha liberou para a cirurgia, então, com as devidas adaptações na anestesia, provavelmente será seguro fazer a limpeza. É preciso compreender em que, apesar de que muitas vezes as pessoas consideram a limpeza dos dentes dos cães como algo dispensável, a verdade é que eles podem afetar seriamente a saúde do animal, e é muito importante que sejam tratados adequadamente. Veja este artigo: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/outros-saude/nao-ignore-esta-doenca-isso-pode-custar-vida-do-seu-cao/

      É claro que, para o procedimento ser seguro, deve ser feito numa clínica com boa infraestrutura, e com uma equipe cirúrgica bem preparada (não apenas um veterinário fazendo o procedimento sozinho; é preciso que haja, no mínimo, um anestesista junto).

      Melhoras para ela!

  6. Olá! Estou fazendo um trabalho na universidade sobre dieta para cães com problemas cardíacos. Você recomenda procurar um médico veterinário ou um nutricionista veterinário. Vamos lembrar dos zootecnistas, que apesar de não serem médicos estudam para fornecer o alimento ideal nas diferentes categorias e situações em que o animal se encontre ( por exemplo doenças). Gostei da publicação. Obrigada!

  7. Bom dia ! Meu Miguel já se encontra c insuficiência cardíaca, o líquido do abdômen saiu, mas continua no pulmão. Ele tá c o coração bastante grande, gostaria de saber como q eu faço p dar uma boa qualidade de vida a ele? Ele tá tomando a medicação lasix, lisonopril e adactone e vai começar a tomar tb pimobendam q é de farmácia manipulara p cães. Ele tá comendo a ração Equilíbrio cardiac, mas as fazes dele não tá bem!
    Ele é da raça Scoth terrier, eu queria q ele volta-se a ficar alegre, espertinho, ele não tá mais c aquela alegria, o olhar dele não se encontra mais c aquele brilho. Teria como vc me dar umas dicas? Na própria alimentação dele, q pudesse ficar mais apetitosa p ele e benéfica p a sua saúde, fora outras dicas p cão cardíaco.

    ,

    1. Olá, Juçara!

      Tenho um outro artigo sobre insuficiência cardíaca que pode lhe ser útil: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/cardiologia/se-o-seu-cao-esta-tossindo-preste-atencao-ele-pode-estar-com-insuficiencia-cardiaca/

      Em relação aos cuidados com o Miguel, você já está indo muito bem – dando a medicação conforme orientado pelo seu veterinário, e usando a dieta especial para cães cardiopatas. O que você precisa observar é que, caso ele não pareça melhorar (ou se parecer piorar), você deve retornar ao veterinário para reajustar as doses dos medicamentos. Por ser uma doença progressiva, a tendência é que, com o passar do tempo, as doses dos medicamentos precisem ser alteradas, ou mesmo alguns medicamentos podem eventualmente precisar ser trocados ou adicionados. Infelizmente, não há cura, e é preciso conviver com o problema da melhor maneira possível.

      Em relação à alimentação, para torná-la mais apetitosa, você tem basicamente duas opções: pode tentar adicionar um patezinho à ração dele (entenda-se: patezinho próprio para cães – existem latinhas de ração pastosa da Royal Canin e da Hill’s, por exemplo, que são específicas para cães com problemas cardíacos); ou pode adotar a alimentação natural (https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/nutricao/alimentacao-natural-para-caes/), se tiver disponibilidade de preparar os alimentos para ele.

      No caso da alimentação natural, só recomendo se for feita seguindo as orientações de um médico veterinário – pode ser o seu médico veterinário, se ele trabalhar com isso, ou um nutricionista veterinário da sua cidade. Muito em breve estaremos oferecendo o serviço de orientação nutricional online também 😉

      Um abraço!

  8. Olá! Tenho uma cadelinha de 15anos, pequeno porte, que tem apresentado desmaios, e, desde então, começou a ter dificuldade com as funções motoras, visão e respiração ofegante. Também apresenta o “engasgo”, algo que eu não havia associado a qualquer enfermidade. A veterinária suspeita de doença cardíaca e vamos começar os exames amanhã. Sou grata pelo artigo.

