julho 15

É Câncer, Neoplasia, ou Tumor?

55  comENTÁRIOS

Você sabe a diferença entre câncer, neoplasia, e tumor? pois saiba que estes termos não são, necessariamente, sinônimos!

O termo “tumor”,  apesar de ser frequentemente usado como sinônimo de “neoplasia”, na verdade se refere a qualquer aumento de volume no corpo. O inchaço causado por inflamações, por exemplo, é um tumor. As neoplasias em geral também são tumores.

Já a neoplasia é uma nova (“neo”) formação (“plasia”). Ela é formada por um grupo de células que se diferencia daquelas que as deram origem. Elas têm aparência, forma, e comportamento diferentes das células normais. É mais ou menos como, por exemplo, nascer um dente na perna (não exatamente, mas serve como ilustração).

Por fim, câncer é um grupo de doenças que ocorrem quando a pessoa ou animal tem uma ou mais neoplasias malignas. Se o animal tiver apenas neoplasias benignas, então ele não tem câncer.

Neoplasias Malignas ou Benignas?

Veja o nosso infográfico, disponível para download:

Infográfico Câncer e neoplasia

As neoplasias, como já dissemos, são grupos de células que são diferentes daquelas que as deram origem. Geralmente elas estão geneticamente alteradas, e passam estas características para as gerações seguintes de células.

Uma neoplasia pode ser maligna ou benigna. As neoplasias benignas não são muito agressivas. Os danos causados por elas, quando ocorrem, estão mais ligados à sua presença física no local onde estão do que por causarem uma doença propriamente dita. Por exemplo, uma neoplasia benigna no coração pode se tornar um grande problema se eventualmente ela obstruir o fluxo do sangue, ou se impedir que ele bata normalmente por conta do espaço ocupado por ela. Neoplasias benignas também podem deformar ossos, causando fraturas, ou impedir que um animal se alimente, se estiverem na boca.

As neoplasias benignas não são muito diferentes das células que lhes deram origem, ao contrário das malignas. Apesar disso, muitas vezes a remoção ou tratamento é recomendável, pois neoplasias benignas podem se tornar malignas. O inverso não acontece.

Neoplasias malignas são bem diferentes do tecido de origem. Elas crescem rapidamente, se disseminando para os tecidos ao seu redor, e podem gerar metástases. Metástases são tumores (neoplásicos) que se formam a partir de uma neoplasia já existente, porém longe dela. Normalmente isso acontece porque células neoplásicas (células do tumor) se disseminam para outras partes do corpo, pelo sangue ou pela linfa.

Quando uma neoplasia maligna é removida cirurgicamente, não raro ela volta a aparecer no mesmo ou em outro lugar. É sinal de que está se espalhando, e cuidados devem ser tomados para conter este processo.

Por Que as Neoplasias Aparecem?

É a pergunta que não quer calar. Exatamente como isso acontece, ainda não se sabe. Mas sabe-se que está ligado a mutações genéticas, que fazem com que as células fiquem diferentes das que lhes deram origem, e se multipliquem em excesso.

As mutações podem ocorrer por uma simples predisposição genética, o que explica o fato de que cães de algumas raças são mais predipostos ao câncer do que outros – os boxers, por exemplo, são famosos por terem mastocitomas (um tipo de câncer). Inflamações crônicas,bem como algumas infecções ou bacterianas ou virais, também podem levar à formação de tumores. Por fim, fatores externos, como a exposição ao sol, à fumaça de cigarro, à radiação, alguns produtos químicos, e até mesmo a alimentação inadequada, também podem causar ou aumentar a probabilidade do surgimento de tumores.

Por Que o Câncer É Uma Doença Tão Séria?

Primeiramente, porque o tratamento ainda é agressivo, e nem sempre funciona. Quando tratamos um câncer, não estamos combatendo um vírus ou bactéria, mas sim as células do próprio paciente.

Outro problema é o próprio tumor, que acaba por alterar ou até mesmo inibir totalmente a funcionalidade normal do órgão onde se encontra. Além da sua presença física, que por si só pode causar dano, as neoplasias malignas podem produzir hormônios e proteínas de forma descontrolada. Estas substâncias são capazes de mudar o funcionamento do organismo todo. Neoplasias que envolvam o sistema imune podem tornar o animal vulnerável a infecções, enquanto tumores na coluna podem afetar a capacidade de andar e a coordenação motora. Cada tipo de tumor, cada lugar afetado, terá um resultado diferente. É por isso que alguns tipos de câncer são mais agressivos do que outros.

