Para de Se Lamber!

Alguns cachorros se lambem tanto que chegam a deixar os seus tutores incomodados! O tutor manda parar, o cachorro para, e depois retoma a sua “atividade”.  Tem algum problema nisso? por que isso acontece?

Cão Lambendo a Pata

Imagem: UR Dogs

Os cachorros que se lambem em excesso geralmente estão tentando nos dizer alguma coisa. Lamber pode ser uma forma de aliviar a dor, uma coceira, ou até mesmo… a mente! É, isso mesmo! O ato de se lamber pode ser uma forma de alívio puramente psicológico. E nem por isso deve ser ignorado…

Dores e Coceiras

Um cão com dor ou com coceira pode se lamber, se morder, ou até mesmo tentar passar as patas no local para tentar se livrar do desconforto. Às vezes, mas nem sempre, a gente consegue ver que a pele fica mais irritada, avermelhada, ou até mesmo descascando. Pode ser que você encontre pulgas, carrapatos, farpas, cacos de vidro, ou… nada. Talvez o seu cachorro esteja mancando, sinal que algo incomoda, mas sem que ele realmente tenha algum problema ósseo ou articular.

Cada possível causa de dor ou de coceira deve ser devidamente identificada e tratada. Alguns casos podem ser bem fáceis  – você pode encontrar pulgas no seu cão e aplicar um anti-pulgas, resolvendo o problema. Mas outros são mais difíceis de identificar, e você precisará levar o seu cão ao veterinário.

Quem Chegou Primeiro? O Ovo Ou A Galinha?

A questão que deve ser feita sempre que o seu cão estiver se lambendo demais e você encontrar alguma ferida nele deve ser: ele está se lambendo porque tem esta lesão? ou tem esta lesão porque está se lambendo?

Existem casos em que, de tanto o cão se lamber, ele próprio acaba se ferindo. Conforme o comportamento continua, a lesão tende a piorar, podendo infeccionar e causar dor ou desconforto. Em cães de pelagem clara, é comum os pêlos ficarem escurecidos, castanhos, no local onde o cão lambe.

Pata de cão mostrando o espaço interdigital irritado

Região entre os dedos pode ficar irritada.
Imagem: Pet Health Network

Na maioria das vezes, este local são as patas, mas também pode ser a cauda ou qualquer outra parte do corpo. Quando a lesão é nas patas, o espaço entre os dedinhos pode ficar avermelhado e até com “bolinhas”, e os próprios coxins (“almofadinhas”) também podem ser afetados. Em cães maiores, há casos inclusive de animais que chegam a arrancar os próprios coxins ou parte deles, o que acaba causando dor e dificuldade para caminhar. Isto se chama “auto-mutilação”, e pode acontecer quando os níveis de estresse estão mais altos.

Mas o interessante é que estes cães não estão se lambendo porque dói ou coça. Na verdade, está doendo ou coçando porque eles se lamberam tanto que se feriram.

Dermatite Acral Por Lambedura

Dermatite Acral por Lambedura, ou Dermatite Psicogênica, é o nome que damos à lesão que aparece na pele do cão que se lambe demais. A lesão pode variar desde uma leve irritação, até feridas abertas e infeccionadas.

Quando o cão se lambe muito e não tem nenhuma causa aparente para isso (alergias, infecções, parasitas, lesões ósseas ou articulares, etc.), podemos estar diante de uma Dermatite Acral Por Lambedura. A causa desta doença é psicológica, e está ligada a problemas de ansiedade e tédio.

Cães que sofrem de ansiedade de separação estão entre os mais propensos a este tipo de problema. Animais que estão entediados, que não saem para passear, ou que estão estressados por algum outro motivo (nova pessoa ou animal na casa, alguma pessoa ou animal da família faleceu, novo ambiente, etc.), também podem passar por isso.

O motivo é simples: o ato de lamber faz com que o cão libere endorfina, o hormônio do prazer e do bem estar. Estando sozinho, triste ou ansioso, o cão rapidamente descobre que, ao se lamber, ele começa a se sentir melhor. Isso acaba virando um vício, a ponto que, mesmo na presença dos tutores, ele continua mantendo o hábito.