  9. Bom dia Drª Bárbara. Temos uma poddle que foi adotada há uns 8 anos, estimamos que ela tenha uns 14 anos de vida, pelas condições dela.
    Em agosto de 2016, descobrimos que ela é cardíaca e além disso, acabamos de descobrir sofre com problemas renais também… Até então ela sempre comeu Cibau da Farmina, e aceitava muito bem, além de frutas. Começamos a dar ração Farmina Vet Life renal, e ela não apreciou muito a ração. Pergunto, poderíamos cozinhar um peito de frango, sem tempero e sem aqueles excessos de gorduras e utilizar um pedacinho desfiado em cada refeição para aumentar a vontade dela em comer?

    1. Olá, Adriana!
      Se ela tivesse somente o problema cardíaco, não haveria problemas em adicionar um pouquinho de frango à ração para torná-la mais atrativa.

      Mas, como ela tem também insuficiência renal, ela deve receber uma dieta com restrição de proteínas – então, deve-se evitar qualquer fonte de proteínas extra além da que está contida na ração, como seria o caso do frango. O que ela pode comer como “extra” são frutas, legumes, e, eventualmente, alguns carboidratos – nunca excedendo 10% das calorias diárias.

      Posso sugerir duas alternativas: (1) compre uma ração pastosa (latinha) específica para cães com insuficiência renal para misturar à ração; ou (2) passem a dar uma dieta caseira a ela. A dieta caseira costuma ser mais bem aceita do que a ração, mas é preciso que, para isso, você receba a orientação de um nutricionista veterinário. Estamos planejando iniciar o serviço de consultoria nutricional aqui no site dentro dos próximos meses, mas , por hora, devo recomendar que procure um profissional na sua cidade caso queira experimentar a dieta caseira.

  10. Minha cachorrinha é poodle esta com 11 anos e ela toma espirolactona e enalapril qual a melhor ração pra ela?

    1. Olá, Cristiane! Existem várias rações específicas para doenças cardíacas, e, genericamente falando, todas elas são muito boas.
      Citei algumas das principais no artigo, com a observação de que há diferenças na composição de cada uma, inclusive nos teores de sódio. Isso faz com que algumas sejam mais indicadas para cães em estágios mais iniciais da doença (como a Equilíbrio), e outras, para estágios mais avançados (como a Premiatta). Quem saberá dizer em que estágio a sua cadelinha se encontra é o veterinário que faz o acompanhamento dela, por isso, não tenho como dizer especificamente para o caso dela qual seria a mais indicada.

  11. Bom Dia Dra, o que devemos fazer quando o cão não quer comer a ração cardiac? Mesmo misturando com outra ração ele não come.

    1. Bom dia, Andreia!
      Você pode experimentar outras marcas, para ver se ele aceita melhor. Se, mesmo assim, ele não aceitar, outra opção pode ser você mudar para a dieta caseira.
      Logicamente, para fazer uma dieta caseira para o seu cão – especialmente considerando que ele tem um problema cardíaco -, você precisará obter orientação junto a um nutricionista veterinário.
      Estamos planejando implantar um serviço de orientação nutricional aqui ainda esse ano, mas, por hora, é preciso que você procure um profissional na sua cidade.
      Um abraço!

    1. Sim, a maioria dos cães com insuficiência cardíaca tem problemas de pressão e precisa ser medicado para este fim. Mas, como mencionei anteriormente, a preocupação maior deve ser com os níveis de sódio – e a maioria das frutas não representa riscos neste sentido. É preciso apenas tomar cuidado com frutas potencialmente tóxicas, como as uvas 😉

  12. Ola Dra. Tenho uma dachshund com 14 anos e apresentou problema cardíaco, esta tomando medicação já ha um mês, ela gosta muito de comer frutas, porém a veterinária disse para evitar as frutas. Pq esta sendo a maneira mais fácil de fazer com que ela tome o remédio.