Imagem: SheKnows
Imagem: SheKnows

Como Tratar o Câncer

Câncer, como dissemos, na verdade não é exatamente uma doença,  mas sim um grupo de doenças. E o que todas estas doenças têm em comum é a presença de tumores malignos. Já vimos que as neoplasias podem ser muito diferentes entre si, e que os seus efeitos dependem do seu tipo e de onde estão instaladas. Isso significa que o tratamento nem sempre será o mesmo

Regra geral, sempre que isso é possível, o tratamento do câncer envolve a cirurgia para a retirada do tumor. O sucesso da terapia está baseado no sucesso da primeira cirurgia: se a neoplasia for encontrada cedo, e removida com uma ampla margem de segurança, então as chances de que o tumor volte ou surjam metástases, são bem menores.

margem de segurança é a quantidade de tecido normal que é retirada junto com o tumor. Como os tumores malignos se difundem para os tecidos ao redor, partes dele podem ainda não ser visíveis no momento da cirurgia, e por isso é recomendável uma margem de segurança grande. Qualquer vestígio da neoplasia que seja deixado para trás, se transformará num novo tumor posteriormente.

É essencial que os tutores conheçam o conceito e a importância da margem de segurança, para que compreendam que a cirurgia, em alguns casos, pode ser bem radical. Isso pode incluir a amputação de membros, ou a retirada de todas as mamas de uma cadela. Quando a amputação é recomendada, mas o tutor opta por manter o membro, ele deve estar ciente de que esta decisão poderá diminuir significativamente a sobrevida do animal.

Fica então o dilema qualidade de vida x quantidade de vida. Um cão com câncer avançado não terá muita qualidade de vida, mesmo com todos os membros. Por outro lado, muitas pessoas sofrem ao verem o seu animalzinho com uma pata a menos. O que podemos dizer é que os cães se adaptam. É triste e é difícil fazer isso, mas o cão aprenderá a conviver com isso. O que deve pesar mais é se a cirurgia em si poderá trazer algum benefício ao animal (mais qualidade ou tempo de vida), ou se será apenas um estresse a mais.

Fora a cirurgia, técnicas de quimioterapia e radioterapia também vêm sendo usadas para cães. O ideal, sempre que possível, é que os tutores procurem um profissional especializado em oncologia para este tipo de tratamento. Veja o nosso artigo sobre o tratamento do câncer.

Será Hora de Fazer Eutanásia?

Um diagnóstico de câncer não é necessariamente uma sentença de morte para o seu cão. Alguns casos podem ser mais graves, sim, principalmente se forem detectados muito tarde… Mas, antes de entrar em pânico, converse com o seu veterinário. Tente analisar as opções de tratamento com a maior objetividade possível.

Alguns tipos de câncer podem ser curados. Outros podem ser tratados, de modo que o cão terá uma vida mais longa. E, por fim, há casos em que pode não ser possível estender o tempo de vida do bichinho, mas é possível melhorar a sua qualidade de vida. Um finalzinho de vida digno e indolor deve ser direito de todo animal.

Imagem: SheKnows
Imagem: SheKnows

Se chegar ao ponto em que a qualidade de vida do seu cão se torne inaceitável, a eutanásia pode ser uma opção. Esta é, sem dúvida, uma das decisões mais difíceis para qualquer tutor, e deve ser tomada com muito critério. Já fizemos um artigo sobre o assunto, recomendamos a leitura a quem se interessar (leia aqui).

Se você preferir deixar a natureza seguir o seu curso, cuide para que o seu cãozinho viva com dignidade, limpo, e com a mínima dor possível. Existem cuidados especiais que podem ser tomados neste sentido: são os cuidados paliativos, ou hospice (em inglês). Com amor e dedicação, é possível tornar a despedida mais suave para todos.