Quando o cão efetivamente se machuca por causa disso, ele acaba criando ainda mais um motivo para continuar lambendo: está doendo/ coçando, e lamber irá ajudar a aliviar o desconforto. O comportamento se perpetua, num círculo vicioso muito difícil de ser contido.

Como Tratar?

Uma vez excluídas outras possíveis causas, como alergias, fungos, parasitas, corpos estranhos (cacos de vidro, farpas de madeira, espinhos, etc.), entre outras, o veterinário pode diagnosticar o seu cão como tendo Dermatite Acral por Lambedura, ou Dermatite Psicogênica.

Granuloma - dermatite acral por lambedura

Ferida causada por excesso de lambedura.
Imagem: Speaking For Spot

A chave para a cura será descobrir qual é o “gatilho” do seu cão. Ou seja: por que este comportamento começou em primeiro lugar? ele estaria entediado? solitário? sofrendo com ansiedade de separação? ficou estressado com a chegada de um novo membro (animal ou humano) na família? está sofrendo pela perda de um familiar (animal ou humano)? Conforme a causa, pode ser feito um plano terapêutico.

Este plano geralmente envolve mudanças significativas na rotina familiar, e deve ser de longo prazo. Por exemplo: se o cão estiver entediado, não adianta levá-lo para passear uma ou duas vezes, e depois esquecer do problema. Se ele estiver solitário, um final de semana com os tutores também não bastará. É preciso MUDAR. Pode ser necessário contratar um passeador de cães, se ninguém da casa tiver disponibilidade para levá-lo para passear regularmente, ou até mesmo adotar um novo cão para fazer companhia enquanto os tutores trabalham. Tirar alguns minutos por dia para brincar com o cão com certeza será benéfico. Brinquedos interativos ajudam a aliviar a ansiedade quando os tutores não estão em casa, e dão ao cão uma alternativa menos destrutiva de liberar o estresse.

Problemas de ansiedade relacionados à chegada ou partida de membros da família costumam se resolver com o tempo, mas uma ajudinha pode ser bem-vinda. Em caso de dificuldade, pode ser preciso contratar um especialista em comportamento animal para orientar a família.

Em relação às feridas que se formaram, pode ser necessário o uso de antibióticos orais ou tópicos, e curativos. Para que a ferida consiga cicatrizar, o uso do colar elisabetano pode ser indicado, principalmente se o seu cão conseguir arrancar os curativos.

Cão usando colar elisabetano. Imagem: Wikimedia

Cão usando colar elisabetano.
Imagem: Wikimedia

Além da terapia comportamental e do tratamento das feridas, em alguns casos pode ser feito o uso de medicamentos para reduzir a ansiedade. Como alternativa a estas drogas, florais e acupuntura também são indicados.

Dá Para Prevenir?

A Dermatite Acral Por Lambedura é um problema psicológico, relacionado principalmente a transtornos de ansiedade. Cães que têm companhia (humana ou canina), espaço adequado, e atividades diárias com os seus tutores (passear, brincar), geralmente são menos propensos a este tipo de problema.

Cães que tenham ligação muito forte com os seus tutores a ponto de sofrerem de ansiedade de separação devem ter este problema trabalhado o quanto antes. Contrate um especialista em comportamento canino, e leia o nosso artigo sobre o assunto.

Nunca ignore os sinais que o seu cão dá. Você o conhece melhor do que ninguém, e, se algo parecer errado, provavelmente está. Não se preocupe em parecer o “tutor neurótico” que corre para o veterinário cada vez que o cachorro “respira diferente”: o veterinário com certeza ficará feliz em atender um tutor que se preocupa com a saúde e o bem estar do(s) seu(s) cão(es). Além disso, qualquer problema detectado no início é mais fácil de tratar.

Autora: Bárbara Gomiero

Formada em Medicina Veterinária pela UFPR em 2006, especialista em Clínica de Pequenos Animais. Apaixonada por cães, tem um amor especial pelos cães idosos, e trabalha para levar conhecimento e informação aos seus tutores, para que esses sejam capazes de proporcionar uma excelente qualidade de vida nessa fase tão delicada de seus cãezinhos.

Comments are closed