  13. Dra. Bárbara, nosso cãozinho Poddle possui 13 anos e foi diagnosticado com um tipo de tumor aderido ao músculo na região da costelinha, junto a isso ele é cardiopata há 4 anos, desde então toma medicação indicada por cardiologista e comia ração Golden Senior. Agora nos foi indicada uma ração da N&D na tentativa de ajudá-lo na alimentação em função do tumor. Estava inclinado a dar a ração para cardíacos e então pergunto: Há problema em misturar as duas rações? Se sim, qual melhor indicada no caso do meu senhorzinho?
    Muito obrigado pela atenção e parabéns pelo artigo.

    1. Olá, Yuri! Perdão pela demora! Confiro todos os dias as mensagens, mas, por algum motivo, a sua acabou ficando sem resposta =(

      Pois bem, não é recomendável misturar rações, pois cada uma é balanceada de uma forma diferente, e calculada para ser consumida dentro de uma quantidade “x”. Quando misturamos rações diferentes, o cão acaba não comendo a quantidade correta nem de uma e nem da outra ração, o que pode levá-lo a ter deficiências nutricionais.

      A ração N&D é excelente, por conter teores bem altos de proteínas, ajudando a combater a caquexia causada pelo tumor, e mesmo pelo próprio problema cardíaco. Por outro lado, a embalagem não especifica os teores de sódio, que devem ser bem controlados para cães com problemas cardíacos. Já as rações cardíacas em geral, têm este cuidado com o sódio, mas têm teores um pouco menores de proteína. Uma opção talvez seja dar uma ração cardíaca e suplementar aminoácidos, com a orientação do seu médico veterinário.

      Outra opção pode ser você opte por uma alimentação caseira, devidamente prescrita por um nutricionista veterinário. Assim, será possível controlar todos esses fatores 😉

      Um abraço!

  14. Olá Dra. Bárbara, nossa cadela Chita foi diagnosticada com cardiopatia aguda e já apresenta dificuldade respiratória, patas inchadas, fraqueza (não consegue ficar em pé), acumula líquido abdominal, nos pulmões e no tórax e variações de temperatura, ela já está com 15 anos. Gostaria de saber se existe alguma alternativa, pois, foi indicado no caso dela a eutanásia para aliviar o sofrimento, mas estamos muito tristes com isso e sem saber o que fazer, se puder no ajudar, agradeço muito. fabianoblan@yahoo.com.br

    1. Olá, Fabiano!
      A decisão de fazer ou não a eutanásia é realmente muito difícil, e um tema sobre o qual muitos tutores preferem nem pensar. Por conta disso, acabei escrevendo dois artigos: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/bem-estar-animal/aquela-palavra-com-e-2/ e https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/bem-estar-animal/eutanasia-o-que-o-animal-sente/

      Por outro lado, vejo que vocês estão inclinados a não fazer a eutanásia, pelo menos neste momento. Existe alternativa? existe sim, claro! Vocês podem continuar (ou começar) o tratamento da doença cardíaca dela. Se ela está com tanta dificuldade respiratória, é possível que precise ficar internada por alguns dias até que o seu quadro se estabilize. Ela se recuperando, vocês podem levá-la para casa e prosseguir com o tratamento, mantendo o foco em mantê-la o mais confortável possível. São os chamados “cuidados paliativos”, e tenho também um artigo sobre o tema que pode interessá-lo: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/bem-estar-animal/dadiva-da-despedida/

      Esta é uma doença progressiva e que não tem cura, mas que normalmente pode ser manejada por um bom tempo com o uso de medicamentos. Você tem todo o direito de optar por não fazer a eutanásia se não se sentir confortável com isso.

      Um grande abraço no coração!

  15. Muito obrigada eu estou chorando aqui pois há Uns 9 anos soube que a Sophia apresentava sopro no coração e agora ela está apresentando engasgo.

    1. Olá, Elaine!
      Sinto muito… =( É realmente muito triste ver os bichinhos passarem por isso. Mas não precisa chorar, com uma dieta adequada e o tratamento correto, a Sophia ainda pode passar muito tempo contigo!

      Temos mais um artigo que talvez possa ajudá-la a entender o problema: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/cardiologia/se-o-seu-cao-esta-tossindo-preste-atencao-ele-pode-estar-com-insuficiencia-cardiaca/

      Espero que as informações seja úteis! 😉 Fico à disposição caso tenha alguma dúvida!

      Um abraço!

Comments are closed.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}