Você também pode gostar:

  1. Boa noite doutora eu tenho um bord collie com 6 anos já e nasceu no rabo dele aparentemente um caroço q estourou e devido a lambedura acabou infecção
    e fedia muito alem de sair pus e levei para um veterinário o mesmo informou uma pomada e fazer a limpeza com soro e passar essa pomada não vendo melhora alguma retornei e ele passou um antibiótico anti inflamatório, muito preocupada levei meu cãozinho para outro veterinário que fez o diagnóstico de tumor no rabo e imediatamente fez citológico e falou que teria que remover e aguardo o resultado da biópsia e ele falou da biópsia para saber se é maligno ou benigno mas lamento muito porque ele me falou que é muito provável que ele perca o rabo, muito triste com tudo isso.

      1. Olá, Juliana!
        Sinto muito por esta difícil situação… =(
        Mas o lado bom é que, caso seja necessária a amputação da cauda, ela não fará falta para o seu cão, e ele não terá a sua qualidade de vida comprometida. Se o veterinário disser que a cirurgia é necessária, façam o quanto antes possível para que outros tumores não apareçam em outros lugares.

  2. Boa tarde, tenho um labrador com 9 meses e notamos uns 20 dias atrás que ele estava mancando. Feito o raio x, ele foi diagnosticado com displasia coxo-femural. Ocorre que notamos que a pata que ele manca é dianteira. Isso é normal?

  3. Boa noite, eu tenho uma pinscher de 11 anos que foi diagnosticada com um mastocitoma grau 3 (se não me engano há 9 meses), na pata traseira esquerda, como crescia muito rápido a opção mais segura foi a amputação, devido a idade avançada e as metástases que já haviam surgido o vet aconselhou a não fazermos a quimioterapia que a deixaria muito debilitada, minha cadela estava bem, mas há alguns meses surgiram novos e enormes tumores nas região onde a pata foi amputada, no pescoço, na cabeça, enfim, por todo o corpo, os maiores somam mais de 10 tumores, e o do pescoço domina toda a área, ela estava bem ativa, comendo normalmente e não sente dor (nem quando tocamos), mas há duas semanas ela tem comido pouco e está se isolando, um dos tumores começou a sangrar, em seguida outro, e pra evitar que ela fique lambendo eu fiz um curativo, mas os tumores continuam a vazar pus e sangue, não sei mais o que fazer, não temos coragem de sacrificar, mas não sabemos lidar com a situação, damos banhos, suas cobertas e colchões são substituídos quase que diariamente, mas ela está com cheiro de podre e não sabemos mais o que fazer.

    1. Olá, Natalya!
      Sinto muito por essa difícil situação… =(
      O ideal seria levá-la para ser avaliada por um veterinário oncologista, para saber se ainda há algo a ser feito em relação aos tumores. Se realmente não houver mais o que fazer, então vocês podem optar pelos cuidados paliativos para ela, que são cuidados que não visam à cura da doença, mas à melhoria ou manutenção da qualidade de vida. Tenho um artigo sobre o tema, recomendo a leitura: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/bem-estar-animal/cuidados-paliativos-para-caes/
      Melhoras para ela!
      Um abraço!

      1. Já a levamos em diferentes profissionais, antes de optar pela amputação fomos a 3 veterinários e todos foram bem pessimistas com relação a sua saúde, então optamos pela amputação realizada no vet público, que é um hospital incrível com profissionais extremamente empenhados. E lá mesmo antes da amputação já havia sido diagnosticada a existência de outros tumores nas mamas, em seguida fizemos a citologia da pata amputada pra saber o grau do tumor, e demais exames que detectaram as metástases, já a levamos em outros veterinários e todos disseram que não há mais o que fazer. Mas é difícil ver um bichinho ir embora aos poucos sem poder fazer nada pra salvar. Obrigado pela dica, vou ler o artigo.

      2. E também estamos enfrentando a perda de peso excessiva, pinschers costumam ser magrinhos mesmo, mas ela sempre foi gordinha principalmente depois que foi castrada, ela se alimenta como sempre, quando não quer a ração oferecemos algo diferente, mas ela perde cada vez mais peso, está tão magra que parece não comer, sempre ficamos de olho enquanto ela se alimenta, justamente pra ver se ela vai aceitar, e ela sempre come, mas continua emagrecendo.

        1. Olá, Natalya!
          A sua cachorrinha pode se beneficiar da adoção de uma alimentação natural. Ainda que provavelmente não vá exatamente curá-la dos tumores, com certeza dará mais qualidade de vida e pode ajudar a diminuir esta perda de peso. Pode até mesmo fazer com que engorde um pouquinho de volta. Eu faço orientação nutricional online, se tiver interesse escreva para contato@meucaovelhinho.com.br que te passo mais detalhes 😉
          Um abraço!

  4. Olá Dra, a minha cachorrinha (uma dasch de 10 anos) iria passar por uma castração, mas quando fiz os exames necessários nela, deu um problema no fígado e então a médica me pediu uma citologia, um ecocardiograma pré-operatório e um T4 total, faremos os exames no sábado mas o que eu quero saber é se mesmo ela não tendo dores, se alimentando normal, brincando o dia todo ainda assim pode ser maligno.Além disso o exame de sangue que ela fez há um mês atrás estava todo perfeito. Eu sei que você não pode dar um diagnóstico mas é que meu coração de mãe de cachorro não consegue se acalmar. Obrigada 🙂

    1. Olá, Ariane!
      Ao que me parece, a sua médica veterinária está apenas investigando para saber se a sua cadela está apta a ser operada ou se esta alteração hepática está indicando algum tipo de problema que precise ser tratado antes. Num primeiro momento, não temos como afirmar qualquer coisa sobre malignidade ou não (você não mencionou de onde foi coletado o material para a citologia) – e, mesmo que haja um tumor maligno, se ela está clinicamente bem, este pode ser um bom momento para a cirurgia (caso seja preciso retirar um tumor, quanto antes, melhor).
      Torcendo por ela! 😉
      Um abraço!

  5. Oi tenho uma vira lata de 6 anos ela é de tamanho médio, apareceu um caroço na mama dela, mas como não tenho como levar ela no veterinário, esperei pra ver no que dava, e o caroço está desaparecendo, aí fiquei tranquila, mas ontem percebi um inchaço na axila dela, não sei se ela machucou porque ela é muito ativa e fica pulando o portão pra sair de casa, ou se é câncer, oque devo fazer?

    1. Olá, Mayara! Minha única sugestão possível é que leve a sua cachorrinha ao veterinário. Não temos como fazer diagnósticos ou indicar tratamentos pela internet.
      Se o seu problema for financeiro, sugiro que procure um hospital veterinário universitário na sua cidade ou então uma ONG local de proteção animal que possa indicar um profissional que atenda a preços mais baixos.

  6. Boa noite tenho 2 poodle uma com 14 anos e outra com 8 anos mais a de 14 anos com câncer de mama mais nasceu uma bola vermelha em baixo da pata dela estou sofrendo muito porque acho que ela está com dor mais não estou podendo leva no veterinário porque ela está empaciente.

  7. Deu um tipo de cancer de pele, o dr. Passou os medicamentos, mas daí posso usar o iodopovidona 10% e sulfadiazina de prata creme 1 % juntos, ou teria que esperar um tempo entre os dois remedios? Ambos 3 vezes ao dia. Obrigado!!

    1. Olá, Éder!
      A orientação quanto à forma adequada de utilizar as medicações deve ser dada pelo médico veterinário que fez a prescrição. Caso já não o tenha feito, ligue para o profissional que atendeu o seu cão para que ele possa explicar como ele recomenda que seja feito o tratamento.
      Melhoras para ele!

  8. Boa Noite!!
    Tenho uma york e ela esta com 16 anos esta com tumores na mama e um virou uma ulcera ela aguentaria uma cirurgia ? Mas ela come bem não esta debilitada

    1. Olá, Cristina!
      Não devemos usar a idade do cão como parâmetro para decidir se ele está apto ou não a ser operado, mas sim o seu estado de saúde. Por conta disso, ela deve passar por uma avaliação pré-operatória para que você consiga tomar uma decisão bem informada. Tenho dois artigos cuja leitura eu recomendo, pois acredito que possam ajudá-la:
      https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/cuidados-que-voce-deve-tomar-antes-de-operar-o-seu-cao-velhinho/
      https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/bem-estar-animal/cao-esta-muito-velho-para-tratar-cancer/
      Melhoras para ela!
      Um abraço

  9. Olá, boa tarde! Minha cadelinha tem 8 anos e cresceu nela uma espécie de bolha vermelha perto de um dos mamilos, ela corre, come normalmente.. o que poderia ser? Desde já agradeço!

    1. Olá, Éder!
      É preciso levar ao veterinário para que você possa ter certeza do que é. Pode ser uma picada de inseto, uma infecção de pele, ou um cisto, por exemplo. Para cada uma dessas coisas, o tratamento é bem diferente.

  10. Olá tenho um Buldog francês com apenas 4anos ele está bem como bem brinca feliz mais levei ao veterinário e achou dois gânglios no pescoço fiz exames de sangue ok e na pulsão deu linfoma fiz biópsia e aguardo o resultado mais a médica quer fazer quimioterapia ,será que devo fazer, já que ele está bem …..

  11. Olá, Dra. Bárbara! Minha cachorra fox paulistinha tem 13 anos, e um tumor arredondado entre a última mama e a região genital. Tem chance de ser benigno? Alguns médicos disseram para não fazer a cirurgia nesta região… Outra coisa, ela tem “sopro” no coração. Mas não se cansa, e caminha super bem. Come super bem tbm. Às vezes tosse, mas logo passa… O exame de citologia pode fazer mal? Obrigado!

    1. Olá!
      Se ela tem sopro no coração,mas não tem sinais de insuficiência cardíaca, então podemos considerar que o coraçãozinho dela está, pelo menos por hora, “dando conta do recado” – portanto, está saudável.

      O exame citológico, se for feito por punção, por exemplo, não exige anestesia e não representa risco ao cão. Embora não seja tão preciso quanto um histopatológico (a “biopsia”, quando removemos a lesão e enviamos ao laboratório), o citológico pode ser bem útil para se ter uma ideia melhor quanto a que tipo de tumor está ali, e até mesmo para decidirem se uma cirurgia será necessária ou não.

      1. Mas não sei se devo fazer essa quimioterapia,(pode afetá-la de alguma forma, talvez?), ou deixar como está, já que ela não demonstra sentir dor, apesar do tumor. Ela está normal, comendo, brincando, caminhando etc. Mas o tumor está lá, crescendo… Obrigado pelas informações.

          1. Li o artigo. Vou submete-la à quimioterapia. Ela está ótima de saúde, apesar do tumor e dos 13 anos. Obrigado.

    2. Oiii tudo bem então estou com a minha filha de quatro patas com o mesmo diagnóstico que a sua ela está com uma bola em cima da virilha vou passar ela amanhã no veter. Mais já estou desde já desesperada . Me fale mais sobre o caso da sua a minha é uma lhasa apso.
      Obrigado viu.

  12. Wildo Muniz – Olá Doutora, meu poodle apresentou um caroço em baixo do pescoço já faz um bom tempo. No início estava tudo normal, mas de uns dias pra cá ele emagreceu muito e apresenta um mau cheiro principalmente na boca, urina e fezes. Vem ao nosso encontro quando chamamos, mas já não anda e nem tem a mesma animação de antes. Pergunto: devemos tentar um tratamento, ainda dá tempo, a eutanásia seria o melhor para acabar com o sofrimento dele?

    1. Olá, aumigo!
      É difícil saber exatamente o que o seu cão sem examiná-lo. O ideal é que ele seja levado ao médico veterinário para uma investigação detalhada sobre o que está acontecendo, antes de tomarem qualquer decisão. Pode ser que seja tratável.
      Um abraço!

  13. Olá, tenho um cão de 13 anos mestiço de pitbull com vira-lata. Faz um ano mais ou menos, apareceu um tumor no ânus dele e esse tumor cresceu e se espalhou pelo corpo em forma de pequenas bolinhas, uma dessas bolinhas cresceu na cabeça e estourou. Saiu muito sangue mas eu consegui fechar o buraco com spray prata. Ele até come, bebe agua e evacua ainda, sei que ele nao tem mais chances, mas eu queria saber o que é.

  14. Tenho uma cadelinha mestiça pinscher, está com 10 anos, está com um tumor mamário grande e aberto e que as vezes sangra, de uns dias pra cá esse tumor começou a sair secreção e ha 2 dias ela parou de se alimentar; só bebe muita agua, parece fraca e está com dificuldade para manter-se em pé. Se ela estiver com um cancro, ainda há tempo de começar um tratamento paliativo? E há alguma vitamina que eu possa dar à ela?

    1. Olá, Hadassa!
      Sempre há tempo para prestar cuidados paliativos. Tenho um artigo sobre isso, que foi publicado na última sexta-feira. Recomendo a leitura: https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/bem-estar-animal/cuidados-paliativos-para-caes/
      De toda forma, vale a pena você conversar com o seu médico veterinário para saber se este tumor é operável e se ela poderia passar por uma cirurgia. Isso poderia aumentar bastante a expectativa e a qualidade de vida dela, já que ela não é um animal tão idoso. Claro, o prognóstico vai depender do estágio deste tumor e se há metástases, além de outros sistemas que podem estar comprometidos. Mas não deixe de considerar esta possibilidade.

  15. Boa noite, minha cachorra (labradora) de 9 anos foi diagnosticada com cancer em todo o intestino, não me deram opção de tratamento e isto nos abalou muito, ela bebe muita água e perdeu bastante o apetite, porém ainda come relativamente bem (apetite seletivo) gostaria de saber se existe algo a ser feito, e algum medicamento pra dor já que simplesmente não me passaram nada, apenas me falaram para aproveitar o máximo a presença dela.

    1. Olá, Edward!
      Sinto muito por essa difícil situação…
      Se realmente não tem como tratar este problema, então vocês podem adotar cuidados paliativos para dar mais qualidade de vida a ela. Por exemplo, se ela sente dor, então o uso de um analgésico é definitivamente recomendável. Entretanto, não temos como fazer prescrições pela internet. Será preciso que você solicite ao seu médico veterinário, ou então, que procure outro profissional para examiná-la e recomendar as medicações que se fizerem necessárias.

      Quanto à alimentação, uma opção pode ser passar para uma dieta mais palatável (“gostosa”), como a dieta caseira. Logicamente, para isso será preciso obter orientação nutricional junto a um nutricionista veterinário. Estamos planejando oferecer este serviço aqui no site ainda este ano, porém ainda sem previsão de data. Então, por hora, devo recomendar que procure um profissional na sua cidade para desenvolver um cardápio para ela, caso tenha interesse por este tipo de alimentação.

    2. boa noite, sinto muito mais infelizmente essa doença é difícil de ser diagnosticada, também tivew uma cachorra, que aos 10 anos foi diagnosticada com a doença, e foi muito rápido. 3 meses e veio a falecer, é muito triste. também tomava muita água, foi perdendo o apetite aos poucos e o pior é que vai formando umas fissuras na região da mama e começa a cheirar mal, cheiro de podre. é muito triste ver seu cachorrinho sofrer e não ter o que fazer. em alguns casos é recomendado até a eutanásia. fica a critério de cada um.

  16. A minha cachorra esta um caroço ou calombo nas costas e esta sangrando será que devo fazer cirurgia??

    1. É preciso saber exatamente o que é este caroço nas costas dela. Se for um abscesso, por exemplo, pode ser tratado com medicamentos. Se for um tumor, a remoção cirúrgica provavelmente será recomendada. Leve ao veterinário para examinar, para que vocês possam ter certeza do que ela tem, e qual o tratamento mais indicado.

    1. Não, o câncer não é contagioso.
      Os cães só têm um tipo de tumor contagioso, que é o TVT (tumor venéreo transmissível), uma doença transmitida pelo contato sexual entre cães.
      Não existe nenhum tipo de câncer de cães que possa ser transmitido a humanos.

  17. Olá Dra Barbara, tudo bem ?
    Tenho uma cachorra de 15 anos, está comigo desde que nasceu e ela já teve tumor na mama, passou por uma cirurgia bem sucedida a uns 2 anos foi curada. Porém, agora ela está com um caroço no final da coluna (próximo ao rabo). Levei-a em um veterinário, mas a doutora disse que ela estava com sopro no coração e estava muito velha para passar por uma cirurgia, ela disse que os riscos eram altos até mesmo pelo problema cardíaco dela.
    Então deixei como estava e eu percebo que aumentou um pouco o volume do caroço e estou preocupado. Aparentemente ela não sente dor nenhuma, mas tenho medo de esperar muito e se tornar algo irreversível ou correr o risco de fazer a cirurgia e ela ficar paraplégica ou até mesmo morrer. Na sua opinião como profissional, quais são as chances de uma cadela de 15 anos se sair bem em uma cirurgia para retirada de tumor ? Há risco dela perder os movimentos ?
    Um abraço !

    1. Olá, Kennedy!
      Vamos por partes então:
      1 – Quais são as chances de uma cadela de 15 anos se sair bem em uma cirurgia para retirada de tumor? O que devemos levar em conta na hora de decidir ou não fazer uma cirurgia não é a idade do cão, mas sim a sua saúde como um todo. É claro que o fato de ela ter uma cardiopatia deve ser levada em consideração, mas isso nem sempre é impeditivo. O que sempre recomendo é que o tutor leve o seu cão para fazer uma avaliação pré-operatória junto ao profissional que, se for o caso, fará a cirurgia. No seu caso, minha dica é procurar um veterinário oncologista para avaliar o quadro dela e definir se a cirurgia pode (ou precisa) ser feita ou não. Tenho dois artigos que podem ajudá-lo neste sentido, e recomendo a leitura:
      https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/bem-estar-animal/cao-esta-muito-velho-para-tratar-cancer/
      https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/cuidados-que-voce-deve-tomar-antes-de-operar-o-seu-cao-velhinho/
      2 – Há o risco de ela perder os movimentos? Depende do que exatamente é esta lesão, o seu tamanho, e localização. Pode ser que este caroço seja apenas uma lesão de pele ou um lipoma, que é benigno e não representa grandes riscos à vida ou à saúde da sua cadela. E pode ser que seja de fato um tumor mais invasivo, e que eventualmente possa atingir a medula. Aí, sim, há o risco de perda de movimentos. Por conta disso, mais uma vez considero interessante que você a leve para ser avaliada por um especialista em oncologia. Ele irá solicitar exames para esclarecer melhor qual é o tipo e o tamanho da lesão, se ela representa risco à sua cadela, se há recomendação cirúrgica, e, claro, se ela está apta a ser operada.
      Um abraço!

  18. Minha cachorra está com uma bolsa meio mole bem no meio do peito ,ainda não fui em um veterinário,mas andei pesquisando e achei um caso igual ao dela ,e o dono da cachorra relatou q ela tinha um tumor carcinoma! Como isso surge no cão ? Quais os tratamentos indicados ? Tem risco de morte ??

    1. Olá, Kananda!
      Um carcinoma é um tumor maligno – portanto, um tipo de câncer. Mas não assuma que o seu cão tem uma ou outra doença apenas porque você viu um relato na internet de um caso parecido com o seu. Muitas doenças podem ser parecidas, e somente o seu médico veterinário poderá fechar um diagnóstico com certeza. O seu cão pode ter, por exemplo, uma bolsa de gordura – algo que não representa qualquer risco à vida dele.
      Leve ao veterinário para ver o que é esta bolsa. Provavelmente, ele pedirá algum exame complementar, como uma citologia, antes de decidir o próximo passo. Conforme o resultado do exame, então ele poderá recomendar ou não a remoção cirúrgica desta massa. Se for de fato um tumor maligno, então outros exames precisarão ser feitos antes de ser decidido o tratamento.
      Boa sorte no vet! Qualquer dúvida, estou à disposição 😉
      Um abraço!

  19. Boa noite. Meu Shitzu de 11 anos está com câncer na boca. Por já ter afetado os 2 lados do osso da mandíbula inferior o veterinário optou por não fazer a cirurgia pois teria que retirar toda a mandíbula dele. Estou dando medicamentos em casa. Ele esta tomando Previcox. Viscum vet. Genuxal (2x na semana) e ômega 3. Estou apreensiva e sofrendo muito com tudo isso. Ele também está com sopro no coração. Ele não está conseguindo pegar a comida sozinho pois seu lábio inferior cresceu bastante e isso o impede de pegar a comida. Estou dando comida na boca dele. Nao consegue comer racao. So alimentos moles. E as vezes a boca dele sangra. fico desesperada sem saber o que vai acontecer. Essa medicação resolve alguma coisa? Algum veterinário com experiência nesses casos saberia me dizer? Será que ele está sentindo dor? O tumor cresceu muito da primeira vez que o observei. O que vai acontecer com ele tomando esses medicamentos? Faz 10 dias que está tomando. Fico desesperada. Alguém me responda

    1. Olá, Adriene!
      Sinto muito por essa difícil situação… =(
      Os medicamentos prescritos pelo seu médico veterinário são específicos para o tratamento de tumores/ câncer, e também para a dor. É possível sim, que ele sinta dor, mas, se houver como mantê-lo sempre medicado, você conseguirá minimizar este problema (infelizmente, nem sempre se consegue excluir 100% da dor, mas normalmente dá para diminuir).

      Em relação à provável evolução da doença, depende muito do tipo do tumor, do grau em que se encontra, da sua extensão, e se há metástases ou não. O que você pode fazer para ter uma noção melhor do que está havendo/ e de como isso irá evoluir é consultar um médico veterinário especializado em oncologia. Ele irá avaliar o seu cão, e poderá ajudá-la a compreender melhor o problema.
      Um abraço!

  20. Perdi meu amado companheiro há 20 dias….apareceu um tumor na boca dele, na parte sublingual. Em um mês cresceu quase 40% (crescimento foi para frente, pegou os dentes inferiores da frente). Fomos obrigados a submetê-lo à mandibulectomia, de início hesitamos pois sabíamos da tristeza de ter um membro amputado, principalmente o maxilar….ele tinha 10 anos, mas era um cao forte, sadio, feliz, mas essa cirurgia foi tão complexa que levou meu filhote embora. Não aguentou nem 24hs após a cirurgia e na uti teve uma parada cardíaca…ainda estou me sentindo culpada por ter feito a cirurgia tão pesada, de não ter tentado a eletroquimioterapia. Seguimos o que a medica falou, infelizmente ele não resistiu. Solicitei a necrospia que constatou que a causa mortis foi “embolia pulmonar aguda”. É normal a embolia nesse tipo de situação que relatei? Ainda sofro muito a falta dele…e não sei se fiz o correto….agradeço muito se puder responder…um abraço

      1. Olá, Ka! Sinto muito pela sua perda… =(
        Conforme havia respondido no outro tópico ( https://www.meucaovelhinho.com.br/artigos/saude/cardiologia/se-o-seu-cao-esta-tossindo-preste-atencao-ele-pode-estar-com-insuficiencia-cardiaca/ ), é difícil fazer algum tipo de afirmação sem ter examinado o cão e nem conhecer o histórico dele… A grande maioria dos casos de edema pulmonar em cães está relacionada à insuficiência cardíaca, embora outras causas sejam possíveis – como algumas infecções, tumores, e hipervolemia por fluidoterapia. Sugiro que converse com o vet patologista que fez a necropsia do seu cão. Ele deve ter mais informações que possam ajudá-la a esclarecer melhor o caso.

        Um grande abraço no coração!

        1. Oi Dra. Bárbara, muito obrigada pelo seu retorno. É uma perda muito grande realmente. Te agradeço pelas explicações, acredito que no caso do meu cãozinho não era insuficiência cardíaca, pois fizemos eletro / ecocardiograma nele nos exames pré operatórios e estava tudo normal. Já havia conversado com a vet que fez a necropsia, e me foi informado que poderiam ser VÁRIAS causas a ocasionar o edema (que ele tbem não apresentava, fizemos raio-x digital de tórax e ultrassonografia). Disse que poderia ser uma infecção sistêmica, ou até o caso de o câncer ter avançado para o pulmão, uma vez que o linfonodo já estava comprometido. Mas, sendo bem sincera com você, o que mais me deixa em dúvida foi o tratamento dado à ele na uti, após a cirurgia. Pois a mesma foi feita a tarde de uma quarta-feira, à noite nesse mesmo dia ele estava respondendo bem, com quadro extremamente estável. E de repente, recebo a notícia as 5h30 da manhã da quinta de que ele havia falecido por parada cardíaca, e agora após quase 1 mês saiu na necropsia o quadro de edema pulmonar agudo, por isso estranhei…mas enfim, infelizmente, independente do que seja, nada o trará de volta….muito obrigada por me responder.

Comments are closed.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}